quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Desumanidade


Há dias em que chove muito...
Chove sem parar,
A impressão que temos
É que As águas que abundam a terra,
São as lágrimas da natureza
Em desesperado apelo
À consciência human
Já que o homem vive a depredar tudo
Que o envolve.
Muitos são os animais que
Não conseguem evitar a extinção
Da própria raça.
O bicho homem insatisfeito em destruir
O belo,
Vive a dizimar tudo o que o cerca,
Levando-o ao próprio extermínio.
Há dias em que chove muito...
Chove sem parar,
É a natureza que chora
Receando o que virá.

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios