segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Só A Você


Tenho vivido num martírio tão infeliz
Onde meu tormento mais se aprofunda
E são os meus soluços que ainda me diz
Onde a dor mais fere e também abunda

E quando diante do crepúsculo
Sinto-me envolvida pela melancolia
E agarrando-me à esperança busco
Dentro da alma um pouco de alegria

Querendo quem sabe também despertar
Ansiando por um novo e justo alvorecer
E é quando posso ouvir meu coração falar
De um lindo e especial momento que é você

E um suave encanto aos poucos me surge
E em meio a essa tão profunda nostalgia
Eu sinto que é o seu amor que me ressurge
E posso afirmar que é tudo o que eu queria

E logo o meu sorriso reaparece perfeito
Pois mais uma vez a vida me faz entender
Que todo amor que trago em meu peito
Somente a você poderá para sempre pertencer

Certeza


Na mansidão embriagadora desse meu eu
Vou aguardando ansiosa pelo teu amor
O tempo me mostrou que ele é só meu
Pois dele não sinto vestígios de dor

Porém o que ouço é um silêncio profundo
Guardado tão inquieto nesse peito teu
Que penso já não haver mais entre nós assunto
E em dúvida sobre esse amor que julgo ser meu

E entristecida busco ansiosa pelo teu olhar
E sinto que ele, algo está querendo me dizer
E talves seja o que jamais ousarias me falar
Que infelizmente da minha vida sairá você

E angustiada busco-o como que meio emudecida
Mas inevitável a pergunta aos lábios me vem...
Ser que vais sair calmamente da minha vida
Justamente porque nenhum amor mais me tens?

Mas o sorriso que dos teus lábios me vem
Me transmite paz e também tranquilo me diz
Que teu amor continua sendo só meu, meu bem
E por toda a vida continuarás a me fazer feliz

Aflorando


Agora, já tendo a alma quase morta
Suspiro perdida em meio aos sonhos
Buscando por algo que já nem importa
Pois as vezes me perco no que componho

É que são versos sem brilho e tristes
Onde a saudade do nada também fascina
E a minha tristeza, quieta ainda resiste
E vai calma aflorando em meio a surdina

E o meu coração se angustia desconsolado
E diante do meu mundo perdido apenas chora
E sinto como é grande dor dos desesperados
Que apenas por um pouco de amor ainda implora

Bem sei que já tive jovens meu corpo e mente
E que em minha existência já houve muitas flores
Mas sei também que foi por meio de muita gente
Que fui sentindo aos poucos as primeiras dores

Primeiro entristeci-me com a cruel desilusão
Que abraçou-me de um modo frio e sorrateiro
Depois alojou-se em min a miserável solidão
Que tem me acompanhado pela minha vida inteira

E hoje os muitos respingos de tristezas
Que ensombreia sem dó a minha alma
Tirou de mim toda e qualquer firmeza
Que por ventura sustinha a minha calma

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Para Fabinho


A vida as vezes nos presenteia
Com pessoas muito especiais
E foi assim que um dia a mim chegou
Um perfeito e lindo rapaz
Estou falando do menino Fabinho
Por quem nutro um grande carinho
Pois dele eu gosto demais

Ele chegou assim, meio de repente
E entre nós uma boa amizade nasceu
Me lembro como se fosse hoje
E no tempo esse carinho cresceu
E podem os anos passar
Que essa amizade resistirá
Pois entre nós, espero, nunca haverá
Qualquer tipo que seja de adeus

E que assim esse nosso elo
Os anos apenas fortaleça
Pois acredito que ainda seja possível
Uma nova amizade que floresça
E bem sabes que não falo de nós dois
Pois algo espero para um pouco depois
Pois, se ontem, nem hoje foi
Que para um breve amanhã aconteça

Reunião De Amigos


Nesse encontro tantas vezes marcado
Olho ao redor e percebo em nossa mesa
Que um alguém tem ali afogado
Suas mágoas num copo de cerveja

E sorrio triste ante aquele quadro
Onde os risos... As vezes falsos risos
Escondem vidas vazias, corações magoados
Nesse inocente encontro de bons amigos

E tentando aprofundar a minha observação
Também sinto que não é só a tristeza
Que embarga tanta e verdadeira emoção
Pois há muito mais em volta dessa mesa

Sentimentos que extravazam no olhar
Mas que é preciso serem ocultados
Pois nem por sonho se deve revelar
Algo que certamente será rejeitado

Mas entre nós há corações apaixonados
Pela vida e por tudo o que ela traz
São sentimentos verdadeiros, legitimados
Que só quem não tem maldades é capaz

E entre brindes e muitos sorrisos
Sinto no ar o bem que a todos faz
Pois nesse encontro de grandes amigos
Muita alegria é o que tudo isso nos traz

E já sinto a saudade fria penetrando
Nesse meu coração pela vida tão provado
E no meu silêncio já vou arquitetando
Para um novo encontro já deixar marcado

E com um sorriso "Longa Jornada" se despede
E já com saudades se vai " Esse Teu Olhar"
E "Bem-vinda" como sempre a tudo investe
Pois sabe que todos um reencontro vão esperar





quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

Decifrando


Ausência é quando fico alienada
Pensando em minha vida sem ti
É saber que muito pouco, um nada
Me faz pensar em ti e não te sentir

Presença é essa vontade muito louca
Que se materializa diante de mim
É sentir o calor aquoso da tua boca
É abraçar-te e ser abraçada por fim

Saudade... É sentir essa ausência doída
Nessa presença que ao meu pensamento vem
É sentir-me assim... Cada vez mais perdida
Desejando esses braços que tanto amor me tem

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Tempo Perdido


Uma tristeza amarga e sempre crescente
Me atordoa parecendo me asfixiar
E aquela alegria dantes tão frequente
Desapareceu como fumaça, se esvaiu no ar

E mais uma vez as lágrimas quentes
Que percebo já não mais me alivia
Apenas regam o que vai na minha mente
E são sentimentos que eu não queria

E controlar tanta tristeza já não consigo
Apenas deixo meu semblante a divagar
E se tanto sofrimento eu não apazíguo
Então só me resta mesmo é chorar

E mesmo sabendo que tudo isto
Muito mal me tem reservado
Mesmo assim eu ainda insisto
Em deixar tudo na alma guardado

E amanhã talvez já seja tão tarde
Para tentar esse tempo perdido ganhar
E digo sem querer fazer nenhum alarde
Que muito mais tempo terás que esperar

Só Nos Resta Calar


Achamos que conhecemos as pessoas
Mas isto é um grande erro meu bem
Uns guardam garras afiadas
Que um dia as descobrem porém
E como tolas e decepcionadas
Sem querer acreditar em quase nada
Ao nos sentir-mos miseráveis e humilhadas
Em vão tentamos entender o que nos vem

E como a moeda que tem duas faces
Muitas vezes assim também são as pessoas
E se somos surpreendidos a decepcão é maior
principalmente se a vemos como pessoa boa
Mas a ironia do destino é cruel
E se bebemos desse cálice de fel
Até esquecemos do sabor adocicado do mel
E julgamos ter dado carinho à toa

E tal qual o espelho que foi quebrado
Que mesmo os pedaços se consiga colar
Nunca mostrará a imagem como antigamente
E disso bem sei nem é preciso falar
Pois quando a dor nos machuca tanto assim
E permanecemos com a alma ferida enfim
Nada que se faça conseguirá por um fim
Nessa dor que só nos resta calar

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Chance De Viver


Foi na penumbra desta madrugada
Que de alma triste e cansada
Eu resolvi então me esconder

Me esconder dos meus sentimentos
Pois um amargo e cruel abatimento
Me deixou sem quase nada entender

E assim, inquieta e quase emudecida
Sem sentir os sentidos da minha vida
Que me vi aos poucos a desfalecer

E sentindo do nada todos os resquícios
Fui deixando quase que sem vestígios
O tudo do nada que um dia consegui viver

E foi assim, nessa fria madrugada
Quando sobre a vida me vi debruçada
Lembrei de um alguém especial...Você

E como uma tênue e delicada esperança
Senti então a alegria pura das crianças
E adormeci agarrada a esta chance de viver

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Insuportável Dor


Estou sentindo uma tristeza tão grande
A qual já nem consigo mais controlar
Talvez seja a mesma dor que os amantes
Muitas vezes são obrigados a suportar

Parece até qua a alma está se rasgando
E já nada consegue essa dor diminuir
E num grito mudo eu vou implorando
Não me deixem nessa dor me consumir

Tenho me sentido pequena e abandonada
E choro desesperada sem nenhum pudor
Me sinto desfalecer como uma condenada
Abraçada a minha triste e pungente dor

Bem sei que não há quem consiga medir
Essa dor que me maltrata tanto assim
E finalmente nunca terei como impedir
O que lamentavelmente será o meu fim

Mas quando a tarde melancólica cair
E eu não mais entre vocês me encontrar
Deixem o vento vossas almas possuir
Pois talvez nessa brisa eu possa estar

Vaidade


Meu Deus! a grande febre da vaidade
Parece querer se alojar na minha mente
Bem sei que são meus sonhos da mocidade
Mas hoje são a minha realidade, felizmente

E o meu pensamento em louca alegria
Receia em meio a tanto estonteamento
Pois nunca tive a certeza que diria
Este meu sonho não é um alheamento...

E me sinto com a alegria de uma criança
Que brinca e sorri sem mais nada temer
Essa tem sido a minha grande esperança
De finalmente tudo isso poder assim viver

E cada folha escrita representa a minha vida
Onde o acalanto do meu ontem, hoje aflora
Tavez me julguem louca ou até mesmo atrevida
Mas este é o meu sonho que se realiza agora

E muitos outros bem sei que haverei de realizar
E como sempre... na calada da noite irá florescer
Mas sei também que com certeza eu vou encontrar
As dificuldades que mais uma vez saberei vencer

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Triste Caminhada


Hoje sinto o quanto distante
O coitado do meu ontem vai ficando
E meu amanhã será mais insignificante
Pois é o que meu hoje vem me mostrando

E uma cruel e estranha sensação
Vem me consumindo lentamente
E até mesmo o meu cansado coração
Vem dando sinais implacavelmente

E eu já nem consigo discernir
O que tem me causado tanto mal
E me vejo cada vez mais a fingir
Vivendo esse dilema tão crucial

E nas frias e solitárias madrugadas
Quando a alma escancaro sem pudor
É que eu sinto como a tenho magoada
E como dói senti-la com tanto rancor

E nessa desgostosa e triste caminhada
Vou tentando prosseguir mesmo infeliz
Mas receio que nessa minha longa jornada
Essa tristeza que há não foi porque eu quiz

E sinto que essas lágrimas tão amargas
Que copiosas escorrem pelo meu rosto
Deixam a minha alma bem mais marcada
Por todos esses contratempos e desgostos

E como um verdadeiro e afiado punhal
Meu pensamento lembranças me traz
E é quando eu consigo perceber afinal
A tortura da qual me livrar não sou capaz

E a cada vez que sou sem querer despertada
Para essa tão hipócrita e leviana existência
Me irrito, mas mesmo assim permaneço calada
Apegando-me um pouco a inexistente paciência

E desfiro contra o mundo todo esse mal
Que o destino tenta impungir contra mim
Talvez assim eu consiga um pouco afinal
Esperar com tranquilidade pelo meu fim

E nunca saberão quanto mal me fizeram
Nem mesmo porque sofro tanto assim
E tudo o que um dia de ruim me impuseram
Quando eu morrer, finalmente terá fim









segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Apenas Um Amor


Estou ouvindo burburinho abafado
Até parece que estão a confabular
Deve ser o destino muito ocupado
Querendo fazer algo pra me agradar

Então a tristeza chorosa se lamenta
Pois ela sabe que sempre foi muito ruim
Nisso a saudade sempre quieta se ausenta
Ela sabe que terá que fazer algo por fim

Enquanto isso a miserável solidão
Tenta em vão continuar na moradia
Mas o meu trisre e sofrido coração
Precisa receber paz e mais alegria

Então a esperança ressurge altaneira
Querendo a qualquer custo se impor
Ela sabe que nunca será a primeira
A desistir de um verdadeiro amor

E nisso a felicidade até muito risonha
Tenta a todos com muita doçura mostrar
Que essa discussão se torna enfadonha
Se algo não conseguirem logo realizar

Então, retorna a eufórica saudade
Procurando a todos fazer entender
Que a maior de todas as maldades
E não permitir um grande amor viver

E sorrateira penetra em meu coração
Que revela num suspiro a sua dor
Então o amor libertado da solidão
Sai cantando feliz do seu torpor

E juntos o amor e também a saudade
Unidos buscam todas as barreiras vencer
Entendendo que não há distancia nem idade
Apenas um grande amor entre eu e você

A Tudo Vencer


Ouves ao longe um grito silencioso
Que sufocado tenta se libertar
E quando tudo poderia ser grandioso
Mais uma vez o silêncio te fez calar

E cada dia que passa sem certezas
Cheios de vontades e de maior razão
Verás que tudo o que mais almejas
Sem dúvida está oculto em teu coração

E lutarás bem sei até o momento final
Na dúbia esperança de um dia poder
De forma única e também triunfal
Com todos os males poder romper

E terás por certo a grande recompensa
De quem lutou, sofreu e nunca desistiu
E sabemos o quanto foi grande a ofensa
Pois alguém te humilhou, renegou, e feriu

E um dia haverás por certo de ser coroada
Pois o destino finalmente fará acontecer
Foste bem sabemos muitas vezes magoada
Mas conseguirás afinal a tudo vencer

Entre Meus Sonhos


Ando muito triste e pensativa
Meus pés parecem querer parar
Já não sinto forças para vencê-los
Nem tenho mais voz para reclamar
E nesse dilema quase fatal
Triste me convenço afinal
Que esse tem sido meu grande mal
Ter perdido a vontade de lutar

E perambulo entre meus sonhos
E vez por outra os vejo quase ruir
E em vão busco nesses versos que componho
Algo que afinal me dê motivos para sorrir
Mas a lentidão dessa sofrida espera
Me deixa saudosa das minhas quimeras
Pois do que ontem fui,hoje sei que nada era
Por isso minha vida é só fingir

E nesse sofrimento amargo e tão cruel
Sorrio para o mundo escondendo minha dor
Pois sinto que ninguém se importará
Se no meu mundo já não há mais cor
Já não sinto o borbulhar da esperança
Essa se desfez em meio as desconfianças
Que atinge a alma de toda e qualquer criança
Se um dia sentiu ter sido roubado um seu amor

E por mais que eu lute, sinto o fracasso
Que me atinge mesmo sem eu querer
Não importa qualquer que tenha sido o meio
Que eu tenha usado para tentar vencer
já não me importa que eu viva nessa solidão
Nem que não haja mais paz em meu coração
Mesmo que eu já não consiga chamar a atenção
Nada mais faz sentido,se já não tenho mais você

Se pelo menos eu te tivesse, sorriria para o mundo
E apenas por você eu finalmente me realizaria
E tudo aconteceria de um modo tão perfeito
Onde o tudo, o nada completaria
E com certeza ninguém seria mais feliz que eu
O seu mundo se realizaria no meu
O meu mundo se faria no seu
E a felicidade finalmente em mim reinaria

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Ainda Serei Lembrada


Estou sozinha em meio a multidão
Sorrindo triste da minha amargura
Que fez moradia em meu coração
Matando dentro de mim toda doçura

Porém hoje se tento sorrir ensaio caretas
Por mais que eu tente,sei não devo insistir
Pois ninguém percebe essa fisionomia grotesca
É que eu sempre a escondo pois vivo a fingir

Sempre finjo que para mim está tudo bem
Que nada do que me acontece pode ser ruim
E se não percebem é porque não há ninguém
Que preste verdadeiramente atenção em mim

E cada lágrima que vivo sempre a esconder
Tentando num falso sorriso alegria demonstrar
Para mim o que dói mais, é por ninguém perceber
Do que mesmo essa dor que vive a me machucar

Um dia talvez percebam o que hoje falo
E o que sempre tentei de algum jeito vencer
Mas hoje vencida por tanta dor me calo
E sei que me entenderão depois que eu morrer

Aí já não fará diferença, e nenhum sentido
Querer entender o que nunca conseguiram
Para mim já não importa,pois apenas comigo
Levarei os aplausos que nunca explodiram

E levarei para sempre na alma, gravada
Cada palavra que contra mim foi desferida
Mesmo assim eu sei que ainda serei lembrada
Por cada situação que por mim foi vivida

Muitos dirão que mais nada há a fazer
E com saudades, alguns de mim se lembrarão
Mas o que será que dirá aos outros, você
Ao sentires que libertei-me afinal da solidão

Tempo De viver


Tenho percebido uma sensação estranha
Um vazio enorme e inquietante me domina
E já percebo meu espírito em campanha
Mexendo com a minha calma em surdina

E me convenço que a cada dia que passa
Esse meu martírio,tão cedo não terá fim
E nada do que eu sinta ou mesmo faça
Conseguirá tirar isso de dentro de mim

E lentamente como num entardecer
Meus olhos pesam e os sinto fechar
E sinto como se eu fosse enfim morrer
E meus sentidos parecem me abandonar

Olhos semicerrados pareço não mais viver
E em débil agonia ouço meu espírito lutar
Ele por certo entende não ser esse meu querer
O que minha alma precisa é um pouco de amar

Amar cada luta que muitas vezes me vêm
Amar cada dia que nem sempre me vem a sorrir
Por certo muito mais vida para mim tem
E talvez já nem precise mais tanto fingir

Mas meus pensamentos em louca balbúrdia
Me desperta tentando me fazer compreender
Já não importa quão seja a ideia estapafúrdia
Ainda me será chegado o tempo de bem viver

sexta-feira, 30 de outubro de 2009

À Menina Agatha



Que encanto de menina é a Agatha
Em seu rostinho tão meigo
Reluz o que tanto chama a atenção
Pois no seu despretensioso jeito
Há bem mais que emoção pura
Pois nessa beleza de grande candura
Hoje só há espaço para travessuras
Nesse existir de modo tão perfeito

E em seu olhar tão doce e lindo
Brilha o encanto da inocente vaidade
Nesse olhar semicerrado para o mundo
Mas que despertará com a chegada da idade
Porém, o que se abriga nessa inocência
Só mesmo a natureza com sua paciência
Libertará sem muita insistência
No desabrochar dessa flor para a realidade

Mas para o seu hoje, o seu agora
Muitas peraltices ainda irá curtir
Seu tempo de adolescente ainda não chegou
E muito ainda há para brincar e sorrir
Pois os anos logo passam
As brincadeiras breve acabam
Os sonhos infantis se calam
E assim Agatha, outros sonhos hão de vir

quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Minha Eterna Criança


A Kelsinha é uma menina tão meiga
E apesar da pouca idade, madura também
Sempre sabe esperar a melhor hora
Para tudo resolver,quando lhe convém
Não estou com isso querendo dizer
Que ela nunca está pronta pra aprender
E que as vezes erra sem querer
Mas é que ninguém é perfeito,meu bem

Eu a acho uma menina tão bonita
E as vezes esqueço que ela já cresceu
Mas quem é mãe entende o que digo
Pois o tempo passa e a gente nem percebeu
Mas não importa o quanto eu a ame
A preocupação as vezes nos consome
Pois não sabemos se a vida lhe será infame
Nem qual o destino que será seu

Mas eu creio que tudo na vida
Tenha uma grande razão de ser
Não serão meus temores que fará
Algo deixar de acontecer
Pois quem tem um Deus na vida
Não terá para sempre a alma ferida
Pois será eternamente dele,a querida
E a Ele só terá à agradecer

Oh! filha linda e amada
Minha eterna criança
Foste por Deus escolhida
Que em ti reine sempre a esperança
Pois para o teu futuro vejo alegrias
Muita paz e também harmonia
Que encherão todos os teus dias
Colorindo cada uma das tuas lembranças

Jóia Preciosa


Eu tenho uma menina
Que é bastante criativa
As vezes é muito azougada
Cabeça quente e faz birra
Mas para quem a conhece
Seu jeito quase sempre enternece
Disso a maioria logo se apercebe
Principalmente se dela precisa

Falo da Kelren e seus encantos
Apesar de ser muito teimosa
Também me dá um pouco de trabalho
Por ser também bastante geniosa
Mas nessa vida tenho a certeza
Ter uma filha com tanta presteza
É uma benção da natureza
É com certeza uma jóia preciosa

E ela é tão dócil com a jurema
Sua gatinha de estimação
Dedica-lhe um cuidado imensurável
Pois tem por ela muita afeição
E eu falo sem medo de errar
É muito bom com ela conversar
Afinal em psicologia já vai se formar
E quando ela quer sabe ser só atenção

Quase Sem Vida


Há alguns dias que me sinto estranha
Sem compreender o que acontece de fato
Bem sei que não é sentimento de manha
Vai mais além de uma falta de abraço

Uma grande e estranha tristeza me assalta
Sinto uma solidão oprimindo meu peito
Tudo, e ao mesmo tempo nada, me faz falta
Para entender tudo isso, realmente não há jeito

As vezes me sinto meio inerte, quase sem vida
Em outras, ouço o bradar da vida que me desperta
E se procuro fugir já não encontro nenhuma saída
Então eu me escondo da vida na primeira fresta

Me perco em delírios,aí me vêem os sobressaltos
Ouço gemidos de minha alma já quase morta
E no obscuro e inquietante silêncio do meu quarto
Percebo que a minha volta muito pouco me importa

E debruço soluçante no parapeito da vida
Perdida em inquietações mergulho no nada
E sinto o coração triste e a alma tão ferida
Mas me fecho para o mundo e fico calada

Há tanta amargura em meu mudo protesto
Há tanta dor em meu sorriso apagado
E para tanto sofrimento já nada manifesto
Pois tudo permanece quieto, enclausurado

terça-feira, 27 de outubro de 2009

Uma Boa Amizade


Acontecem tantas coisas na vida
Que me faz de muitas outras duvidar
Mas uma boa amizade, assim sentida
Penso que deve para sempre perdurar

Não sei se as varias facetas da vida
Ou mesmo determinadas incompreensões
Talvez a falta de tempo pelas grandes lidas
Mas seja qual for o motivo, angustia corações

Nos tempos, há bastante idos
Havia sempre tempo e situações
Hoje já não restam nem fúteis motivos
Nenhum que seja, nem mesmo emoções

Emoções que possam ser partilhadas
Não importando de quem seria
Bastando ter a amizade preservada
Deixando fluir essa grande magia

Mas um dia julguei que essa nossa amizade
Nunca seria por nenhum de nós abalada
E mesmo que os anos passassem, nunca a idade
Faria essa amizade ser ao esquecimento relegada

Mas esquecemos que a tribulação do dia a dia
Põe à prova todo e qualquer sentimento
E não foi diferente com toda a linda magia
Que se traduzia nesse nosso envolvimento...

Envolvimento sempre tão puro e perfeito
Que requer uma grande e sincera amizade
Amizade onde prevalece o mútuo respeito
E nessa amizade uma sincera fidelidade

Mas hoje... Quando a labuta fala tão alto e feroz
O nosso presente esquecido me parece tão passado
Que o nosso passado tão presente dentro de nós
Será devias, por nós dois muito mais lembrado

E muitos outros momento se farão de ausência
Mas o esquecimento entre nós não deve permanecer
Pois não terei por muito mais tempo tanta paciência
Que eu não me atreva ir buscar um pouco de você

sexta-feira, 23 de outubro de 2009

Ao Querido Diogo


Diogo é um jovem bastante extrovertido
Tem a mente de adulto e coração de criança
E nesse seu jeito simples e um tanto atrevido
Ainda resplandece em seu olhar a esperança

Esperança para os sonhos que irão se realizar
Para a grande jogada da sua existência
Em seu futuro com certeza haverá um brilhar
Que será adquirido com esforço e paciência

E no futuro desse jovem amigo e companheiro
Que a dor se faça ausente em todos os momentos
E vença sempre em ti a força de grande guerreiro
E nunca entre os amigos caias em esquecimento

E bendito seja teus sonhos e tuas verdades
E o teu porvir reluza por sobre teu ser
E hoje com toda a minha simplicidade
Quero desejar muitas felicidades pra você

E que esta alegria espontânea e nunca rara
Transborde de um jeito simples e sem par
Nos mostrando de forma bastante clara
Toda a grandeza que a tua alma tem a revelar

E desejo não apenas para hoje, mas para sempre
Que os teus desejos possam se realizar
E que ao menos hoje, te portes de forma decente
E o professor possa tranqüilo, a aula nos dar.



Brincadeirinha... te adoro de montão...
Parabéns e muitas felicidades,
Com o meu carinho muito especial,



domingo, 18 de outubro de 2009

Noites Mal dormidas




Foram tantas noites mal dormidas
Perdidas... jogadas fora
Mas foi no meio dessas idas e vindas
Que resultou no que sou agora

Foram tantos momentos de anseios
De incertezas e também de medos
Sempre buscando por qualquer meio
Mas que hoje não mais me atrevo

E durante anos me fiz forte
E meus desejos aprendi a ocultar
Mas também tive momentos de sorte
Dos quais já nem sei se devo lembrar

Mas hoje, parece que finalmente
Um certo desejo já o tenho realizado
Mas bem sei que só com o tempo,certamente
Terei as frustrações e os medos enterrados

Porém para agora, poderei dizer
Que muito ainda tenho por realizar
Isto, se o Criador assim me permitir viver
Até lá não sei qual terei que sepultar

Se meus sonhos que ainda faltam concretizar
Ou se a vida terá chegado seu instante final
Seja qual for a situação que eu me encontrar
Terei por certo que algum sonho meu foi real

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Precisei


Na vida existem grandes momentos
Que o tempo se encarrega de levar
E muitas vezes fica o arrependimento
Por algo que um dia deixamos de realizar

E quando as lembranças são revividas
Através de um temal banal qualquer
Pode vir à tona situações existidas
Que ofende minha essência de mulher

E sofro quando algo me leva a pensar
Em tudo que nessa vida já passei
Quem dera que nada me fizesse lembrar
Situações que um dia ter esquecido pensei

Mas infelizmente nem todos são iguais
Há pessoas que lembram com indiferença
Mas para meus sentimentos, esses, especiais
Eu fazia de cada um deles a minha crença

E hoje cada lembrança que me vem
Nem sempre saudades consigo ter
Pois há momentos que ainda contem
As amarguras que eu precisei viver

Para Quê?


Para que saber a minha idade?
Isso só aumenta o meu sofrer
Ela sufoca minha débil vaidade
Revelando que sou mais velha que você

E esta é uma pergunta tão curiosa
Eu diria até quase que banal
Mas para quem já foi tão vaidosa
Esta é mesmo uma pergunta crucial

Este é um momento que me aflige
Que me tira o desejo de sonhar
Ela de tal forma me atinge
Que começo logo a me perguntar

Por que saber da minha idade?
Que diferença isso irá fazer?
Apenas me mostra a desigualdade
Que ainda existe entre eu e você

Nada Importa


As vezes na brisa que sopra lentamente
Um perfume suave me lembra você
Fecho os olhos e as imagens suavemente
Me recorda momentos sem eu querer

Foram momentos para mim tão perfeitos
Que bem sei ser impossível mitigar
Pois cada lembrança preenche meu peito
E então só me resta de saudades chorar

E para cada momento assim vivido
Minha mente atordoa ao relembrar
Serão tempos jamais esquecidos
Onde eu posso livremente sonhar

E debalde tento dos sussurros fugir
Sussurros que vivem a me atormentar
Eles lembram o tudo que pude usufruir
Quando ao teu lado não precisava sonhar

E essa brisa que as vezes me toca
Me entorpece e me faz assim delirar
E sinto que mais nada me importa
Se já não te tenho para comigo estar


Meio Perdida


Hoje me encontro tão aflita angustiada
Que os meus sentidos se fazem sem vida
Esse medo de tomar uma decisão errada
Neste meu sonho,que é meta a ser cumprida

E tento em agonia alguns rabiscos
Mas a mão pesa e o pensamento foge
E por mais que eu tente,não consigo
As ideias se perdem,a inspiração tolhe

E me sinto perdida com a mente em rodopios
Então, esquecer de tudo me parece a solução
Contudo eu sinto que já não importa o desvio
terei machucado do mesmo jeito meu coração

E continuo com meus pensamentos divididos
Tentando encontrar uma razão qualquer
De não me fazer perder da vida o sentido
Não importando a solução que eu escolher

segunda-feira, 12 de outubro de 2009

Meu Sofrimento


Meu Deus! Como é grande esse tormento
Já não posso me obrigar a prosseguir
Sem um desabafo ou mesmo um lamento
A cada novo dia que venha a surgir

E sinto uma estranha e cruel letargia
Que me incomoda e me consome
Eu preciso de um pouco de alegria
Pois de viver eu sei que sinto fome

E em meio a meus estranhos devaneios
Vou me perdendo em dores e pensamentos
E sinto que não consigo nenhum outro meio
Nenhum outro que me leve ao esquecimento

E cada lágrima que triste vou vertendo
Sinto-as queimando com grande ardor
Talvez nem elas sintam que nesse momento
Não existe maior sofrimento para essa dor

E perdida busco com ansiedade um por quê
Que mostre o que me acontece de fato
Porém vejo que é até muito simples entender
O motivo maior desse tão grande maltrato

E me entrego às dores em silêncio profundo
Tentando em pensamentos algo amenizar
E sofro ainda mais quando consigo perceber
Que nada do que eu faça, isso eu vá mudar

E é latente o desejo ao qual quieta mergulho
E as indagações me vêm aos borbotões
Mas se no caminho há tantos pedregulhos
Será muito difícil resolver minhas questões

E novamente me ponho então a pensar
E em meio a esse tão grande sofrer
Percebo que mesmo que eu venha a calar
Meu sofrimento se resume na ausência de você

Segredos


Mas que abraço gostoso e esfuziante
E esse beijo tão inocente e tentador
E essa voz tão cálida e inquietante
Juro-te é por demais provocador

E esse olhar que esconde segredos
Que aos poucos parece querer revelar
Mas é essa tua voz que me causa medo
Medo de sentir minha essência despertar

E esse semblante assim tão amoroso
Até parece meus pensamentos invadir
E cada gesto teu inocente e langoroso
Aos poucos deixa seu desejo sucumbir

Mas é nesse teu carinho e nesse teu abraço
Que faz o meu coração calmamente perguntar
Se o que vejo em teu semblante de cansaço
Não seria motivo para fazer-me sonhar ?

quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Homenagem À Vocês Professores


Lembro que no meu tempo de criança
Era grande o respeito que se tinha ao professor
Pois cada mestre representava a esperança
De um mundo sempre melhor e também promissor

Mas eis que o tempo foi passando
E muita coisa bem sabemos, também mudou
A educação já não mais estão valorizando
Já não há mais aquele respeito pelo professor

Hoje em dia eu mal posso acreditar
Em muitas coisas que vejo acontecer
E se queremos em seu dia lhe homenagear
E receio que seja muito pouco a lhes oferecer

Mas nos é chegada uma bela oportunidade
De a esses mestres um pouco honrar
E começo pelo prof. Rogério,que com seriedade
A língua portuguesa gosta muito de ensinar

Eis aqui o nosso querido professor Ramos
Que com muito amor ensina matemática
E ao professor Marcelo a quem também honramos
E ele ensina a mesma matéria com outra didática

Já na física temos o Diomedes por mestre
Que essa matéria leciona com louvor
Enquanto que ao professor Carlos compete
Ensinar história com muito fervor

O professor Cristiano dá aulas de geografia
O que ele faz até com muita competência
E também tem a profª Euzelinda que com alegria
Ensina a mesma matéria e com muita experiência

A professora Graça que é um Ás em português
Se dedica ao assunto com bastante amor
Mas falo agora na glória professora de inglês
Que tem abraçado essa causa sem nenhum temor

Já a profª. Veruschka está lecionando ciências
Que é um assunto até bastante interessante
E a Andrea ensina biologia e com muita prudência
Mostra os cuidados com a saúde e a vida estressante

A Julie é uma excelente professora de geografia
E essa é uma matéria que ela domina muito bem
E também temos a profª. Márcia que com primazia
Mostra seus conhecimentos em química também

Mas se voltamos à nossa língua portuguesa
A Juliana temos repassando seus conhecimentos
Mas também vale lembrar que em língua inglesa
A Valéria leciona com perfeito entendimento

Ainda temos mais um alguém lecionando biologia
Se trata da Eliuma,uma professora muito dedicada
E ainda tem a Michelline que com entusiasmo e alegria
Faz da química uma matéria até muito bem aproveitada

Então eu pergunto a cada um de vocês nesse momento
O que seria do nosso povo e da nossa grandiosa nação
Se não fosse os professores que sem arrependimento
Se dão sem nenhum receio nessa árdua profissão

Que as vezes tristes trabalham com muita alegria
Sempre buscando dentro de si o melhor para dar
Que vivem com a mente e o coração em sintonia
Tentando até com muito orgulho seu amor demonstrar

Que ao menos hoje nós possamos com gratidão festejar
Esse dia especial a esses profissionais competentes
Que sempre estão buscando seus conhecimentos aprimorar
E sem medir esforços, em prol desse país e de sua gente





segunda-feira, 5 de outubro de 2009

A Minha Babi


Há tanta alegria estampada
Nesse teu rostinho tão lindo
Foi o que deixou minha vida marcada
Transbordante de amor e carinho

Gabriela, quando tu chegaste
Trouxesse para mim muita alegria
E o meu mundo também deixaste
Com muito mais brilho e harmonia

E a cada novo dia que surge
Onde te contemplo a crescer
Percebo que a minha maior virtude
Foi por amor te deixar nascer

E tem sido para ti minha pequena Babi
Que em especiais transformo meus dias
E sou grata a Deus por te ter aqui
E transformares minha vida em alegrias

E eu sei que hoje a minha vida
Tem reluzido como um filão de ouro
E se a tenho transformada em bendita
É por ser a Gabi, meu rico tesouro

sábado, 3 de outubro de 2009

Sempre Fingindo


Quase todos os versos que escrevo
Traz nas entrelinhas uma certa tristeza
Não é exatamente isso o que eu almejo
Mas é isso o que eu sinto com certeza

Nas frases pode faltar harmonia
Pois nem sempre busco aprimorar
Mas o fato de não ter neles alegria
Não significa que vivo a chorar

Mas é de tristezas em tristezas
Que ainda consigo um pouco sorrir
Não importa se nessa vida há rudezas
Pois nos meus versos não consigo fingir

E tem sido assim a minha existência
Muitas vezes no rosto um riso se abrindo
Mas a minha alma tem por triste permanência
De viver a agonia de estar sempre fingindo

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Um Amigo Perfeito



Como fiquei feliz em rever
O meu querido professor Adriano
Um amigo perfeito para se ter
Um alguém a quem realmente amo

E num lance de retrospectiva
De suas aulas com saudades lembrei
E é sem dúvida pessoa muito querida
Pois foi isso que eu logo constatei

Eu o conheci num grande momento
Quando a minha vida resolvera mudar
E digo sem nenhum constrangimento
Com simplicidade aprendi a lhe amar

Amei esse professor tão espontâneo
E o lado amigo logo se apresentou
E não foi algo apenas momentâneo
Foi uma amizade que logo se firmou

A minha passagem por essa escola
Foi de um verdadeiro aprendizado
Tudo que me aconteceu foi bem na hora
E tive pessoas abençoadas ao meu lado

Professor, bendito dia em que o vi
E eu ainda me sinto aluna e amiga
Pois com você eu muito aprendi
E descobri o valor de uma vida

E hoje ao vê-lo saindo dessa biblioteca
Senti uma dorzinha aqui no meu peito
Mesmo estando com o semblante em festa
Senti-me um pouco triste, não teve jeito

Mas sabemos que a vida é mesmo assim
Porém essa amizade e sincera afeição
É algo muito forte dentro de mim
O que deixa muito feliz meu coração

Obrigada por ter acontecido na minha vida
E a ela ter sempre contribuído para crescer
Hoje da vida sou também muito agradecida
Por ter no meu aprendizado,simplesmente você

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Metodologia



P or Deus! mas que assunto chato
R econheça isso professor
O senhor carrega é um fardo
F adado a causar-me horror
E tudo por eu não conseguir entender
S ua matéria, que percebo vai me deixar
S em juízo ou até mesmo gagá...
O nde essa ideia fui conceber?
R ealmente não consigo explicar

R egistro agora meu bom professor
I ludir-me não vai adiantar
C laro que seus assuntos têm sido um terror
A lcançar o que o senhor vive a explicar
R ealmente pra mim é coisa de outro mundo
D eixa ver se quando o tempo passar
O meu entender se faça, mesmo que não seja profundo

A té lá que que não acabe sua paciência
N ão sei também se ainda vou suportar
D epois dessa penosa experiência
R econheçamos que foi duro aguentar
A s sua aulas professor, mesmo sem intransigência
D emoraram para acabar
E ita assunto cabuloso. Só o professor se pode salvar

segunda-feira, 28 de setembro de 2009

O Que Dizer


O que dizer das profecias
Que as vezes nos arrepia
Mas que consegue com alegria
Deixar tudo em harmonia.

Mas oque dizer de cada momento de agonia
Que ainda faz sentir-se livre quem vivia
No alheamento de suas fantasias
Que sem querer tornou-se um diad
A atenção de quem tanto queria
Libertar um sonho quue jazia
Agonizando pelas periferias.

Mas o que dizer de quem pensou que já sabia
Ter visto tudo o que poderia
Na tentativa de salvar um sonho que morria
Atrofiado pelos muitos momentos que o coibia.

E o que dizer pra quem já presumia
O que tudo representaria
Para quem duranre anos também sufocaria
A sua mais preciosa teimosia

Num desejo que aos poucos sucumbiria
Diante da grande tirania
Que foi trazida por uma estranha ventania.

O que dizer, ao ver que tudo desmoronaria
Sem notar que por cada sorriso que pedia
Alto preço pagaria
Contudo porém, tudo ainda valeria
Pois salvar um sonho que se consumia
Era tudo o que nessa vida valia

Sem Temor


De olhos fechados ouço o tempo
Que parece estar de volta,como outrora
Só que ele chega sem meus tormentos
Estes se perderam entre o passado e o agora

E sinto receios de meus olhos abrir
E não conseguir o meu tempo reter
Sinto então nos lábios um leve sorrir
É que o meu pensamento tudo faz deter

E mergulhos em minhas reminiscências
Aos poucos e com calma tudo vou sorvendo
E com muita tranquilidade e paciênca
Busco o que realmente estou querendo...

... Reviver cada um desses momentos
Que de alguma forma me fizeram crescer
Bem sei que errei em alguns julgamentos
Mas tudo só serve para podermos aprender

E hoje do tempo não sinto mais temor
Aversão por algumas coisas, isto sim
Aprendi que só mesmo por e com amor
Se vence a tudo e a todos enfim

domingo, 27 de setembro de 2009

Como Agradeço


Eis que uma brisa sopra suave
Limpando tudo em derredor
Ela chega bem de mansinho
Tornando o pequeno maior
Escutaram meus gritos de apelo
E o destino com grande desvelo
Mostrou-me com apurado zelo
Que mais uma vez não estou só

E sinto em meio a essas derivas
Que meu grito se fez ouvir
Ningém deve parar um destino
Que Deus resolveu permitir
E triste vi passar muitas primaveras
Mas contiuei esperando por essa quimera
Pois para quem não desiste e sempre espera
Chega também o dia de Deus agir

Bendita seja cada uma dessas mãos
Que com carinho para mim se estendeu
Decidiram lutar comigo por este sonho,
E a ele prontamente, um a um socorreu.
Que se perpetue essa alegria
Pois foi nessa perfeita harmonia
Que essa corrente se fazia
Mostrando que meu sonho não morreu

Obrigada a todos,

Gel,Amarília Couto, Loloy, Tio Dedé e Fia, Mauro, Gorete, Lulu, Dida,
Umberto, Nathália, Edson, Nathalie, Bóris, Fanny, Nilza, Izabel, Ciro,
Severino(Biu), Cínthya, Danniele, Fabinho, Sr. Texeira, Cristiano, Sr. Maia,
Sóstenes, Moisés, Karen, Adeilson, Ahsley, Carlinhos, Andrey, Karla,
Kellen, Ernandes Jr, Elineide, João, Judite, Elaine, Joel, Ravena, Mayara,
Bárbara, Janayna, Zelma, Murilo, Marinalva, Carolina, Danilo, Generosa e
Sr. Carlos, Nando, Fábio Henrique.

Não Matem Meu Sonho


Não deixem meu sonho morrer
Não me torturem em vão
Será que é tão difícil entender
O que vai no meu coração?

São alguns dos meus sonhos contidos
Que aos poucos vejo caindo ao chão
Percebam que não faz nenhum sentido
Querer matar de vez minha ilusão

E bem maior se torna a minha mágoa
Perceber que muito pouco posso fazer
E mesmo não querendo perder a calma
Me desespero ao ver meu sonho esmaecer

E no auge dessa minha tão grande agonia
Grito, esperneio, mas logo eu me calo
Então eu peço, não entristeçam minha alegria
Apenas respeitem esse meu triste desabafo

Que não aplaudam esse meu grande ideal
Meu sonho de minhas palavras imortalizar
Pois não tomarei nenhum de vocês por desleal
Mas também não queiram este meu sonho matar

E que cada palavra que hoje escrevo
não passe na verdade de um desabafo
Eu falo não é apenas por sentir medo
É querendo por pra fora o que guardo

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Singela Homenagem


À Querida Carminha

Eu hoje parei para pensar em você Carminha
E no quanto eu a acho assim, tão especial
Se porventura você vem a se sentir sozinha
Ainda assim fazes esse momento essencial

Essencial para as suas profundas meditações
Que bem sei longe estou eu de alcançá-las
Porém, através de você busquei inspirações
Onde eu pudesse de forma simples homenageá-la

E foi refletindo que descobri ser em vão
Querer encontrar palavras para me expressar
E mesmo em toda a minha despretensiosa admiração
Nada do que busquei consegui por fim encontrar

Então optei por uma forma mais simples e clara
Mas que de alguma forma lhe provocasse emoção
Talvez eu não fosse tão feliz só com a fala
Então em forma de poema lhe dou o meu coração

Carminha, você é para mim um grande exemplo
De meiguice, carinho,amor e também abnegação
Eu queria simplesmente deixar mais a contento
Cada batida perfeita desse seu rico coração

Eu sempre nutri por você uma grande admiração
Mas hoje eu vejo que por maior que esta seja
Jamais conseguirá atingir o grau de perfeição
Que Deus a você proporcionou em Sua Grandeza

terça-feira, 15 de setembro de 2009

Agradeço




Ao Professor José Domingos Ramos

Professor Ramos nos ensinou matemática
Matéria que tive dificuldades em aprender
Mas ele tem uma atenta e perfeita didática
Criando familiaridade entre a matéria e você

E durante o curso foram muitas as ocasiões
Que eu pensei seriamente em não prosseguir
Mas foi com muito jeito e também atenções
Que Prof. Ramos me incentivou a não desistir

E me vejo hoje realizando o meu sonho
Mas na faculdade sempre fico a pensar
E sinto que nestes versos que componho
É muito pouco pra quem só fez me ajudar

Mas agradeco de coração ao Prof. Ramos
Pois se mais um degrau nessa vida galguei
E se me vejo nesse mundo de muitos encantos
Não foi apenas porque assim eu muito desejei

Foi necessário muita paciência e dedicação
Que tive com muito esmero desse professor
Hoje agradeço com versos trêmulos de emoção
A esse homem que exerce a profissão com amor

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

Meu Mundo


Se eu pudesse abraçar o mundo
Nesse abraço eu iria resumir
O amor e de modo tão profundo
Que você nunca pensou sentir

E entre sonhos e inquietações
Vibrar com você eu ia mais querer
E seria em meio a essas emoções
Que eu iria bem mais ter você

E em cada toque sempre tão sentido
E em cada desejo bem mais aflorado
Eu iria sempre fazer-lhe um pedido
Nunca deixes meu coração amargurado

E sentiríamos de forma descomunal
Esse desejo louco e avassalador
E saberiamos que nunca haveria igual
Pois isso só existe num verdadeiro amor

E se em dado momento o sentisse fraquejar
Eu uma vez mais iria lhe fazer entender
Que nunca lhe seria então permitido calar
Pois o meu mundo se resume a mim e a você

Brindemos


Percebo que em cada palavra não dita
Foi se ofuscando aos poucos a esperança
E mesmo que mais nada para nós persista
Pois morreu com certeza minha confiança

E esta aos poucos ia sempre se fortalecendo
Nesse teu olhar terno e nesse largo sorriso
E com teus gestos sempre ia a tudo enaltecendo
E crescia os meus sonho que eu sempre tinha crido

Hoje já não importa mais que a esperança se esvai
Nem mesmo que meu peito soluce triste e calado
Porventura um dia se lembraram de contar os ais
Que meu peito aplacou tantas vezes emocionado?

Mas agora a cada momento que vejo por mim passar
Penso em toda ternura que um dia nos envolveu
E vejo quanta inquietude pairando nesse teu olhar
E sinto que toda aquela doçura no tempo se perdeu

Brindemos pois aos muitos sonhos que em nós ficou
E as contagiantes alegrias que um dia juntos vivemos
As fantasias em nossas vidas bem sei, muito nos marcou
Mas por tudo que vivemos,por esse amor,apenas brindemos

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Doce Fascínio


À Garota Silvia Elayne


Ela tem um olhar bastante meigo
E um sorriso muito doce e cativante
Bem sei que não há ninguém perfeito
Mas a Silvia é realmente interessante

Sempre com um sorriso nos lábios a bailar
Deixando seu semblante ainda mais inocente...
E tenho por certo que nunca a viram reclamar
De algo que porventura não procedesse realmente

Nessa menina podemos ver muita delicadeza
O que nos faz lembrar de uma inocente criança
Com certeza em seus princípios aflora fortaleza
Que deixa transparecer muita garra e esperanças

Mas bem sei que por traz de tanta soberana meiguice
Há uma mulher, extremamente pela vida apaixonada
Talvez o seu fascínio esconda a fase das peraltices
Mas revela toda a doçura dessa mulher determinada

E é assim, dessa forma, que a menina Silvia eu vejo
Um corpo de mulher com sorriso e olhar de criança
E na firmeza de cada um dos seus muitos desejos
Brilhará com certeza a grandeza de cada esperança

quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Amigo



Eu gostaria muito que pudessem entender
o verdadeiro significado da palavra amigo...
Pois no meu entender, amigo para mim é você
Essa pessoa maravilhosa, esse homem contido
Um ser absoluto, difícil de achar, fácil de ter...

Amigo, amante, ou mesmo um irmão
Amigo, repeitoso, tão dado e interessante
Amante, só mesmo em doentia imaginação
Pois existe um termo bastante agravante
Amante, adoeceria um tão puro coração...

Irmão bem sabemos nós o somos desde então
E entre nós existe afeto grande e verdadeiro
Respeito mútuo que nos revela grande satisfação
E ainda querem então, destruir assim por inteiro
Sentimento tão puro, sem nenhuma possível razão

És o homem mais sensato, o amigo tão perfeito
Que um dia o destino na minha vida colocou...
Que me importa se há quem chegue sem jeito
E não consiga perceber que esse nosso amor
É um sentimento que não se pode achar defeito

Não aceito que por inveja ou apenas maldades
Outros, respingue em nós o que a alma lhe corroe
Pois a melhor coisa que existe ainda é a saudade
Quando esta, em nosso coração suavemente dói
Então nos falamos,ou nos encontramos pela cidade

E é tão bom poder lhe ver, ouvir e me maravilhar
Saber que é hora de mais uma vez apenas querer
Com toda a simplicidade dividir e também somar
Problemas,alegrias, e acima de tudo poder perceber
Que nada no mundo conseguirá um dia nos separar

Esqueça suas decepções, suas invejas ou desamor
Entre Sérgio e eu, tudo se fez grande e também perfeito
Fique você com seus desencantos, pois em sua dor
Descobrirás que nada na vida te dá qualquer direito
De querer destruir algo tão perfeito quanto esse amor


sexta-feira, 14 de agosto de 2009

Profundezas De Um Olhar



À Maria Eugênia

Eu conheço uma garota, a Geninha
Portadora de traços bem delicados
Mas, para grande surpresa minha
Cada gesto seu é muito bem pensado

Possui uma inteligência primorosa
O seu futuro com certeza será promissor
Ela demonstra também ser muito vaidosa
E no sorriso revela um jeito provocador

E se imagino para ela uma comparação
Eu lhe compararia a delicadeza da flor
Dos sentimentos a mais pura emoção
E do arco-iris as nuances de cada cor

Geninha tem na profundeza do olhar
Os mistérios que envolve a natureza
Sinto até dificuldades para falar
Um termo que defina essa beleza

Ela guarda consigo uma superioridade
Mesmo em meio a tanta singeleza
E não importando a sua pouca idade
Pois é da sua alma que brota essa beleza

terça-feira, 4 de agosto de 2009

Esperanças Perdidas


Sempre à espera de um sorriso
De um afago gentil e carinhoso
Ou mesmo de um gesto amigo

Mas só tive gestos desdenhosos
E um silêncio amargo e cruel
Nunca algo bom ou apenas generoso

Sentimentos sempre os tive fiel
Mas meu cálice sempre transbordante
Apenas e tão somente de puro fel

Mas o gesto aconchegante
Ou o sorriso calmo e matreiro
Se perdeu nas fendas do horizonte

E onde foi que ficou você?
Minha paz e meus desejos
Você os obrigou a se esconder

Meu olhar vago num lampejo
Aquiesce ao que não veio
E tem subjulgado seus desejos

Tudo se perdeu nesses anseios
E como numa breve visão
Se despede do mundo sem receios

Deixa de bater por você meu coração
É que se perderam todas as esperanças
Vindo a morrer sufocada minha emoção

Minha Máscara



Ao sentir o gosto tão amargo
Dessa lágrima que está a correr
Percebo que essa minha máscara
Revela meus sentimentos por você

E haja sofrimento a ser sofrido
Angústia que me maltrata assim
Não consigo fingir meu fingimento
É uma dor que o tempo não põe fim

E esse sorriso que estampo no rosto
Apenas esconde o que trago na alma
E querer não revelar isso a você
Me fez perder toda essa fingida calma

E nessa infrutífera tentativa de ocultar
O que a minha face sem querer revela
Eu penso que toda essa minha tristeza
Também não posso lhe culpar por ela

E nessa cruel tentativa de querer esconder
O que essa minha máscara em vão insiste
Deixo que apenas eu ainda por tudo sofra
Já que meu coração de te querer não desiste

domingo, 2 de agosto de 2009

Guardo Tudo Na Alma



O vento que sibila lá fora
Parece até querer me chamar
E eu sei não será também agora
O momento de por fim parar

Nas conquistas da vida deixei
Muita coisa ainda por terminar
Mas contudo eu muito bem sei
Que o melhor da vida é sonhar

Sonhar com um mundo quase perfeito
Que só trouxesse prazer e alegria
E deixando aflorar de vez do peito
Cada riso que no ar por certo espocaria

E o toque quase cálido e suave dessa brisa
Cede lugar ao toque indiferente do esquecimento
E sorrateiro como uma cobra que apenas desliza
Vejo o rastejar miserável e tedioso do tempo

E perdida entre sentidos tão contrafeitos
Lanço um olhar que por certo muito pouco diz
Um olhar que não revela o que trago no peito
E que não permite sentir-me nenhum pouco feliz

E involuntário meus sentimentos que hoje agoniza
Marca por sua vez o que em mim insiste em ficar
E cada sentimento no tempo trazido como uma brisa
Guardo no coração sem nem sequer pensar em sonhar

Finalmente


Nessa angústia, hoje quase crescente
Vi meu mundo aos poucos desmoronar
E nos momentos as vezes contentes
Percebi que em todos me deixei enganar

Iludida eu sempre ia buscando
O que me levasse à uma euforia
Sem conseguir perceber no entanto
Que era tudo uma falsa alegria

E hoje quando finalmente aceitei
Que nada mais pode me enganar
Nesse mundo de tristeza vislumbrei
Algo que pode a tudo isso salvar

E em meio a um turbilhão de sensações
Eu sinto que da vida algo posso reter
E é por saber que nesse mundo de ilusões
Existe alguém que não quer me ver sofrer

E sou invadida por uma onda de esperanças
E nesse meu mundo de pouco poder sentir
Sinto que essa minha tão grande confiança
É por ter a certeza que ainda posso sorrir

Sorrir para uma nova vida posso até querer
Mas meu desejo é abraçar-me a essa conquista
Me despertando para eu poder finalmente viver
Essa emoção que bem sei há muito se acha contida

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios