quinta-feira, 20 de abril de 2017

EU ACREDITEI


Houve um tempo em minha vida
Que eu acreditava em tudo que ouvia
Mas logo descobri serem palavras fingidas
Pois sentimentos era algo que não existia

Por muito pouco não acreditei em papai Noel
E em outras fantasiosas histórias de pura ficção
Tudo me parecia tão puro, tão verdadeiro, puro mel
Como fui tola... Deixei ser enganado meu coração

Hoje já não existe nada que lembre aquela menina
Tão sem maldades e que por isso alto preço pagou
Perdi-a nessa vida e já nem lembro em qual esquina 
Possivelmente naquela onde mais encontrou a dor

Tantos momentos sonhando com a tal da felicidade
Sem sequer imaginar que eu não passava de brinquedo
Fui muito tola, pois nada justifica, talvez pela idade
Achei que de nada mais eu poderia sentir qualquer medo

Agora em meu coração nada existe que pareça belo
O tenho fechado para qualquer tipo que seja de emoção
Não mais o verei como um depósito de sentimento singelo
Pois quando menos esperei tive assassinado o meu coração

domingo, 16 de abril de 2017

ESTAÇÕES DO MEU EXISTIR


Nada mesmo do que penso ou faço
É capaz de mudar essa triste situação
Mas se até mesmo o calor de um abraço
Já não chega nem mesmo como consolação

Há tanta frieza e descaso ao meu redor
Que minha alma gélida e arredia se encolhe
As vezes até penso que seria bem melhor
Se a morte , por sorte, a minha vida escolhe

Há tanta tristeza e dissabor dentro de mim
E por mais que eu tente nada consigo desfazer
As vezes até penso que seja mesmo este meu fim
Pois bem sei que não foi à toa que esqueci de viver

Cresci pensado que a vida era um mundo de cores
Mas cedo descobri quão engano havia em meu pensar
Desde o início da primavera me vi coberta de dores
E no outono da vida percebi como era difícil recomeçar

Muitos verões por mim passaram e se foram que nem notei 
O outono da minha vida se fez rude e sem qualquer frescor
No inverno da minha existência a frieza que havia não abortei
E em plena primavera da minha vida perdi o mais belo, o amor



quinta-feira, 6 de abril de 2017

TE ASSALTAM LEMBRANÇAS


Olhando para essa foto, subitamente eu pensei
Como deve ter sido difícil menina a tua infância
E por mais que tentasse da adolescência, nada imaginei
Ainda bem que desse tempo, te resta grande distância

Também sei que vez por outra te assaltam lembranças
De uma época que por certo durante décadas te marcou
Mas com certeza não tirou da tua vida nenhuma esperança
E um certo dia, com fé a tua liberdade um dia despontou

Muitas noites levada por maus pensamentos, o sono fugiu
Mesmo tão pequenina, já conhecias o medo e também a dor
A infância se foi num rápido sono, quando a dor lhe atingiu
Precisavas de carinho... Proteção e acima de tudo de amor

Ah! menina Zoza, como foi difícil esse teu caminhar
Em tenra idade conheceste a maldade e nada podias fazer
O tempo foi passando, mas nem por isto deixaste de sonhar
Com o dia que irias finalmente voltar a sorrir e a viver

Viver num orfanato te ensinou muitas coisas... Imagino
Mas a marca que a vida te deu, sem dúvida lhe foi peculiar
Te transformou numa guerreira, a brigar pelo próprio destino
Que numa grande mulher, um dia veio a lhe transformar

Não sei quais eram os teus sonhos em dias de escuridão
Nem mesmo sei o que mais conseguiu te machucar
Mas creio que são lembranças vencidas em teu coração
E um dia encontraste forças para esse mundo desafiar

Foi grande e penosa a tua caminhada, assim penso eu
Mas acredito que o destino terminou por lhe favorecer
Desafiante e com louvor a tudo e a todos um dia venceu
E por fim compreendeste que ainda terias um belo alvorecer

E creio que nada te foi fácil, sem sofrimento e grande dor
Mas aqui chegaste, movida tão somente pelo inexplicável
Que bem sabes foi mesmo o que te moveu, o mais puro amor
Te tornando uma nobre vencedora de grandeza insuperável











domingo, 2 de abril de 2017

ESTRANHA SENSAÇÃO


O tempo pra mim tem passado tão lentamente
Que muitas vezes chego a pensar que parou
Mas eu logo percebo ser a tristeza, infelizmente
Que sem qualquer piedade no meu mundo aportou

As vezes ouço críticas, quase sempre desagradáveis
Mas ninguém passou na vida pelo que eu já passei
Ninguém teve momentos amargos e tão miseráveis
Nunca procurei culpado, nunca ninguém condenei

Eu até acho estranho tanta dor em mim manifestada
Que por vezes mais parecem látegos a rasgar minha alma
Em tantas ocasiões fui até pelo destino desacreditada
E em raríssimos momentos conservei a minha calma

Tudo me parece efêmero... Na verdade, sempre o é
E me refiro aos raros momentos de verdadeiras alegrias
Pois nada me arranca um riso em meu semblante de mulher
Que não seja encoberto por uma estranha sensação de letargia





terça-feira, 21 de março de 2017

A MAIOR MENTIRA



Demorou muito pra eu então entender
Que qualquer que fosse a tua explicação
Eu não deveria nunca acreditar em você
Pois tudo não haveria de passar de ilusão

Até que não foi preciso muito tempo esperar
Para que finalmente sem receios eu vir a perceber
Que não passavas de uma mentira a se desmascarar
E por mais doloroso que fosse, isso eu vi em você

Nunca mais perderei tempo em querer te acreditar
Pois de todas as falsetas que eu cheguei a viver
Falo sem nenhum  receio de vir sequer a me enganar
Da minha vida, sem dúvida a maior mentira foi você

terça-feira, 14 de março de 2017

EU DECIDI


Eu decidi me por pra fora de mim
E o que descobri deixou-me estarrecida
Por tudo analisado não tenho como por fim
A esse meu estado de morbidez vencida

Minha tristeza vai mais além do que pensei
Justo eu, que quando criança vivia a sorrir
Na verdade, porque eu talvez nunca reparei
Nos momentos tristes que eu não sabia existir

Hoje, analisando o tudo que as lembranças trazem
Percebo afinal que na verdade eu sempre fui assim
Os meus mais belos e ternos momentos apenas jazem
No tudo que aos poucos vejo que se esvaem de mim

E durante a minha caminhada sempre tão solitária
Vou buscando o que nem eu mesma sei explicar
Mas por certo a felicidade nunca me será solidária
Pois até hoje, esta, nunca me chegou para ficar

E continuo com essa tristeza tão grande e sofrida
E por mais que eu tente, não a consigo compreender
Talvez, quem sabe? Eu já a traga mesmo de outras vidas
Se isso realmente existir... Já nada consigo compreender

É realmente... Eu tenho uma tristeza imensa e atroz
Que não adianta mesmo contra ela querer lutar
Ela tem sido dessa minha existência o estranho algoz
E tenho a certeza que que ela jamais irá me deixar

E esse é um sentimento mordaz e tão bem entranhado
Que faz da minha alma seu refúgio sem nenhuma razão
Mas olhando para trás eu percebo o grande emaranhado
Que vai asfixiando sem dó meu desgastado coração...

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

COM VOCÊ APRENDI


O som dos pássaros em perfeita sintonia
Me transporta para um tempo distante
E lembro da minha avó e a doce harmonia
Que ela trazia consigo a todo instante

Menina feliz... Pé no chão e coração no céu
Tudo se transformava em alegre diversão...
No paladar um eterno e rico sabor de mel
E a inocência sempre povoando meu coração

Que saudades tenho daquele inesquecível tempo
E um aperto no peito pelo sentimento que vivi a me alegrar
Mas hoje percebo que tudo se foi como folhas ao vento
E desse ontem feliz só as lembranças da minha avó a vagar

Quem dera eu pudesse no tempo voltar para viver
O que eu não sabia ser o princípio do meu existir
Você se foi vovó, mas eu nunca haverei de lhe esquecer
Pois com você eu aprendi o significado verdadeiro de sorrir



POR TUDO ISSO


São tantas as vezes que me sinto como criança
Num mundo de sonhos e risos a espocar
Mas o surgir das minhas perdidas esperanças
Me transforma e meu sorriso se torna um esgar

Sem querer retenho nas minhas lembranças
O que tanto me feriu sem eu sequer merecer
E me sinto perdida nessas frias andanças
Desse meu destino atroz ao me trazer você

E se junto os pedaços de mim... Sempre tristes
Quase nada consigo separar pois é grande a dor
E bem sei que o tudo que trago comigo é mesmice
Que tantas vezes se vestiu desse sentimento, o amor

Hoje, ao olhar para meu ontem até sinto vertigem
É que voltam a me acenar vestígios dos meus sonhos
Como eu gostaria que por mim também sentissem
O que escondo e liberto nos versos que componho

Seria tão perfeito não conhecer as dores do amor
Que tanto martirizam e que não findam jamais
Talvez eu até pudesse não sentir tamanha dor
E quem sabe eu ainda conservasse minha paz


APÓS A MORTE


Foste como um sonho... Um sonho enlouquecedor
Que permeou muitas das minhas noites mal dormidas
Foste o que chamei de meu grande sonho de amor
Foste enfim a minha emoção mais viva e bem sentida

Porém, logo a nuvem do desamor se fez presente
Foi quando a minha alma se cobriu de grande dor
Agora tu eras a sombra de um sonho inconsequente
Percebi que podias sim ser tudo, menos o meu amor

A insônia se apoderou de mim implacavelmente
A e solidão e tristeza atormentavam de modo cruel
Eras na realidade o que eu descobrira finalmente
Uma grande taça de sentimentos do mais puro fel

Mas tudo isso foi no ontem que eu sucumbia sem saber
Que a maior de todas as minhas emoções ainda consistia
Em ter essa certeza que eras sim o meu bem querer
E a fonte inesgotável da minha mais profunda alegria

Depois de passado os dias de dores e decepções
Descobri que nada mesmo poderia ser mais forte
Que o sentimento que nascera das muitas ilusões
E que sem dúvida  nos uniria até mesmo após a morte

E assim tornou-se o maior consolo da minha caminhada
E que esse  nosso amor vem de outras vidas, assim o dizes
Estamos aqui de passagem, e tenho por certo, nessa jornada
Que estamos a sentir o quanto ainda poderemos ser felizes

VOZ DO AMOR


Olhando essa paisagem sinto melancolia
E o meu riso se esconde num gesto travesso
Lembro da menina risonha, cheia de alegria
Mas que se perdeu nos anos de sonhos e desejos

E nessa caminhada que muito feliz eu fazia
Fui aos poucos deixando para trás o melhor
Pois eu ia adquirindo entendimento e fantasias
Caminhando a passos largos para algo maior

Maior em dores, decepções e também saudades
Principalmente dor... Ao perceber o que eu perdia,
A inocência se foi aos poucos deixando as maldades
Que ao longo da minha jornada eu logo conheceria

Muitas vezes ao pensar no que deixei para trás
Roubado pelos anos que nunca perdoa ninguém
Fui me ressentindo por tudo quanto não fui capaz
Para transformar em melhor o que eu vi mais além

E quando meu espírito infantil ressurge do nada
Muitas vezes me transformo sem nenhum pudor
E vejo brincar a mulher em menina transformada
E logo me sinto tomada por um desejo avassalador

Desejos de ser possuída pela tal da felicidade
Não importando se depois vou chorar ou rir
Poder esquecer o tudo que me inflige a idade
E finalmente pela voz do amor me deixar ouvir




terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

UM DECLINAR DE DIA


Hoje minha vida se resume a um declinar de dia
As cores vão esmaecendo num lento desbotar
À noite que vai surgindo ofereço as falsas alegrias
Pois assim tem sido minhas passadas nesse caminhar

A lentidão com que sorvo esse esse cálice ofertado
Apenas traduz para mim o que demorei a compreender
As flores a mim ofertadas não havia perfume a ser exalado
Havia apenas uma seiva amarga que transbordava de você

Que importa se algo de bom um dia eu tenha dado...
Afinal para alguma coisa serve a nossa caminhada
E se do meu mundo um dia o colorido eu tive apagado
Nunca deveria aceder ao desejo de dar-lhe nova pincelada

Mesmo assim continuo a caminhar enquanto me for permitido
Ausências, muitas ainda se farão, e disso eu tenho a certeza
Mas nenhuma acontecerá por um dia eu assim ter preferido
Mas caberá a mim não mais me deixar enganar por falsas belezas

Mas cada um tem aqui na terra uma missão a ser cumprida
E acredito que a minha ao chegar da hora irá acontecer
E algum dia, de forma suave essa missão se fará sentida
E assim sentirei que esta minha missão estará ligada a você




segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

QUANDO EU TE CONHECI


Lutei contra meus princípios pesando as mágoas
Mas lutar contra tudo e todos foi em vão, percebi
E por debaixo da ponte da vida rolaria muitas águas
Mas tudo em mim mudou quando eu te conheci

Os sonhos povoavam minha mente em desalinho
Acreditei em ti como parte das minha verdades
Nada mudaria meu coração ao londo desse caminho
Pois eu agora era alegria e esperanças de real felicidade

Mas de súbito... Da mesma forma que chegaste a mim
Também te fosses sem nem sequer olhar para trás
Inevitavelmente surgiu o que eu mais temia... O fim
Só que dessa vez a dor foi mais forte... Doeu bem mais

Não sei se mereci da vida esse desenlace afinal
Pois nem mesmo sei o que fato aconteceu
Só sei que foi muito cruel e me faz bastante mal
O que pude entender na verdade? Minha alma morreu

Hoje não existe em mim nenhum tipo de arrependimento
Apenas percebo ao mergulhar no mais íntimo do meu ser
Que minha vida era triste, mas não havia esse sofrimento
Que na realidade me foi presenteado cruelmente por você

Já não encontro razões para que eu continue de fato
A minha caminhada sempre tão cheia de espinhos
Embora para mim sejam indiferentes até os abraços
Que vez por outra vão surgindo em meu caminho

E de tudo isso apenas tirei uma grande e fria lição
E assim, uma firme couraça de indiferença ergui
E coloquei sem muito trabalho, no lugar do coração
Uma pedra, e assim enterrei tudo de bom que não vivi



AQUELE MOMENTO


Quantas vezes me senti mortalmente cansada
De brigar com o tempo e com tudo que nele há
Foram tantas as minhas dolorosas cabeçadas
Mas nunca encontrei o que me faria de fato mudar

Foram longas e sempre cansativas as galgadas
Que pela vida afora me vi obrigada a dar
E tantas foram as injustiças a mim praticadas
E mesmo assim nunca desisti de continuar

Os anos foram se passando e tudo permaneceu igual
Nada, ao menos dentro de mim... de fato mudou
As muitas angústias se somavam, sempre desigual
Mas aquele momento por mim esperado nunca chegou

E assim eu continuei dia após dia... Ano após ano
E o novo sempre se fazia velho e ultrapassado
As alegrias eram raríssimas no meu cotidiano
E assim o desgosto continuava sempre ao meu lado

E nessa luta desigual e sempre crescente
Vi o por do sol da minha vida despontar
E fui mergulhando na minha solidão latente
Uma solidão que não me permitia mais sonhar

E sentindo nesse por do sol tão inclemente
Que ameçava chegar sem chances pra eu viver
Uma história que fosse da vida um presente
E mesmo assim, o destino me trouxe você

E em poucos dias já nem lembrava quem eu era
E a minha vida aos poucos tomou novo sabor
Me surgiu o momento que a vida toda se espera
Aquele momento que se transforma em amor

NÃO PASSA DE MITO


É tão bom sentir-se assim... Verdadeiramente admirada
Já que tudo que a vida me deu, pouco não foi embaraço
Porém,  foi muito de repente, que você me surgiu, do nada
E com a maior simplicidade se tornou um grande e belo laço

Sorri para mim mesma, diante do que estava por vir
E a essa alturas da minha vida, só restou eu me encantar
Pois você, uma pessoa simples e  tão amável me fez sentir
Que um amigo também pode nos compreender e nos amar

E eu sentia que ali não havia nem por um momento sequer
Desrespeito, ousadia ou qualquer outro algo desse tipo
O que me deixou realmente extasiada e de mim até requer
Pensar bem... Pois as vezes o que achamos, não passa de mito

Obrigada caríssimo amigo e confidente pelo seu simples carinho
Que transborda de forma natural em tuas frases de pura admiração
E eu até confesso que muitos outros passaram pelo meu caminho
Mas pouquíssimos conquistaram verdadeiramente meu coração

E digo... Muto pouco a vida me tem dado para meu prazer
E é nesse muito pouco que está você menino... Um alguém
Que com seu jeito simples e carinhoso também me fez ver
Que você pode sentir admiração sem que se vá mais além



 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios