terça-feira, 21 de março de 2017

A MAIOR MENTIRA



Demorou muito pra eu então entender
Que qualquer que fosse a tua explicação
Eu não deveria nunca acreditar em você
Pois tudo não haveria de passar de ilusão

Até que não foi preciso muito tempo esperar
Para que finalmente sem receios eu vir a perceber
Que não passavas de uma mentira a se desmascarar
E por mais doloroso que fosse, isso eu vi em você

Nunca mais perderei tempo em querer te acreditar
Pois de todas as falsetas que eu cheguei a viver
Falo sem nenhum  receio de vir sequer a me enganar
Da minha vida, sem dúvida a maior mentira foi você

terça-feira, 14 de março de 2017

EU DECIDI


Eu decidi me por pra fora de mim
E o que descobri deixou-me estarrecida
Por tudo analisado não tenho como por fim
A esse meu estado de morbidez vencida

Minha tristeza vai mais além do que pensei
Justo eu, que quando criança vivia a sorrir
Na verdade, porque eu talvez nunca reparei
Nos momentos tristes que eu não sabia existir

Hoje, analisando o tudo que as lembranças trazem
Percebo afinal que na verdade eu sempre fui assim
Os meus mais belos e ternos momentos apenas jazem
No tudo que aos poucos vejo que se esvaem de mim

E durante a minha caminhada sempre tão solitária
Vou buscando o que nem eu mesma sei explicar
Mas por certo a felicidade nunca me será solidária
Pois até hoje, esta, nunca me chegou para ficar

E continuo com essa tristeza tão grande e sofrida
E por mais que eu tente, não a consigo compreender
Talvez, quem sabe? Eu já a traga mesmo de outras vidas
Se isso realmente existir... Já nada consigo compreender

É realmente... Eu tenho uma tristeza imensa e atroz
Que não adianta mesmo contra ela querer lutar
Ela tem sido dessa minha existência o estranho algoz
E tenho a certeza que que ela jamais irá me deixar

E esse é um sentimento mordaz e tão bem entranhado
Que faz da minha alma seu refúgio sem nenhuma razão
Mas olhando para trás eu percebo o grande emaranhado
Que vai asfixiando sem dó meu desgastado coração...

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

COM VOCÊ APRENDI


O som dos pássaros em perfeita sintonia
Me transporta para um tempo distante
E lembro da minha avó e a doce harmonia
Que ela trazia consigo a todo instante

Menina feliz... Pé no chão e coração no céu
Tudo se transformava em alegre diversão...
No paladar um eterno e rico sabor de mel
E a inocência sempre povoando meu coração

Que saudades tenho daquele inesquecível tempo
E um aperto no peito pelo sentimento que vivi a me alegrar
Mas hoje percebo que tudo se foi como folhas ao vento
E desse ontem feliz só as lembranças da minha avó a vagar

Quem dera eu pudesse no tempo voltar para viver
O que eu não sabia ser o princípio do meu existir
Você se foi vovó, mas eu nunca haverei de lhe esquecer
Pois com você eu aprendi o significado verdadeiro de sorrir



POR TUDO ISSO


São tantas as vezes que me sinto como criança
Num mundo de sonhos e risos a espocar
Mas o surgir das minhas perdidas esperanças
Me transforma e meu sorriso se torna um esgar

Sem querer retenho nas minhas lembranças
O que tanto me feriu sem eu sequer merecer
E me sinto perdida nessas frias andanças
Desse meu destino atroz ao me trazer você

E se junto os pedaços de mim... Sempre tristes
Quase nada consigo separar pois é grande a dor
E bem sei que o tudo que trago comigo é mesmice
Que tantas vezes se vestiu desse sentimento, o amor

Hoje, ao olhar para meu ontem até sinto vertigem
É que voltam a me acenar vestígios dos meus sonhos
Como eu gostaria que por mim também sentissem
O que escondo e liberto nos versos que componho

Seria tão perfeito não conhecer as dores do amor
Que tanto martirizam e que não findam jamais
Talvez eu até pudesse não sentir tamanha dor
E quem sabe eu ainda conservasse minha paz


APÓS A MORTE


Foste como um sonho... Um sonho enlouquecedor
Que permeou muitas das minhas noites mal dormidas
Foste o que chamei de meu grande sonho de amor
Foste enfim a minha emoção mais viva e bem sentida

Porém, logo a nuvem do desamor se fez presente
Foi quando a minha alma se cobriu de grande dor
Agora tu eras a sombra de um sonho inconsequente
Percebi que podias sim ser tudo, menos o meu amor

A insônia se apoderou de mim implacavelmente
A e solidão e tristeza atormentavam de modo cruel
Eras na realidade o que eu descobrira finalmente
Uma grande taça de sentimentos do mais puro fel

Mas tudo isso foi no ontem que eu sucumbia sem saber
Que a maior de todas as minhas emoções ainda consistia
Em ter essa certeza que eras sim o meu bem querer
E a fonte inesgotável da minha mais profunda alegria

Depois de passado os dias de dores e decepções
Descobri que nada mesmo poderia ser mais forte
Que o sentimento que nascera das muitas ilusões
E que sem dúvida  nos uniria até mesmo após a morte

E assim tornou-se o maior consolo da minha caminhada
E que esse  nosso amor vem de outras vidas, assim o dizes
Estamos aqui de passagem, e tenho por certo, nessa jornada
Que estamos a sentir o quanto ainda poderemos ser felizes

VOZ DO AMOR


Olhando essa paisagem sinto melancolia
E o meu riso se esconde num gesto travesso
Lembro da menina risonha, cheia de alegria
Mas que se perdeu nos anos de sonhos e desejos

E nessa caminhada que muito feliz eu fazia
Fui aos poucos deixando para trás o melhor
Pois eu ia adquirindo entendimento e fantasias
Caminhando a passos largos para algo maior

Maior em dores, decepções e também saudades
Principalmente dor... Ao perceber o que eu perdia,
A inocência se foi aos poucos deixando as maldades
Que ao longo da minha jornada eu logo conheceria

Muitas vezes ao pensar no que deixei para trás
Roubado pelos anos que nunca perdoa ninguém
Fui me ressentindo por tudo quanto não fui capaz
Para transformar em melhor o que eu vi mais além

E quando meu espírito infantil ressurge do nada
Muitas vezes me transformo sem nenhum pudor
E vejo brincar a mulher em menina transformada
E logo me sinto tomada por um desejo avassalador

Desejos de ser possuída pela tal da felicidade
Não importando se depois vou chorar ou rir
Poder esquecer o tudo que me inflige a idade
E finalmente pela voz do amor me deixar ouvir




terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

UM DECLINAR DE DIA


Hoje minha vida se resume a um declinar de dia
As cores vão esmaecendo num lento desbotar
À noite que vai surgindo ofereço as falsas alegrias
Pois assim tem sido minhas passadas nesse caminhar

A lentidão com que sorvo esse esse cálice ofertado
Apenas traduz para mim o que demorei a compreender
As flores a mim ofertadas não havia perfume a ser exalado
Havia apenas uma seiva amarga que transbordava de você

Que importa se algo de bom um dia eu tenha dado...
Afinal para alguma coisa serve a nossa caminhada
E se do meu mundo um dia o colorido eu tive apagado
Nunca deveria aceder ao desejo de dar-lhe nova pincelada

Mesmo assim continuo a caminhar enquanto me for permitido
Ausências, muitas ainda se farão, e disso eu tenho a certeza
Mas nenhuma acontecerá por um dia eu assim ter preferido
Mas caberá a mim não mais me deixar enganar por falsas belezas

Mas cada um tem aqui na terra uma missão a ser cumprida
E acredito que a minha ao chegar da hora irá acontecer
E algum dia, de forma suave essa missão se fará sentida
E assim sentirei que esta minha missão estará ligada a você




 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios