terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Devolve-me


Não sei o que de fato acontece
Estou quase a me perder
E meu coração embrutece
É saudade, só saudade de você

Quisera poder fazer parte
Dessa história tão tua
Quisera ainda abraçar-te
Quando a noite se mostra nua

Quisera dar-te um bom dia
Antes que um pássaro acordasse
Quisera ser eu a tua alegria
Antes mesmo que o sol raiasse

E essa tristeza que me embaça
Por certo deve ser a saudade
Que na minha vida já não faz graça
Quando você meu pensamento invade

Me roubas a tranquilidade
Me enches de loucos devaneios
Por favor devolve minha serenidade
Que se perdeu nesses meus anseios

Eu queria pegar meus dias e calmamente
Em belos e alegres dias transformar
O que eu quero é poder tão somente
Fazer você pra minha vida voltar

Preciso adormecer na minhas noites
E não precisar nas madrugadas chorar
A saudade me maltrata com seus açoites
Só porque não consigo deixar de te amar

segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Adeus Feliz 2008


Até que foi um ano maravilhoso
Dele realmente não tenho do que me queixar
Consegui realizar alguns desejos
E outros estão prontos para se concretizar.
Fiz boas e gratificantes amizades,
Pois 2008 trouxe para mim
Pessoas como a Amarília Couto
Que bem sei jamais vou esquecer, pois
Sou-lhe grata por cada palavra dita
Por cada frase escrita e tão bem colocada
Que me fez outra vez na vida acreditar...


E através da amiga Amarilia
Outra amizade pude fazer
Falo da Patrícia Tieko,mulher abençoada
Que Deus assim quis me presentear.


Um outro projeto
Que parece que também vai dar certo
Falo agora de uma editora
Que entrou em contato comigo
Para tentarmos um livro meu publicar¨


Realmente são muitos e bons acontecimentos
Que a vida assim quis me presentear
E espero que 2009 a tudo isso possa coroar...

Terminei o curso que estava fazendo
Passei no vestibular
Conservei alguns amigos e outros acabei de ganhar
Mas eu posso garantir
Que o que me deixa realmente muito feliz
É poder sentir que voltei a viver
Que estou a me realizar


Já não me importa mais a idade
Estou sempre a me renovar...
Tenho hoje em dia boas lembranças
E muitas saudades para matar
Vejo os frutos que estou colhendo
Pela minha simples capacidade
De ainda ser capaz de amar


E desejo a todos vocês
Que hoje fazem parte da minha história
Muita saúde, paz e momentos de glória
Por cada minuto vivido
Por cada sonho realizado
Por cada objetivo alcançado
E até mesmo por cada pensamento desperdiçado...


Um FELIZ 2009 A todos vocês
Amigos ou simples conhecidos
A você que lê o que escrevo
Aos que julgam ser desperdício
Tudo o que minha alma revela...
Mas mesmo assim eu acredito
Que o ano novo será um bom início
Para todos que ainda acreditam
Que o mundo possa melhorar
Senão exteriormente
Mas ao menos dentro de cada um de nós
Onde acima de tudo o amor ao próximo
Possa com sinceridade aflorar...

sexta-feira, 26 de dezembro de 2008

Parabéns a Você


Parabéns, eu quero desejar-te
Com muito carinho e amor
Hoje não posso abraçar-te
Mas isso não tira do dia a cor

Ah! se a vida me permitisse
Presentear-te como mereces
Eu sei que muitos já te disse
Que tudo te dariam se pudessem

Mas nesse momento até algo simples
Como um abraço não posso te dar
Mas Deus ainda assim me permite
Em pensamento de leve te abraçar

E que nesse dia... comum para tantos
Porém para ti, ele é muito especial
Foi nesse dia que a natureza por encanto
Nos presenteou com um alguém fenomenal

Que bendita seja então essa bela data
Quando para o mundo nesse dia você sorriu
Para nós essa data será sempre lembrada
Pois foi assim que a vida te permitiu

E receba hoje com um especial carinho
Meu querido amigo, um meu abraço
E nunca te sintas nem um pouco sozinho
Pois em pensamento estarei sempre ao teu lado

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Nossa Rotina


Outra vez que já é quase madrugada
E novamente eu sem conseguir dormir
Mesmo já sentindo a vista embaçada
Mas meu pensamento está longe daqui

A tua ausência hoje tão constante
Me deixa tantas vezes entristecida
E essa tua presença de mim distante
Me faz pensar que já fui esquecida

Mas quando a noite já se prepara
Pra nos braços da madrugada dormir
De repente o meu coração dispara
Meu telefone toca, é você posso sentir

E é uma alegria imensa que me invade
Não me esqueceste,ainda lembras de mim
Até acreditei ser o destino covarde
resignando-me a ser infeliz por fim

E nesses minutos que agora contigo falo
Ouço o meu coração fremindo meio sem jeito
E pra te ouvir melhor eu as vezes me calo
E deixo tuas palavras ecoarem no meu peito

Essa madrugada que se iniciou receosa
Agora até se agita em meio aos risos
E tu madrugada, tantas vezes caprichosa
Ao menos hoje me deixa em paz, eu insisto

Não importa que a noite desmaie de cansaço
Nos braços frios da indiferente madrugada
Pois da noite a solidão eu sempre abraço
Por ser nessas horas que me sinto mais cansada

E quase sempre a cada romper de um novo dia
Tranco calada a solidão nas noites tristes
Sinto fugindo pelas madrugadas minha alegria
Pois eu sei que nossa rotina não mais existe

domingo, 21 de dezembro de 2008

Mistura De Encantamentos


Meu Deus, que saudades tão grande!
Que está a bater aqui no meu peito
E essa saudade que aqui se expande
É bem diferente, ela tem outro jeito

É uma saudade gostosa e plena
Tão cheia de vida e de cores
Ela traz lembranças amenas
E varia também em sabores

Tem cheiro de infância querida
Tem gosto de adolescência matreira
É saudade das coisas bem vividas
Saudade das crianças arruaceiras

E nessa mistura de encantamentos
Nesse desenlace de sons e gestos
Sinto perder-me em arrebatamentos
Diante do saudosismo que me empresto

E nessa ânsia sublime e angelical
Qualquer gesto me soaria despeito
Pois nunca ele seria também igual
Ao muito que tenho gravado no peito

Falta Você


Eis que a vida me sugere mudanças
Mas o meu coração se recusa a aceitar
É que falta algo para minhas andanças
Falta você pra me ajudar a caminhar

Como poderei seguir em frente sem receios
Se da minha vida já não fazes mais parte?
Será para mim uma loucura, será devaneios
Ouvir a tantos e não poder mais escutar-te

Percebes agora quão grande é minha aflição?
Se volto o olhar te vejo de mim distanciando
Se te busco, escondido estás em meu coração
Só me restando na vida continuar te buscando

E até quando viverei essa inquieta peleja
Que me faz de tantas coisas assim duvidar?
Mas existe algo que me dá alguma certeza
É que no meu pensamento vais sempre estar

E já não mais importa se o meu pensamento
Nem sempre me ajuda com clareza a raciocinar
Mas eu tenho certeza que em dado momento
As lembranças também te fará em mim pensar

Pois para quem em minhas batalhas lutou
Nunca me deixando sozinha para guerrear
Terá com certeza momentos que também marcou
Quando a mim se uniu para então me ajudar

E bem sei foste sem dúvida a bandeira branca
Que muita paz trouxe ao meu sofrido coração
Como quer o destino que eu não seja franca
Que ignore o que representas na minha emoção

Seria muito injusto e até mesmo pecaminoso
Olvidar o que meu peito insiste em lembrar
Eu digo que seria bem mais triste e doloroso
Se eu insistisse a tua lembrança mitigar

Inútil Tentativa


Mesmo tão inquieta percebo estar parada
Com os pensamentos em constante vai e vem
Da vida observando o tudo e vendo o nada
E sentindo que do ontem,muito pouco hoje tem

Também nem sei se entendo o que agora digo
Talvez muito pouco eu consiga compreender
Contudo eu sinto que o pouco que registro
Amanhã,eu terei por certo que vou esquecer

E nesse vento forte e sempre tão constante
Que entra pela janela sem licença me pedir
Ronda esse quarto com lembranças abundantes
Lembranças essas que de lembrar até esqueci

De olhos cerrados sinto o ontem que me chega
Nas lembranças esquecidas tão sem nostalgias
E sinto o quanto a minha alma muito deseja
Apagar para sempre o que nunca foi alegria

E de olhos fechados nessa inútil tentativa
De enterrar de vez muito do que se passou
Percebo ser vã toda essa minha investida
De sepultar para sempre o que quase me matou

Passatempo


Fui um dia passatempo tão sem graça
Que as vezes penso nem sequer existi
E o que em mim você deixou virou fumaça
E nem parece que um dia isso tudo vivi

Mas hoje o que poderia servir de recordação
Nada restou a não ser um tardio esquecimento
E se para você ainda existe alguma emoção
Para mim sucumbiu junto ao envelhecimento

Envelhecimento de todos os muitos momentos
Que o tempo ao branquear os cabelos entendeu
Que já não poderia existir nenhum sentimento
Por um sentimento que no tempo há muito morreu

Talvez de outra forma o esquecimento seria pouco
Para quem na vida muito por tua causa já sofreu
Porém entre mim e o tempo houve então um acordo
Foi quando o tempo de mim também se condoeu

E resolveu fazer uso dos seus mágicos poderes
E bondosamente a mim o tempo finalmente libertou
Com cuidado ressucitou na minha vida os prazeres
Quando de mim as sua lembranças o tempo matou

O Grande Final


Que linda paisagem eu contemplo agora
Onde a natureza em suas vestes de cores
Me lembra que em qualquer que seja a hora
Ela se despe e se veste também de dores

Seu perfume suave envolve de tal forma
O meu semblante por ela já conquistado
E se percebo, nessa tarde ela adorna
Cada pedacinho seu e de tema variado

São os pássaros que saltitam e cantam alegres
Da natureza, os cabelos aos ventos esvoaçantes
E esse cheiro de eucalipto que até o ar embebe
E essa brisa suave que me deixa meio estonteante

E essa árvores que graciosas balançam ao vento
Parecendo que de nada mesmo estão a perceber
Elas também não sentem o correr do tempo
Nem tão pouco este verde que está a perecer

É que o sol tão atrevido e sem reservas
Vai pouco a pouco lhe despindo sem pudor
E é nesses momentos que a ela empresta
Para seu aquecimento, dele o calor

Mesmo não importando o grande final
Que a natureza a nós pode reservar
O que nos chama a atenção afinal
É que sempre podemos a ela admirar

Relembrando



Hoje eu relembro com muita ternura
Os tempos que aqui um dia eu vivi
São lembranças que apagam amarguras
Que na vida sem querer eu também senti

Parece que vejo as minhas filhas brincando
Correndo tão felizes por essas campinas
E embalada pelas lembranças ouço elas gritando
Correndo livres com muitas outras meninas

E o tempo parece que passou bem depressa
E mesmo assim ainda as ouço a me chamar
Mas eu sei que quem tem de Deus promessas
Será falta de sabedoria do tempo reclamar

Hoje minhas filhas criadas e bem encaminhadas
Com um futuro risonho e brilhante a lhes esperar
Eu sei que por Deus são todas elas abençoadas
E em Deus elas estão cada vez mais a se alegrar

Bendito seja o dia que coroou o nosso encontro
Quando em Deus nós depositamos toda a nossa fé
E sabemos que quem Nele espera sempre está pronto
Aguardando apenas o grande momento quando Ele vier

Comemoração


Foi neste domingo, que com muita alegria
O meu esposo e eu felizes fomos comemorar
Afinal era uma ansiedade forte que nos unia
Mas nós dois no vestibular conseguimos passar

Depois de tantos anos, dos estudos, distantes
Parecia para nós muito difícil de conseguir
Chegamos a duvidar, e não foi só por instantes
Pois sentíamos ser quase impossível bem se sair

Mas conseguimos finalmente a grande vitória
E por mais assustadora que possa ter sido
Hoje temos o coração em festa, e isto é glória
Por cada um dos muitos momentos por nós vividos

E hoje em dose dupla felizes nós festejamos
E sempre buscando um ao outro também ajudar
Trilhamos juntos e a vitória alcançamos
Vencemos o preconceito e também o vestibular

Agora já posso sonhar tranquila com jornalismo
E ele muito feliz com essa tal de matemática
São asuntos bem diferentes nós já admitimos
Unidos estaremos,qualquer que seja a problemática

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

Passei No Vestibular


"Felicidade passei no vestibular"
O curso por mim muito bem escolhido
E que com muito prazer vou cursar
Foi o que eu mais queria,jornalismo

Até que parece um sonho para mim
Após longos trinta anos sem estudar
Resolvi fazer algo diferente enfim
E assim aos estudos decidi retornar

Posso não ter sido uma aluna aplicada
Pois em algumas matérias até vacilei
Eu não consegui me afinar com exatas
Todavia com boas notas eu também passei

E os esforços, de coração eu agradeço
De todos que nessa corrida me ajudaram
Nem mesmo sei se tamanha graça eu mereço
Mas sei que meus sonhos vocês realizaram

E deixo aqui um agradecimento especial
Ao meu esposo pelo apoio que me foi dado
E ao meu amigo Sérgio,pra mim foi fundamental
Cada momento por nós tão bem compartilhado

E um carinhoso agradecimento hoje eu faço
Aos queridos professores aqui do SESI
Pois deles obtive grande incentivo nesse passo
Que sem dúvida o meu intelecto a todos agradece

Bem sei que a muitos agradecer eu ainda devo
Como a todos os amigos nessa etapa conquistado
E as minhas filhas e genros aqui aproveito o ensejo
Para um agradecimento geral pelo meu sonho realizado

quarta-feira, 17 de dezembro de 2008

Quem Sabe


Outra vez mais, que me sinto sozinha
Com os meus pensamentos flutuando
Mergulhada nessa sensação mesquinha
Da realidade eu vou me distanciando

E nessa tristeza amarga e tão dolorida
Que ofusca da vida qualquer brilho que seja
E nessa razão de razão já tão destruída
Vou observando cada tentação que me chega

E as vezes do infortúnio, indiferente
Que na minha alma busca se alojar
Penso que tudo seria bem diferente
Se minha alma não vivesse a chorar

E dividida entre o que fui e hoje sou
Contrariada diante de faces tão iguais
Percebo que realmente eu nunca estou
Livre dessas sensações tão desiguais

E vou me sentindo derramando na tristeza
Deitada sobre os escombros do que restou
E perdida como aquela criança indefesa
Que sabe que até mesmo a vida lhe enganou

E esse soluço tão calado que em mim ecoa
Retumba na alma como um trovão ensurdecedor
E sinto que nessa vida o que mais me magoa
É pensar que um dia nem mesmo você me amou

E nessa mistura de sentimentos indefinidos
Vou fazendo do destino meu cruel algoz
Se me procuro até mesmo em ritmos perdidos
É que já perdi o som da minha própria voz

E continuo buscando nesses meus momentos
Algo que possa me trazer de volta a paz
Quem sabe eu consiga superar esse tormento

Onde cada dia minha esperança se desfaz

Plenitude



São muitos risos espocando lá fora
Tão diferente do que acontece aqui
A alegria de mim já foi embora
Hoje não tenho motivos para sorrir

É que a saudade adiante já me espera
Aguardando o momento da nossa separação
E a tua presença será para mim quimera
Que encherá de sofrimentos meu coração

E perdida ficarei nos braços da noite
Sonhando com o momento de te reencontrar
E chorarei a cada instante de ansiedade
Na vã espera de voltar a ve-lo chegar

E cada minuto de espera será um suplício
Sempre que eu olhar no relógio as horas passar
Tentarei então criar um relógio fictício
Onde as horas de saudades ele não vai marcar

E nessa minha louca e providencial atitude
Irei aos poucos o meu destino enganar
Até que chegue o momento de minha plenitude
Que será quando eu puder outra vez te abraçar

As Teias Dos Sonhos


Hoje senti da vida o perfume
Da tua ausência a dor que espinha
Dos destino apenas os queixumes
E de ti essa saudade mesquinha

Te conhecer foi tudo o que eu precisava
E sentir teus cuidados me fez muito feliz
Foste o presente que a vida me reservava
Pois foste para mim o que eu mais quis

Querer, saber ou simplesmente aceitar
O que a vida para nós tem reservado
E se hoje, da vida tudo posso suportar
É por ter no peito um coração agraciado

Mas hoje eu sei que nem tudo é perfeito
E mesmo que pareça impossível sempre haverá
Quem encontre nessa existência apenas defeitos
Mas é por não tem um alguém a quem possa amar

Um alguém que na vida queira dividir
Cada momento que possa se fazer presente
Alguém que juntos também queira possuir
Uma alma liberta e um coração sorridente

Eu quero nas minhas noites poder viver
Cada momento que venha me despertar
Para novamente juntos podermos tecer
As teias dos sonhos que deixamos passar

Quero sentir em cada toque do tempo
A tua presença em sonhos me aquecer
E viver perdida nos muitos momentos
Quando eu tinha para mim somente você

Um Grito Calado


Eu já não sei mais o que vou fazer
Para fugir da solidão que me apavora
Uma dor quase física chega a me doer
A cada momento meu que está indo embora

Serão dias incontáveis e noites também
Que pressinto o meu sofrimento irá crescer
E tudo por saber que em minha vida porém
Haverá uma ausência que só me fará sofrer

E sinto as lágrimas o meu rosto banhar
Por sentir no peito a saudade que consome
Pois não terei mais das minhas noites o luar
Que tinha para mim apenas um outro nome

Você que na minha vida entrou sem pedir
Dela passou a fazer parte como por encanto
E não aceito que possas dela também sair
Pois se assim acontece, triste será meu pranto

E em cada novo e melancólico entardecer
A dor em mim se fará muito mais presente
Pois não terei mais diante de mim você
Agora da minha vida estás tão mais ausente

E a noite irá surgir mergulhada no tédio
Buscando quem sabe a minha dor aumentar
E nos braços da solidão não terei o remédio
Que possa desse sofrimento um dia me curar

E então um grito calado ecoará na noite
Tentando em desespero a minha dor sufocar
Mas a tua ausência só aumentará os açoites
Que constante a minha alma vive a dilacerar

E viverei nessa interminável peregrinação
Querendo da vida bem mais do que vier
Pois essa angústia que cresce em meu coração
Só findará se o destino de volta lhe trouxer

segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

Contudo Ainda Sonho


Não sei em que trecho da vida me perdi
Mas eu lembro de quando me encontrei
Foi quando eu te conheci...
A princípio hesitei
Por que o destino fez assim?
Porventura a vida me teria
negado
O direito de me assumir?
Assumir que nada tenho,
Nada sou e nada faço
Mas contudo ainda sonho
De fugir dos percalços
Que direitos teria eu de rir
De desejar, mesmo sem usufruir
De amar sem o sinal de proibir
De um dia poder e querer
Não mais me perder
Poder olhar e depois me perguntar
Se é mesmo isto que eu vou querer
Amar mesmo que eu venha a sofrer
Querer mesmo que eu venha a perder
Chorar para depois sorrir
Não importa o que me venha acontecer
Tudo o que eu desejo é simplesmente
Me perder
Me perder nos teus sonhos
Me afogar em teus afagos
Adormecer na tua vida
E me acordar nos teus braços...

A Chuva



A chuva bate forte contra a vidraça
Parece querer da vida me despertar
Olhando a janela sinto a alma baça
Penso em você não vejo o tempo passar

As águas como enxurradas descem a rua
E um desejo enorme me vem de brincar
Eu sinto já não ser criança de vida nua
Existem sentimentos que preciso segredar

E o som forte, divino e maravilhoso
Dessa chuva que está caindo sem cessar
Eu sinto um sentimento estapafurdioso
Me convidando gentilmente a brincar

Mas nesse exato e melancólico momento
Como um filme vejo a vida passar
E sinto que a chuva é como um tormento
Como meu sentimento que teimo em calar

E continuo observando a chuva que cai
Lavando da minha alma todo o marasmo
E inconsciente aos poucos minha vida vai
Tentando se libertar de todo sarcasmo

E a minha existência prossegue lentamente
Lutando sem forças, mas tentando vencer
Só não quero ser como a chuva que morosamente
Desce as encostas e em algum lugar vai morrer

sexta-feira, 5 de dezembro de 2008

Velho Hábito


Ao observar pensativa o cair da tarde
Vou relembrando os tempos de outrora
E sinto uma copiosa saudade que me invade
E é a mesma saudade que estou sentindo agora

E sou tomada por uma estranha nostalgia
Perdida em muitos sentimentos desencontrados
As vezes choro de tristeza ou então de alegria
Mas sempre tenho meus pensamentos atordoados

E como bom hábito sempre estou escrevendo
Os sentimentos que se atropelam dentro de mim
E por várias vezes me pego também revivendo
Os meus momentos de intensas ansiedades por fim

E quando a noite chega devorando a tarde
Que indefesa se vai sem nem pensar em reagir
Ela parte calada e sem fazer nenhum alarde
Tal qual meus desabafos que só me faz afligir

E então a noite com seus mistérios e encantos
Sua penunbra vai espalhando com calma e sem tardar
Sem nenhuma vez conseguir perceber que no entanto
Tenho aqui dentro uma alma infeliz que está a chorar

E sorrateiramente o meu olhar lanço no infinito
Querendo sempre sentir da vida maior prazer
Mas como velho hábito estou firme e nunca desisto
Das minhas fortes ou fracas emoções sempre escrever

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Se Me Fosse Pedido


Se eu pudesse quem sabe parar o tempo
Muitas coisas com certeza eu iria fazer
Mas para agora, para esse exato momento
Somente te confortar era o que eu ía querer

Já se me fosse permitido voltar no tempo
Inúmeras coisas eu trataria logo de mudar
E para diminuir teu angustiado sofrimento
De você eu pessoalmente ía querer cuidar

Mas para a minha infeliz desgraça total
O tempo eu nunca, jamais poderei parar
E para essa minha declarada angústia final
No tempo infelizmente não poderei voltar

Então me surge uma cruel e triste verdade
Se o tempo eu realmente não consigo parar
Como lutarei se me abrevia o tempo, a idade
Aumentando a angústia que paira no meu olhar

Talvez eu pudesse encontrar algum jeito
Se menos idade eu hoje assim tivesse
Então eu poderia tirar a dor do teu peito
Mas isto também não seria só se eu quisesse

Pois se parar o tempo me parece tão difícil
O que poderei dizer de fazer o tempo voltar
Isto é certo que é mesmo algo impossível
Mas bem que eu posso o hoje melhor aproveitar

E que seja dessa forma que assim nos determina
Esse destino cruel e implacável de nós dois
Se o tempo frio e impassível a mim ainda domina
O destino deveria faze-lo se arrepender depois

Então para esse momento eu mesma me proponho
Viver esse meu hoje sem preocupações ou receios
E para agora aos teus pés a minha vida deponho
Sei que é pouco, mas nela estão todos meus anseios

Mas quem sabe eu ainda possa então conseguir
Uma forma até bem mais simples para te ajudar
Meus momentos poderei contigo então dividir
Para a tua alegria tentar um pouco somar

E entre uma lágrima ou mesmo um sorriso
Ver novamente o brilho voltar ao teu olhar
E na certa eu tudo daria se me fosse pedido
Para finalmente poder ver a tua vida mudar

E como recompensa eu poderia também ver
A tua vívida alegria por fim voltar
E finalmente eu conseguiria outra vez ter
Esperanças do teu sol novamente brilhar

E sempre nas minhas frustrantes madrugadas
Onde a solidão se deita para não dormir
E eu cantaria, mesmo que só o fizesse calada
Todas as razões para te fazer outra vez sorrir

Noites de insônia



Não dá para dividir com ninguém
O que hoje tenho retido na alma
E não há nesse mundo um alguém
Que possa devolver minha calma

E nas longas noites de insônia
em vão tento as mágoas afogar
E quase sem nenhuma cerimônia
Te vejo do meu pensamento brotar

Ansiosa fico vendo-o tomar forma
Se materializando diante de mim
E sinto tudo se transformando
E sem receios me abraças por fim

E me perco em teus braços vencida
E vou me enroscando sem nenhum pudor
E sinto essa tua boca muito atrevida
Me falando as maiores loucuras de amor

E assim me entrego já quase que tonta
Embriagada no imenso calor dessa paixão
E me enlaças me deixando quase que pronta
Para juntos deixarmos explodir nossa emoção

E somos arrebatados por um quase desmaio
Sentindo do nosso desejo a plena realização
Mas é como se fosse tão somente um ensaio
Pois repetimos várias vezes essa emoção

Mas sendo real ou sonho, o ensaio acaba
E me perco outra vez nos meus devaneios
E como triste consolo a mão que me afaga
Parece que já se perdeu em outros anseios

E mais uma vez o meu sonho também tem fim
Dando lugar a uma outra triste versão
Pois continuas muito mais distante de mim
Fazendo sangrar sozinho meu pobre coração

Noctívaga


As vezes me sinto assim como uma noctâmbula
Ao mergulhar tristonha nesses meus momentos
E tem certas noites,que eu ajo como sonâmbula
Sempre vagueando triste e perdida nesse tormento

Bem sei que em muitas noites será mesmo assim
E até já me parece que terei isso como suplício
Pois mesmo sem querer tenho me sentido por fim
Como uma náufraga nesse mar que é apenas fictício

E minhas noites já não terão mais tantas alegrias
Faltará sempre algo que preencha em mim esse vazio
Mas por Deus eu juro que na vida eu mesma tudo daria
Para não ter que sentir da solidão esse abraço frio

E talvez eu ainda encontre nas minhas madrugadas
Um consolo que possa me deixar um pouco menos triste
Pois mais infeliz que essas noites tão angustiadas
É sentir que esse meu querido mundo não mais existe

E farei dessas silenciosas noites um meu lençol
Que com uma certa frialdade o meu corpo cobrirá
Mas quando o dia surgir terei então novamente o sol
Mas receio que o mesmo, a minha alma jamais aquecerá

E poderei em silêncio outra vez mais suportar
Essa dor que hoje me machuca muito sem jeito
Porém no meu amanhã a esperança me fará aguardar
O que deixará transbordando de alegria meu peito

E estarei então aguardando sempre muito ansiosa
Por cada uma dessas noites que eu ainda vou viver
E entre uma e outra noite esperarei uma manhã radiosa
Que me dará a certeza que dessa forma eu não vou morrer

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Fora de Área


Categoria: Contos


A noite caíra rapidamente... a tarde se arrastara modorramente mórbida, com um céu de cor plúmbeo, anunciando uma possível tempestade. Um vento ligeiramente frio completava o quadro invernoso daquele cenário.
Naquele final de tarde saí para a escola bem mais animada que o habitual, pois eu adoro dias frios e chuvosos. Mas longe estava eu de saber que aquela noite me reservava momentos dramáticos para mim, e talvez para outras pessoas não chegassem a tanto.
Ao sair da escola naquela noite, juntamente com o meu inseparável amigo, o Sérgio, liguei para a minha filha que estava saindo do trabalho e combinamos de nos encontrar, fato este difícil de acontecer, mas naquela noite eu saí cedo da escola e a minha filha, a Kellinha havia saído tarde do serviço. Caminhando tranquilamente, o Sérgio e eu conversávamos, quando repentinamente o tempo tem uma mudança brusca, é certo que era inverno, mas inverno no nordeste chega em muitas vezes a ser tedioso, salvo em alguns raros momentos de chuvas torrenciais, mas isto é algo que não ocorre com a frequência que deveria ser, pelo menos não na maioria dos invernos, exatamente como estava sendo aquele...
E num repente, sem que fosse esperado, começa a soprar um vento forte acompanhado de chuva. Eu logo me preocupei mas o Sérgio procurou me tranquilizar, pois não demoraria e a Kellinha estaria conosco antes que aquela situação se complicasse. Mas aconteceu o pior... a Kellinha não apareceu e o vento foi assumindo proporções imensas e a chuva foi ficando cada vez mais forte de forma assustadoramente violenta. Desesperando-me, observo as coisas pequenas e leves que passam voando diante dos meus olhos como se fossem simples folhas de papel. A aflição surge tão rápida quanto aquela chuva com ventos cada vez mais fortes, parecendo sibilar de forma cruel diante da incapacidade humana de controlar tal situação.
E a medida que aquele inesperado fenômeno cresce, aumenta também o meu desespero, principalmente por não conseguir entrar em contato com a minha filha, eu precisava saber onde ela havia se abrigado, mas o celular dela só dava fora de área. O Sérgio mais controlado tentava me acalmar dizendo que a Kellinha devia estar abrigada em algum lugar, ele dizia que, já que houve um rápido contato pelo celular, onde mal eu ouvi a voz dela e o que ela tentava me falar era quase inaudível mas era um sinal de que as coisas estavam ao menos razoavelmente bem com a Kellen. O desespero meu era crescente a cada minuto que o tempo passava e aquela situação só tendia a piorar. O Sérgio vendo o modo como eu me encontrava, resolveu sair para procurar a Kellinha, mas fora em vão, nada conseguiu. De repente o pior acontece... Os fios de iluminação pública começam a pegar fogo. Eu desesperada me ponho a chorar, e era visível a aflição do Sérgio diante de uma situação onde ele nada conseguia fazer, a não ser me apoiar, o que representava uma grande atitude numa situação tão delicada. A falta de energia culminou com o desespero total diante da minha impotência... e após longos e angustiosos momentos, a chuva ficou um pouco mais fraca, o vento diminuiu um pouco e saímos em busca da minha filha, e quando finalmente nos encontramos, eu fiquei como criança diante de ambos, a minha filha toda encharcada, pois não dera para ela se abrigar da chuva em tempo, mas pelo menos conseguira se abrigar dos demais acontecimentos, e nós não demoramos muito para encontrá-la porque um senhor a convidou a sair do abrigo onde se encontrava pois ela estava sendo visada para um assalto. Ela disse que havia conseguido abrigo minutos antes dos fios pegarem fogo. Mentalmente agradeci a Deus pelo grande livramento. Após nos encontrarmos com a Kellinha, o Sérgio nos acompanhou e ficou conosco até chegar a nossa condução. Nos despedimos e ele se foi completamente encharcado para o trabalho, o mesmo trabalha num canal de TV aqui da capital. Dentro do ônibus eu fiquei pensando no Sérgio e no grau de amizade que nos une, pois se o mesmo quando saísse da escola fosse embora para o trabalho, ou mesmo para casa não teria passado pelo que passou. Mas não, ele sempre está comigo todas as noites até eu pegar o ônibus que me levará para casa.E naquela noite não havia sido diferente.E quando o vento aumentou e começou a chover, ele procurou me abrigar com o seu corpo, para que eu não me molhasse, deu as costas para a chuva e para o vento, deixou-me encostada a parede, debaixo de uma marquise e com o seu corpo fizera uma espécie de escudo para me proteger. Eu nunca vou esquecer a atitude dele...Aquela noite tudo contribuíra para momentos de terríveis sensações, para momentos de puro medo e hesitações, mas foram naqueles momentos que mais uma vez eu pude comprovar a sinceridade daquela amizade que nos une de forma tão grandiosa, não há dúvidas de que o Sérgio é um homem de excepcionais e transcendentes qualidades que em muito só faz crescer o seu valor. E que valor para mim ele tem... simplesmente inestimável.

domingo, 30 de novembro de 2008

Triste Lamento


Na repousante sombra de um cajueiro
Quando a tarde lentamente vai morrendo
Ouço ao longe o aboio de alguns vaqueiros
Que aos poucos todo o gado vai recolhendo

E vou me despedindo dos verdes pastos
Com meu coração palpitando em surdina
E pensativo fico olhando para os lados
Ao som embriagador e triste das campinas

E contemplo na penumbra a noite fria
Banhando com o luar toda essa paisagem
E sempre com grande e triste melancolia
Começo a ver tudo como uma pacata miragem

E medito da vida cada um dos meus passos
E sempre nas efemeridades dos meus sonhos
Trago no coração cada nó dos grandes laços
Que deixaram meus pensamentos tristonhos

E tudo faz parecer que é um triste lamento
Até sinto nostalgia no mugir dessa boiada
Que chega até mim sendo trazido pelo vento
Que aos poucos vai transformando num nada

E nessas noites por vezes tristes e calmas
A saudade sempre me chega bem de mansinho
Sinto a melancolia sufocando a minha alma
Nesses crepúsculos que me sinto tão sozinho

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Contagem Regressiva



Para nós a contagem regressiva já começou
Faltam poucos dias para tudo terminar
Mas com certeza nem para todos acabou
Pois para muitos outra etapa vai começar

Da minha parte faço questão de dizer
Que aqui no SESI eu mesma muito aprendi
Encontrei pessoas que me ajudaram a crescer
E através dessas pessoas muitas coisas vivi

Em meu coração reservei com carinho um canto
Para essas pessoas que eu nunca vou esquecer
Como Noemia de quem muito gosto,mas entretanto
Nos deixou, foi promovida, assim posso dizer

O querido prof.Adriano, de quem sinto saudades
Também a Graça prof. de literatura e português
Mulher inteligente e sábia como ela é raridade
E cito também o Rogério excelente prof.de Inglês

Homem guerreiro e também um bravo lutador
Faz o que pode pelo bem dos seus alunos
Com ele também estudei e foi com louvor
Que fui aprovada,estudei bem os assuntos

Também não posso, nem por sonho, deixar de falar
Em química com o querido e experiente prof.Elias
Uma outra matéria que não tem jeito para eu gostar
Mas com um prof. desses aprender eu bem que devia

Euzelinda,essa professora vale mesmo muito ouro
Ela também é uma mulher de inúmeras qualidades
Geografia para ela é como se fosse um tesouro
Realmente o SESI está é mesmo repleto de raridades

Falo ainda do querido professor Alexandre
Que história tem ensinado até muito bem
As vezes nos sentimos até muito importantes
Diante das coisas que para nós ele tem

A professora Andréa nos ensina é biologia
Outra mulher inteligente e muito capaz
Suas aulas são sempre cheias de alegrias
Ela ensina com perfeição,pois ama o que faz

Ainda tem o Diomedes, um outro querido professor
Ensina física e diga-se de passagem até muito bem
Mas isso prá mim já não é matéria é um terror
Essa foi mais uma que eu achei muito ruim também

Ah! e é claro não posso me esquecer da Julie
Essa professora é o máximo de inteligencia também
Muitas vezes na sala pairava uma certa quietude
É que com ela, história e geografia sempre ía bem

E ainda temos o nosso glorioso professor Ramos
Com ele a tal da matemática também fui estudar
Além de excelente prof, ele me explicou tanto
Que sem querer dessa matéria acabei por gostar

Lembro ainda a Márcia que me é muito querida
Professora inteligente de quem sempre gostei
Mulher ativa e muito batalhadora nessa vida
E seus ensinamentos no coração eu os guardei

Temos ainda muitos outros excelentes professores
Que não a tive oportunidade de com eles estudar
Temos Silvana,Ana Paula,Regina,e outros colaboradores
Como também Almira e Lilian,delas todas preciso lembrar

Eita família bonita para todos nós o SESI tem
E olha que eu nem falei de todos que fazem parte
Dessa história belíssima que é de todos também
Mas brindemos todos a união ao respeito e a arte

Última Estação


Tenho feito longas e intranquilas viagens
Nunca encontrando paradas para descansar
As vezes sou envolvida por fracas miragens
Porém raras vezes eu consigo delas gostar

Percorri quilometros mas sempre buscando
Fugir de algumas estações a mim impostas
Mas infelizmente os anos foram se passando
E os acontecimentos a mim pouco conforta

Nessa minha solitária viagem tenho continuado
E muitas foram as vezes que em meio a multidões
Senti-me como se da vida não tivesse participado
Continuando perdida num mundo vasto de ilusões

Mas de repente me sinto como que invadida
Por uma estranha e inexplicável sensação
Sem encontrar um sentido real para a vida
Sinto-me afundar num grande mar de solidão

E muito embora eu nunca esteja realmente só
Não consigo livrar-me dessa angustiosa sensação
E sem querer percebo estar sentindo por mim dó
É que já não existe mais alegria em meu coração

E nesse meu desespero quase cruel e crescente
Se apoderando de mim sem nenhuma compaixão
Pressinto que seja o medo desse meu presente
Ao pensar no desembarque da próxima estação

Pois eu bem sei que lá estarão me esperando
Indiferentes a esse meu triste desembarque
Sempre foi assim, olhos frios me espreitando
Aguardando por cada um dos muitos desenlaces

Mas hoje, nesse dia quente de verão senti frio
É que não me abandonou essa estranha sensação
As vezes sinto como se fosse da morte o arrepio
Me convidando a descer nessa última e fria estação

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Meus Versos


Na minha vida existem certos momentos
Que na verdade nunca consigo entender
São situações que me parecem tormentos
Que muitas vezes em vão busco esconder

Por isso quase sempre em meus versos
Demonstro com amargura muita tristeza
Também não é sempre que eu manifesto
Meus sentimentos com tamanha clareza

E abunda as lagrimas nessa mísera hora
Que em muitas vezes não as consigo verter
Mas dentro do meu peito a dor sempre aflora
E nada faço para isto não mais acontecer

E presumo que os meus dias se seguirão
Composto por momentos também de alegrias
Mas nenhum desses parcos momentos alterarão
O que há muito tempo a minha alma já sentia

Receio ainda que nunca irão vocês compreender
O que acontece de real no interior do meu coração
Pois eu sinto que não basta tão somente eu querer
Mudar ou não da vida qualquer que seja situaçao

E bem sei que muitos ainda rirão da minha dor
Não importando qual venha a ser a minha reação
É bem melhor sofrer não importando por qual amor
Do que não ter nada que embeleze o seu coração

Último Aviso


E o mundo muito irá se desesperar
Diante do que está por acontecer
Choros e gritos não vão adiantar
Os não salvos, esses irão perecer

Muitas vezes te foi contado
Que Jesus Cristo está voltando
Não adiantou se te foi revelado
Porém continuaste não acreditando

Hoje tu ainda não te apavoras
E muitos outros não estão abalados
Mas já sabes que tu ficarás de fora
Pois disto nunca foste enganado

O Senhor Jesus Cristo está voltando
Disto todos vocês já foram avisados
Te prepara prá não ficares lamentando
Jesus está voltando,não fiquemos calados

Vencer por Vencer


Há ocasiões na vida da gente
Que sentimos a humilhação bater
Mas uma vencedora nada teme
Nem da luta se põe a correr

Mas para uma vencedora audaz
A luta nem sempre é necessária
Pois toda aquela que é capaz
As vezes pensa de forma contrária

Na verdade não importa vencer por vencer
Se faz necessário que se entenda a razão
Se vais a luta apenas pelo simples prazer
Na certa está faltando algo em teu coração

Então cuida em buscar dentro de você
O que tanto falta para lhe completar
Pois só só assim irás compreender
Que apenas Deus pode ocupar esse lugar

Pois se te encontras triste e abatida
Já quase sem forças para poder continuar
Choras tristes e até muito desiludida
Mas Jesus em seus braços te carregará

E com certeza sentirás o grande alívio
Jorrando como água de dentro do teu peito
Mas entenda que isso étão somente o início
Do que para Deus lhe reserva por direito

E sorrirás diante de todas adversidades
Que em vão buscará um jeito de te derrubar
Pois entre Deus e você haverá uma afinidade
Que só mesmo aos justos é possível alcançar

Não se preocupe ou mesmo recei tropeçar
Pois com certeza estarás sempre amparada
Os braços do Senhor irá sempre te carregar
Na certeza com Ele estarás sempre abrigada

Reflexões


Percebo que há algo errado à minha volta
Porém eu não sei exatamente o que seja
Na verdade isso prá mim já não mais importa
Afinal são tantas coisas que não se deseja

Eu sempre busco razões que me faça entender
O que em tantas vezes não consigo mesmo sentir
Mas afinal talvez seja até mais fácil de ver
Todas essas coisas que na realidade está por vir

N
Também não sei se entendo bem o que falo
Mas é que nen para mim consigo explicar
Mas eu tenho certeza que as vezes que calo
É por não saber exatamente o que devo falar

E enquanto não vou entendendo o que se passa
Vou tentando encontrar qualquer razão enfim
E quem sabe nessa tentativa eu até mesmo faça
Reflexões importantes buscando dentro de mim

segunda-feira, 24 de novembro de 2008

Coração Em Festa


Ao prof: Alexandre

Os dias se abreviam,e vão se passando
Como também os bons e alegres momentos
Mas tudo em saudades vai se transformando
Dando assim início a um grande sofrimento

E hoje, aqui na quietude dessa biblioteca
Com calma vou tentando meus pensamentos expor
Revivo as vezes em que tivemos o coração em festa
No exato momento em que olho para o meu professor

Alexandre é o nosso professor de história
Quando com ele essa matéria comecei estudar
Conseguia sempre gravar tudo em minha memória
E foi assim que de história comecei a gostar

É muito bom quando você se sente gratificado
Ao conseguir chegar ao término de um período
Com o Alexandre foi um perfeito aprendizado
Pois com ele também atingimos o nosso objetivo

E eu nunca poderei um dia sequer esquecer
Do muito que fez por nós o prof. Alexandre
Com ele foi realmente muito bom aprender
E foi com ele que comecei a pensar grande

E nesse imenso silêncio, as vezes quebrado
Pelo incessante som das teclas do computador
Olho para o Alexandre e um muito obrigado
Brota calado em meus lábios e sucumbe ao pudor

Esperança e Experiência



Existem nessa vida os longos e também os curtos caminhos
Mas para alcançar sucesso é preciso se use de inteligência
Um dos caminhos a esperança tem início ainda pequenininho
O outro se adquire com o passar dos anos,falo da experiência

Quando em tenra idade, representa os sonhos e as esperanças
De toda uma família e as vezes até mesmo de toda uma nação
Assim tem sido vista do mundo todas as nossas crianças
Que tem sempre transbordando de bondade,e fé o seu coração

E com o transcorrer dos longos e também saudosos anos
Surge uma outra verdade que não depende de inteligência
Onde têm guardados todos os seus doces ou amargos arcanos
Falo do aprendizado adquirido com os anos de experiência

Não importa se és tão somente uma das muitas crianças
Ou um ancião esquecido por hábito ou mesmo negligências
E essa criança de hoje, será no amanhã nossa  esperança

Mas o nosso velho tem em si a riqueza das experiências

domingo, 23 de novembro de 2008

Admiração


À Minha Prof. Euzelinda

P ode muitas coisas em minha vida
R ealmente acontecer
O que a tornou porém mais rica
F oi conhecer pessoas como você
E olha que eu estou falando
S implesmente por puro prazer
S em receios de estar errando
O rgulhando-me
R ealmente de ter conseguido
A lcançar com sua ajuda meu objetivo


E u só quero ressaltar
U ma das muitas qualidades que você tem
Z elo, que sem nenhum esforço faz brilhar o
E smero que lhe é peculiar
L uta com garra por seus ideais,quando lhe convem
I nda que nem todos consigam seu valor reconhecer.
N ada porém me dá mais orgulho e prazer
D o que poder não só demonstrar, mas escrever
A grande e sincera estima que tenho por você

sábado, 22 de novembro de 2008

Novo Despertar


Que visão linda é esta paisagem
Me faz sentir imensa nostalgia
Relembro da minha vida uma miragem
Que um dia me trouxe grandes alegrias

Tudo para mim também começou assim
Eram sonhos, mas como todo ele passa
E o inevitável momento chega por fim
E tudo o mais se transforma em fumaça

E no auge de tanto encanto e beleza
Tal qual esse crepúsculo tão singular
Foi assim que para mim chegou a tristeza
Quando eu pensava ser feliz e apenas amar

E assim como o sol se despedia do dia
Indo tranqüilo seu corpo descansar
Deixando espaço para a noite que surgia
Com todos os seus mistérios,estrelas e luar

Assim foi que tudo comigo vi acontecer
Entraste em minha vida tão sorrateiro
Com calma, aos poucos moldaste o meu viver
Te fizeste amigo,cúmplice e companheiro

E te foste. Mas tudo está como você deixou
Assim como o dia se recolhe para voltar
Continuo te esperando por sobre o que restou
Desejando te ver surgir a cada novo despertar

Aulas de Biologia



À Prof. Andréa e a Turma 33D

Hoje as nossas aulas de biologia
Estão cada vez mais interessantes
Na sala reina momentos de alegria
Devido a alguns alunos participantes

Eu não entendo como a professora Andréa
Consegue a cada dia dar aulas tão bem
As vezes para mim se torna uma panacéia
Poder assim participar dessas aulas também

Estou me referindo nesse exato momento
Como não poderia deixar de ser,a dois alunos
Que as vezes se tornam um verdadeiro tormento
E não sei como não deixam a Andréa sem rumo

Ela é uma professora de extrema inteligência
Mas para suportar esses dois o Paulo e o Eliezer
É preciso que se tenha realmente muita paciência
Como vemos que vem tendo essa grande mulher

E olha que eu não vou fazer nenhum comentário
Dos demais alunos que se encontram aqui presentes
Pois quase nenhum deles agem de modo contrário
E isto sem falar nos que se encontram ausentes

Nunca pensei que um dia eu ainda ouviria
Comentários feitos até mesmo por mim
De como tem sido bom estudar biologia
E aprofundar nossos conhecimentos enfim

A professora Andréa está mesmo de parabéns
Pois com muito cuidado e experiência
Tem nos ensinado realmente até muito bem
Que Deus conserve assim tamanha inteligência

E aos meus queridos colegas de classe
Tenho por todos eles muito carinho
E escrevendo me sinto como se retratasse
De todos, as alegrias desse longo caminho

E de uma coisa tenho bastante certeza
Dessa turma eu nunca mais esquecerei
Pois em todos capto uma singela beleza
Que dificilmente em outros encontrarei

Parabenizo a todos que estão envolvidos
Nessa especial e gratificante missão
Todos vocês por mim são muito queridos
Os guardo com especial carinho no coração

E por nossa professora Andréa eu confesso
Nutro uma profunda e verdadeira admiração
E que para sua vida preveleça o sucesso
Pois é o que lhe desejo de todo coração

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Saudades Sem Fim


Foi muito bom te conhecer
Conviver contigo bem melhor
E o mais difícil irá acontecer
Separar-me de ti será o pior

E todos esses anos de rico convívio
Me mostrou o lado bom dessa história
E minhas lembranças será um suplício
Pois estás gravado em minha memória

Mas te ter durante todos esses dias
Despertou o que havia de melhor em mim
Foram alguns anos de grandes alegrias
Que se trsnsformará em saudades sem fim

Nunca imaginarás o que guardo aqui na alma
São os doces momentos que juntos nós tivemos
Quando te fores levarás de mim toda a calma
Só deixando as saudades do tudo que não vivemos

Doce Sorriso


À Querida Silvana

Essa moça com aparência tão delicada
Em seus traços assim tão juvenil
As vezes me lembra um conto de fadas
Nesse olhar tantas vezes infantil

Ela trabalha à noite na biblioteca
Sempre tão simples e muito diligente
A Silvana é sempre bastante discreta
E também mostra ser muito inteligente

Para ela parece não haver nada ruim
E prá nós sempre tem um doce sorriso
Eu falo isso é só tirando por mim
Pois a mesma nunca usa de capricho

É realmente muito gratificante
Ir a biblioteca estudar ou ler
Com ela no sentimos importantes
E tudo que lá fazemos é com prazer

Que o tempo Silvana não mude seu jeito
Que nos dias de hoje é difícil encontrar
Que a alegria faça morada em seu peito
Para que seu sorriso nunca deixe de encantar

E um dia futuramente nos reencontraremos
Cada uma por certo com seu sonho realizado
Com certeza nesse dia muito nos alegraremos
Por mais uma vez termos enfim nos encontrado

Que o passar dos anos lhe ensine apenas
A melhorar cada vez mais esse seu perfil
Se para você existir dores que sejam amenas
E permaneças assim... sempre doce e gentil

Minha Gata Bellinha


Nesse momento em meio a diversos sons
Tenho ao meu lado a minha linda gatinha
Que observa curiosa as cores de vários tons
Que empresta um toque especial a minha Bellinha

Eu acho até belíssimo esse magnífico quadro
Que aos meus olhos torna-se bastante inspirador
É ver a minha Bellinha como um lindo retrato
Incrustada na moldura do tempo e também do amor

É sem dúvida uma paisagem de raro esplendor
Só quem a vê nas nuances do nosso cotidiano
Percebe que para nós é de raríssimo valor
O amor que dedicamos ao meu lindo bichano

Para mim ela é também uma formosa menina
Me lembra da vida todos possíveis encantos
Não importa se estou falando de uma felina
O que importa para mim é que eu muito a amo

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

Por um Momento


Uma brisa suave sopra em meu rosto
Aí me surge um misto de sensações
Para tanto, basta tocar o meu corpo
E aí me sinto envolver pelas emoções

E sorrio para mim diante da vida
Que sorrindo de mim,quieta zomba
E choro me sentindo meio vencida
Diante da vida que só me afronta

E perdida entre mundos distantes
Busco quem sabe alguma outra razão
Que me tire ao menos por uns instantes
O peso que martiririza assim meu coração

E cansada da vida e bem mais dos desgostos
Que constantes vivem assim a me afligir
Muitas vezes nem percebo que trago no rosto
A dor da solidão de quem já precisou fugir

E tentando vencer esse desiquilíbrio
Onde tantas vezes minha mente se esvai
Me perco em meio aos meus loucos delírios
E ouço minha alma soluçando por sobre meus ais

E sinto mais uma vez essa brisa tão suave
Que envolve pouco a pouco meus pensamentos
Parece nem sentir que quando minha alma invade
Tira as forças que preciso na luta contra o tempo

E vou tal qual essa mistura de sentimentos
Mergulhando por completo nos sonhos meus
E já nem percebo quando em dado momento
Estou nos sonhos que são apenas os teus

Mas me deixe ao menos por um momento
Sentir da vida bem mais que essa emoção
E talvez eu possa abrigar no meu pensamento
O que busco segredar apenas ao meu coração

Saudade Mesquinha


Eita saudade mesquinha
Que parece não ter fim
Quanto mais ela se aninha
Mais pena eu tenho de mim

Ela dói demais e de tal jeito
Que já nada mais me apetece
É muita dor sangrando meu peito
Por nada de bom que me acontece

Seria para mim tão perfeito
Ouvir tua voz clara e sensual
Deitar a cabeça em teu peito
E sentir que era tudo bem real

Mas esta saudade tão mesquinha
Que se alojou dentro de mim
Me mostra ser uma dor só minha
Que infelizmente não quer ter fim

Vicissitude


Em cada madrugada que vai chegando
Houve uma noite cheia de amargura
É que na essência mais nada vai brotando
Que dê a minha vida um pouco de brandura

E por longos momentos tenho sentido
Essa angústia que parece não ter fim
E a vida muito pouco me tem permitido
Até parece que ela gosta de me ver assim

Já não sei mais o que faço para saber
De como aceitar cada novo dia que surge
Pois para mim não basta tão somente querer
Não é preciso que haja tantas vicissitudes

E possa ser então que a cada amanhecer
Outras forças em mim sejam renovadas
E terei como aguardar um novo acontecer
Que finalmente me deixará realizada

quarta-feira, 19 de novembro de 2008

Corpo Cansado



Ao Meu Amigo Sérgio

Meu Deus que sono medonho
Que vez por outra me assalta
E o meu corpo muito enfadonho
Só pede por uma cama e almofadas

Tenho o corpo um tanto abatido
Meus olhos abertos mal se sustêm
E cada segundo que passa sou vencido
Pois meus sentidos quase não se mantêm

É muito sono que tenho assim acumulado
Estou precisando essa minha vida refazer
Pois nem sempre consigo ter reservado
O meu direito sagrado de em paz adormecer

Estou precisando de um pouco de repouso
Para esse corpo cansado já quase sem lazer
Até a minha voz as vezes me falha um pouco
É desgastante querer descansar e não poder

Me vem a cabeça uma cama confortável para mim
Preciso dar um repouso a este cansado corpo
Eu sei que em algum lugar existe uma cama,sim
Que com certeza, esta será bem do meu gosto

É preciso que eu descanse, enquanto que a vida
Sinto ela tramitar sem pressa por todo meu ser
E por mais difícil que venha sendo minha lida
Sei que mereço também ter nessa vida prazer...

Pensamentos Desencontrados


Mais um inverno que se aproxima
E voce continua de mim ausente
Nada mais há no mundo que me anime
Se não estás na minha vida presente

Quando recordo cada um dos momentos
Que bem feliz eu vivi ao teu lado
Tento assim reter meus pensamentos
Mas estes me parecem desencontrados

E este céu que parece agir com ironia
Não sabe a metade dos sonhos meus
Pois se ele assim soubesse não iria
Zombar desse sofrimento que tanto doeu

E percebo que em cada gota que do céu cai
Molhando quase impassível essa minha dor
Nem percebe como aumenta os meus tristes ais
Quando debruço na vida à espera do meu amor

E as minhas lágrimas com a chuva se confunde
Que insensível finge desconhecer essa mágoa
Que na minha vida em muito pouco se resume
Mas que não acaba como a chuva que deságua

E perdida no tempo ainda sinto a tempestade
Que saindo do espaço vem assim me envolver
E essa turbulência que minha alma invade
Só faz aumentar cada vez mais o meu sofrer

E me vejo assim envolvida, já quase sem forças
Tentando outra vez no tempo tua imagem reter
E me sentindo sem rumo quase como uma louca
E só eu vejo pouco a pouco meu mundo escurecer

E nessa tempestade mergulho em grandes anseios
Revivendo cada momento que foram só de nós dois
E sem acreditar percebo que todos os meus anseios
Sem querer fui deixando mais uma vez para depois

E sentindo do tempo a grotesca e cruel zombaria
Que nem percebe quão grande tem sido o meu sofrer
E isso tudo só porque perdi da vida toda a alegria
Que contigo se foi quando saiste do meu pobre viver

Talvez assim, para cada gota de chuva que corre
Uma lágrima não sairia gotejando do meu coração
E agora tenho percebido como a minha vida morre
Da mesma forma que tem morrido toda minha emoção

segunda-feira, 17 de novembro de 2008

O Sonho Não Se Perdeu


Saber-te triste e angustiado
Desiludido,
Impotente e desacorçoado
Perdido,
Sem motivos para cantar
Sofrido,
Sem razões para sonhar
Inibido,
Como eu queria...
Poder sem nenhum receio
Embalar-te ao seio,
Dar-te um pouco de alegria
Deixar meus dedos entrelaçar
Aos teus,
Tua cabeça repousar livre
Nos braços meus,
E poder de leve te acariciar
Sem nada falar.
Mas em sussurros eu diria
Que o sonho não se perdeu
Que ainda vive,
Para quem não morreu...
E com alegria
Tu me responderias,
E dos teus lábios
Eu ainda ouviria,
Que nos afagos
Muito mais me darias,
Se eu assim quisesse...
Quem dera
Que isto fosse real de fato,
Que minha tristeza
Desaparecesse em teus braços,
E tua boca
Numa atitude quase louca
A minha arrebatasse
E os meus lábios esmagasses
Até faze-los sangrar.
Quem dera que os meus braços
Afogasse tuas mágoas
E teu cansaço,
E numa explosão louca,
Esse amor acabasse
Entre sussurros e gemidos.
Que esquecesse de vez
Que nunca seremos apenas
Amigos...
E eu ouvisse apenas insensatez
Despertando em mim
Toda essa embriaguez,
Que já não faz nenhum sentido
Mas que em nada põe um fim.
Quem dera em meio a tanta
loucura,
Eu finalmente pudesse
Da tua boca ouvir
Gemidos roucos,murmúrios lascivos,
E com muita doçura
Eu também pudesse sentir
Em movimentos precisos
Que mais nada precisa ser dito
Apenas sentido,
E quem sabe em meio a um pedido
Nos fizéssemos completar...
Quem sabe?
Se te esperar ainda vale
Quando finalmente
Poderei então te amar...

Riqueza de Mulher


À Prof. Euzelinda

Há coisas boas na vida que nos dá alegria
E muitas delas simplesmente acontecem
Mas para felicidade da grande maioria
Nem todos acontecimentos desaparecem

Hoje refiro-me a um alguém especial é claro
Que na minha vida ela tornou-se bem vinda
Falo de uma grande mulher de coração raro
Estou falando da minha professora Euzelinda

Em sua sabedoria que lhe é peculiar e singela
Vejo nela o que busco em outros e que é em vão
Suas experiências a tem tornado sempre mais bela
Nessa simplicidade que lhe empresta o coração

E vemos nessa sua grande riqueza de mulher
Que ela vive tranqüilamente o seu dia a dia
Enchendo de muito orgulho a todos que quer
Fazer parte desse seu munndo cheio de alegrias

Linda, nesse momento posso lhe assegurar
Que por mim nunca, jamais serás esquecida
Não importando os anos que irão se passar
Pois sempre lembrarei de ti minha querida

Crepúsculo da Vida


Onde o sol se punha lento e triste
Nascia um sentimento de pura agonia
Me perco sem saber por que isso existe
Que tira da vida toda e qualquer magia

Mas sabemos que todo crepúsculo tem fim
Assim também foi a nossa grande história
Mesmo que tenha sido mais triste prá mim
Mas sei que para ti não foi apenas glórias

Quando chegar finalmente o nosso entardecer
Onde provavelmente prá nós tudo acontecerá
Não importando qual de nós mais irá sofrer
E nem mesmo para onde o rio por fim correrá

Que cada um de nós retenhamos vagas lembranças
Que na certeza em nossa memória gravada ficará
E sabemos que após a tempestade haverá a bonança
Que o percurso da vida de cada um de nós mudará

Mas que para nós sempre prevaleça o respeito
Em nome de tudo que juntos um dia vivemos
E cada um desses momentos guardarei no peito
Por tudo que um dia sem pensar nós perdemos

Mas nunca permitamos que haja entre nós
Requícios de mágoa ou qualquer rancor
Mesmo que nenhum de nós estejamos mais sós
Ainda reteremos um pouco do que foi esse amor

Mas dentro de mim conservo a certeza que teremos
Fortes lembranças de tudo que juntos passamos
Pois foram muitos sonhos e percalços que vivemos
E grandes momentos que sem dúvida muito amamos

E se te encontrares completamente só e a saudade doer
E sentires a minha presença aflorar mesmo na surdina
Lembre-se tão somente que foi muito bom nos conhecer
Mesmo que tenha sido em horas tristes dessa vida ladina

E quando finalmente o crepúsculo da idade chegar
Se ainda juntos realmente não estivermos mais
Guarda contigo onde estiveres que foi bom nos amar
E melhor foi aprendermos a andar em limites desiguais

domingo, 16 de novembro de 2008

Momentos Esparsos


No meu semblante a incerteza é tão profunda
Que o meu coração sempre triste vive a inquietar
E esse tormento tão presente que minha alma abunda
Constantemente me tira o sossego sempre a me martirizar

E nessa inquietação quase sempre tão amarga
Meus olhos ao longe muitas vezes vagueia
E o meu pobre coração cansado sempre divaga
Nessas minhas solitárias noites de lua cheia

Estou cansada e meus olhos ainda ardem
Tenho entristecida a alma que sempre chora
Os meus sonhos esquecidos sempre aplaudem
Essa minha dor sofrida de quase toda hora

E nesse meu triste e angustiado lamento
Nesses momentos sempre perdidos e vagos
Só mesmo Deus sabe desse meu sofrimento
Que assim padeço nesses momentos esparsos

Diante Da Vida


Uma brisa suave sopra no meu rosto
Logo sinto um misto de sensações
Fechando os olhos senti no corpo
Um fremir envolver minhas emoções

E sorrio para mim diante da vida
Que sorrindo de mim, quieta zomba
E choro me sentindo meio vencida
Diante dessa vida que só me afronta

E perdida entre mundos distantes
Busco quem sabe alguma outra razão
Que me tire ao menos por uns instantes
Esse peso que martiriza assim meu coração

E cansada da vida e de seus desgostos
Que constantes vivem a me afligir
As vezes nem percebo que trago no rosto
A dor da solidão de quem precisou fugir

sábado, 15 de novembro de 2008

Ausência Quase Presença


Uma sensação de abandono
Que me deixa assim inquieta
Me tira por completo o sono
E o tédio a tudo completa

Não sei se com a vida me aborreço
Ou simplesmente a ela devo ignorar
Só sei que mais uma vez eu padeço
E já não consigo mais me alegrar

Mais eu tenho sentido certa tristeza
Sem nem sequer saber de onde ela vem
Mais de uma coisa eu tenho certeza
É tua ausência quase presença meu bem

Isso no meu mundo me incomoda bastante
Por eu ser uma sombra na tua vida, talvez
Que para ti tudo isso não seja importante
Mas para mim é uma verdadeira insensatez

Não quero mais nunca na minha existência
Ser tão somente uma figura decorativa
Pois hoje faço uso de grande persistência
Para sentir-me sempre muito bem viva

E creia que para mim isto será impossível
Se razões dentro de mim eu não mais tiver
Que possa tornar a minha vida menos difícil
E ela não mesmo será, se tu assim não quiser

Não importa se na minha vida um dia
Quisesses ela em melhor transformar
Pois se és tu somente a única alegria
Que consegue a minha vida assim mudar

Não permita que se interponha o tempo
Entre a minha vida e o teu viver
Não se deixa levar ao sabor do vento
Basta que continues assim a me querer

Me arranque esse silêncio que brota na alma
Me devolva essa paz que o tempo já levou
Se apenas nos teus braços encontro a calma
Não me digas nunca que apenas ontem me amou...

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Meus Sonhos


Eu queria poder sentir
Da vida maior prazer
Viver sempre a sorrir
Sem mais nada a temer

Eu desejo muito poder
Ao mundo correndo contar
Que hoje me faço entender
Que hoje me ponho a cantar

E os meus olhos sonhadores
Olha sorrindo em derredor
As minhas noites de amores
Serão cada vez bem melhor

e numa ânsia assim quase louca
Nesse mundo de sonhos incansável
Fico sorrindo, e a minha boca
Esconde o sorriso de um miserável

Não adianta querer se iludir
Nem tão pouco querer se enganar
Para mim só resta mesmo é fingir
A mim só resta mesmo é sonhar

Sonhar que na vida quase tudo é perfeito
Que o sofrimento há muito já me deixou
Que eu não tenho mais tristeza no peito
E também que a vida jamais me enganou

Esquecer de tudo que for loucura
Que faz parte também do homem são
E mergulhar numa triste procura
que ainda faz bater meu coração

Ansiar por cada um dos desejos reprimidos
E lutar bravamente por cada sonho também
Meus sonhos, estes sempre tão esquecidos
Mas nunca deixaram de ser sonhos meu bem
 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios