terça-feira, 30 de setembro de 2014

PRESA NUMA ESPERANÇA



O inverno já passou e o outono rápido surgiu
Meus pensamentos se perdem , vivem a se perder
Minha alma coitada do inverno ainda não saiu
Continua meio  perdida tentando encontrar você

Lá fora uma brisa sopra me levando a pensar
No que foi, no que é e no que ainda não chegou
Cabisbaixa reluto entre meu ser e meu estar
Tudo tão contraditório quando falamos de amor

Ser mulher tem enorme peso... deixar de ser criança tem mais
Ser mulher requer coragem e decisão de a tudo enfrentar
Deixar de ser criança, é trazer para os ombros o que não lhe dá paz
Ser mulher ou ser criança duas opções que não se consegue calar

A mulher tem armas que podem lhe facilitar a vida
Se inteligente, usa-as de modo real, leal ou mesmo fatal
Ser criança, requer proteção, pureza e liberdade atrevida
Mas quando consegue se unir a mulher criança, é genial

A mulher tem a graça e a leveza de uma rainha 
A criança o mimo e a birra que bem dosado seduz
Que homem não seria feliz ao dizer  essa mulher é minha
Em sua sua maturidade encontro uma inocência que reluz

Enquanto meu desejado momento a mim não chega
Vou brincando mesmo nessa idade, de mulher criança
Se meu sonho melhor não vem ao menos minha alma almeja
Ficar sonhando...Enquanto  espera presa numa esperança

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios