quinta-feira, 2 de outubro de 2014

ESPERTEZA SEM MEDIDAS


Nessa vasta escola do dar-se um jeitinho
Foram muitas as vezes que pude observar
Que ao traçar o enredo de certos caminhos
Muitas são as coisas que se fica a desejar
É uma tal de esperteza sem medidas
Nem parece que contas terão que ajustar
Até sinto pena de quem se achou merecida
Daquela dádiva ou favor ter conseguido ganhar
E haja gente metida a esperta nesse mundo
Eu só observo muitas vezes querendo entender
E fazem as coisas como se tivessem amor profundo
Pelo semelhante, como se fossem um seu bem querer
Nesse mundo de gente ambiciosa e interesseira
Muitos um dia ainda irão e muito se arrepender
E felizes daqueles que não levam tudo na brincadeira
E conseguem pagar o seu débito tempos antes de morrer

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios