segunda-feira, 29 de setembro de 2014

LENTO CAMINHAR


A minha caminhada tem sido longa e cansativa
Nada encontro que me anime a continuar
Essa jornada  tem-me feito bem mais pensativa
Com um imenso desejo de apenas parar...

Uma ânsia incontida de no tempo retroceder
Do meu hoje fugir e nem pra trás olhar
Quem sabe eu talvez pudesse ainda querer
Sorrir da vida e chorar também... sem calar

Quem dera rasgar a alma e de dentro arrancar
Todas as dúvidas que em nada tem me ajudado
Gritar  mesmo calada até a minha alma rouca ficar
Ensurdecer ante a voz da razão que me tem angustiado

E assim com passos trôpegos possa eu finalmente parar
E alheia ao mundo que finalmente me ficou tão sombrio
Ficou na verdade insuportável até mesmo de respirar
Já não há mesmo nada que possa mostrar meus brios

Então eu me pergunto: - Para que insistir em viver
Se mais nada há que possa esse vazio ocupar?
Sonhei demais e o meu preço foi este... Te perder
Que sentido fez em minha vida te conhecer e te amar?

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios