terça-feira, 23 de setembro de 2014

SÓ QUERO VIDA


A chuva insistente continua a cair
Olho ao redor e vejo calmaria
Meu espírito infantil a sorrir
Eis um momento mágico e de alegria

Hás três dias que chove quase sem parar
A natureza parece não se aperceber
São chuvas finas, que não dá pra assustar
Mas com certeza levam de mim... Você

A paisagem conserva um tom meio bucólico
Mesmo na cidade, mas guarda esse ar campal
As vezes me deixa pensar num torpor alcoólico
Mas tem sem dúvida uma beleza magistral

Olha pra fora da minha janela
O que se descortina ante meu olhar
É uma saudade gostosa e através dela
Muitos outros momentos posso contemplar

E sorrio ante a lembrança que me chega
E parece que estou me vendo ali
São memórias que apagar não se deseja
Apenas lembranças que me fazem sorrir

Meu pai... Ah! meu pai... Sempre tão severo
Parecia nunca querer me compreender
Mas eu  o ganhava com carinho, aqui revelo
E que nem sempre ele me deixava no querer

As vezes sou alcançada pela monotonia
Quando na minha vida começo a pensar
Mas eu ainda consigo vislumbrar alegria
Em cada pedaço da minha vida, ao recordar

Muitos momentos se fizeram de tristeza
Mas de todos eles a culpa também me coube
Para o meu hoje deixo repousar a certeza
Que nada será igual, antes, agir eu nunca soube

Hoje mulher madura, com algumas realizações

Deixo o melhor de mim, abraçar o que está por vir
Já paguei muito caros por tantas perdidas ilusões
Hoje eu só quero vida... Para abraçar, amar e sentir

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios