terça-feira, 23 de setembro de 2014

SEM AMBIGUIDADES


Queria que me olhasses com especial jeitinho
E tenho por certo, farias a minha cabeça rodopiar
E esse olhar me aqueceria com muito carinho
Perturbando meus sentidos e me fazendo sonhar

Sempre sonho com a magia desses toques suaves
Com aquele abraço quente que por certo ainda virá
Mas vivo temendo que estes sonhos sejam debalde
Pois são sonhos e como tal eu sei, permanecerá

E no receio desse toque que até hoje não veio
No aconchego desse abraço que ainda não chegou
Com certeza vale mais pelo final do que pelo meio
Pois foram nesses meus sonhos que tudo começou

E o meu consolo nessa história que resiste
É saber que esse bem maior que me afaga
Luta em mente esperançoso e não desiste
E em nenhum momento da minha mente apaga

E nunca haverá um fim para o que se anuncia
E sei que será em vão tentar lhe esquecer
Pois um sentimento que assim me reverencia
Tenho meus sonhos para não deixá-lo fenecer

E se um dia longe ou quem sabe mais perto
Sentires saudades desse teu bem querer
Arranquemos de nossas almas qualquer deserto
E tenho certeza que esse amor só fará crescer

Mas enquanto o melhor momento não chega
Enquanto só nos abraça a tal da saudade
Que eu ao menos imagine o que minha alma deseja
O que teus lábios me mostraria sem ambiguidade

Deixa o que guarda minha alma meu olhar extravasar
O que sufoco com carinho aqui dentro do meu peito
Pois eu sei que mergulhando nesse teu olhar
Eu revelaria o que penso e que nem sei se é direito

Mas que eu esperançosa continue sonhando
Com cada momento que até hoje não chegou
Com cada lembrança que eu vivo perpetuando
E desejando por cada minuto que a vida atrasou


Que em meio a isso tudo eu não viva tão perdida
Envolta nesses meus sonhos que ainda não se completou
Mas que eu também possa viver de maneira atrevida
Buscando por cada desejo que o nosso eu ainda não realizou

Que eu possa também sonhar os teus lascivos sonhos
Que castos bem sabemos que estes jamais serão
Mas para cada um deles, hoje, eu mesma te proponho
Que deixemos mesmo em sonhos explodir essa emoção

Pois acredito que nos incendiaremos de desejos nesse calor
Que emanará do nosso enlouquecidos corpos, em profusão
E quem sabe então não se faça o nosso tão desejado amor
Que nunca ousará ditar regras a esse meu pobre coração

Mas que eu nunca desista e continue pela vida a fora
A tentar buscar algum sentido mesmo que fora de mim
Pois se acontecer no meu amanhã o que desejo agora
Nunca deixarei que te sintas só, viverei te buscando assim

Que eu me perca sempre nesse momento infinito
Onde o tudo mais já não tem pra mim nenhum valor
Pois o que eu escondo nesse meu grito tão calado
É o que muitos sem titubear costumam  chamar de amor



Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios