quarta-feira, 24 de setembro de 2014

MUDO SOLUÇO


Um grito calado ecoou na noite
Rasgando as entranhas da madrugada
Dilacerando uma alma com seus açoites
Embora permaneça como sempre... Calada

Uma dor aguda é vencida pelo cansaço
E o sorriso que espocava também se foi
Mais uma vez se vê mergulhada no marasmo
Numa dolorosa incerteza do que virá depois

Um soluço mudo põe fim as suas esperanças
O silêncio dos dias sobre a noite se abatem
Exterminando de vez o sorriso puro de criança
E os sentimentos de tristeza e solidão a invadem

Onde ficou a beleza que explodira naquele leito?
Se foi... Levada pela enxurrada da incompreensão
A amargura mais uma vez fará morada em seu peito
Adormecendo todos os sonhos... Ficando só a solidão

Nunca mais se ouvirá um riso feliz a espocar
Pra sempre naquela alma fará morada a saudade
E cada riso ensaiado será apenas como um esgar
Sufocando em seu peito o que poderia ser felicidade

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios