sexta-feira, 26 de setembro de 2014

APENAS ESPERANDO


As vezes me sinto como uma borboleta
Alegremente colorida desejosa de voar
Na verdade, longe desse nosso planeta
Pois nesse mundo de borboletas vivo a cantar
Em outras ocasiões me sinto uma formiga
Não pelo trabalho que realizam entre si
Mas pela solidariedade, sem intrigas
Que as vezes nos impõem em nosso existir
As vezes sonho com a liberdade dos pássaros
Mas que na realidade só em sonhos posso sentir
Pois me sinto na verdade como pássaro engaiolado
O que muitas vezes desfaz minhas tentativas de sorrir
Quem sabe se eu pudesse me sentir como um leão
Minhas forças e vontade eu teria mesmo que controlar
Pois não haveria resistência para o meu coração
Que sucumbiria nessa imensa vontade de te amar
Mas se eu fosse como uma delicada esperança
Teria com certeza mil razões pra viver a sorrir
Na minha alma vibraria esse espírito de criança
Que consegue a todas as dificuldades resistir
Mas como não sou inseto nem animal
Permaneço assim como sempre estou
Desafiando as regras de um modo geral
Apenas esperando tua volta meu amor

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios