terça-feira, 23 de setembro de 2014

COMO ADOLESCENTE




Quisera olhar-te e não precisar temer
O muito que eu sempre venha a sentir
Esquecer a loucura desse meu querer
E não viver apenas a sonhar com teu olhar


Porém o meu grande pecado e mal maior
É viver sempre sonhando mesmo acordada
E perceber ao acordar que ainda continuo só
Permanecendo apenas à solidão abraçada

É doloroso ter sempre que sorrir
Mesmo que a alma esteja em prantos
Viver eternamente apenas a perseguir
Como uma desvairada os teus encantos


E é mesmo como adolescente que vivo sonhando
Que estou em teus braços e de amor embriagada
E continuo sempre sonhando que estás me amando
E sofro, pois é apenas nos sonhos que eu sou amada

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios