quarta-feira, 24 de setembro de 2014

ESSE DESEJO



Meu amor, quantas vezes felizes nos sentimos
Sem imaginar no que estava para nos acontecer
Foram tantas juras, tantos sonhos, hoje perdidos
Tantas loucuras imaginadas que iríamos viver

Não sei até quando eu ainda poderei resistir
A essa saudade tão amarga e tão cruel
E nem sei se eu ainda conseguirei sentir
Um outro gosto que não seja apenas de fel

Encantei-me com teu amor que me chegou
De repente... Sem eu nunca sequer imaginar
Trazias pra mim felicidade, mas hoje só restou
Uma imensa angústia por não vê-lo mais voltar

A Deus tenho tantas vezes pedido
Que dessa minha dor se compadeça
Enquanto espero por esse amor proibido
Sempre aguardando que o melhor aconteça

E apesar de tudo ainda tenho esperanças
De ver novamente você pra mim voltar
E eu sei que sorrirei, igual a uma criança
Que tudo esquece ao ver seu sonho se realizar

E espero que não demore para acontecer
Dessa minha esperança se concretizar
Pois o único motivo que me permite viver
É esse desejo de podermos nos amar...




Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios