sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Só Nos Resta Calar


Achamos que conhecemos as pessoas
Mas isto é um grande erro meu bem
Uns guardam garras afiadas
Que um dia as descobrem porém
E como tolas e decepcionadas
Sem querer acreditar em quase nada
Ao nos sentir-mos miseráveis e humilhadas
Em vão tentamos entender o que nos vem

E como a moeda que tem duas faces
Muitas vezes assim também são as pessoas
E se somos surpreendidos a decepcão é maior
principalmente se a vemos como pessoa boa
Mas a ironia do destino é cruel
E se bebemos desse cálice de fel
Até esquecemos do sabor adocicado do mel
E julgamos ter dado carinho à toa

E tal qual o espelho que foi quebrado
Que mesmo os pedaços se consiga colar
Nunca mostrará a imagem como antigamente
E disso bem sei nem é preciso falar
Pois quando a dor nos machuca tanto assim
E permanecemos com a alma ferida enfim
Nada que se faça conseguirá por um fim
Nessa dor que só nos resta calar

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios