domingo, 27 de setembro de 2009

Não Matem Meu Sonho


Não deixem meu sonho morrer
Não me torturem em vão
Será que é tão difícil entender
O que vai no meu coração?

São alguns dos meus sonhos contidos
Que aos poucos vejo caindo ao chão
Percebam que não faz nenhum sentido
Querer matar de vez minha ilusão

E bem maior se torna a minha mágoa
Perceber que muito pouco posso fazer
E mesmo não querendo perder a calma
Me desespero ao ver meu sonho esmaecer

E no auge dessa minha tão grande agonia
Grito, esperneio, mas logo eu me calo
Então eu peço, não entristeçam minha alegria
Apenas respeitem esse meu triste desabafo

Que não aplaudam esse meu grande ideal
Meu sonho de minhas palavras imortalizar
Pois não tomarei nenhum de vocês por desleal
Mas também não queiram este meu sonho matar

E que cada palavra que hoje escrevo
não passe na verdade de um desabafo
Eu falo não é apenas por sentir medo
É querendo por pra fora o que guardo

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios