domingo, 5 de fevereiro de 2012

MEU CIÚME



À VOCÊ

Comecei a sentir por ti ciúmes... Mas meu ciúme é diferente
Desses que nascem espontaneamente na alma
Não é aquele sentimento sórdido... Doente
Já que não me entristece nem tira a minha calma

É que, saber que partilhas o teu pensamento
Com centenas que fazem parte da tua vida
Me faz pensar receosa, em certos momentos
Que poderei muito bem ser por ti esquecida

É que entrasses tão de repente em meu viver
E mesmo assim me passas uma forte segurança
E eu ainda não me sinto pronta para isso perder
É que vejo brotar em mim um vestígio de esperança

Esperança de dias menos tristes e mais risonhos
De horas amenas e bem menos sombrias
Que afaste de mim esses momentos medonhos
E que eu possa sentir na alma um pouco de alegria

E é esse sentimento que em mim nasceu
Mas nada temo pois sei que não será crescente
Isso é apenas medo de quem quase tudo já perdeu
Talvez por não ter tido um pouco de sabedoria na mente

Um comentário:

Zé Carlos disse...

Bom dia poeta, você está a cada dia mais inspirada e escrevendo divinamente.
Obrigado por nos presentear com poemas deliciosos.

Beijão do ZC

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios