quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Cansada De Fingir


Meus dias oscilam entre o circo e o velório
Mesmo quando insistente a alegria quer brotar
E vou tentando ver tudo de um jeito simplório
Mas no espelho meu sorriso mais parece um esgar

E nas muitas passadas dessa minha árdua jornada
Firo os meus pés nas pedras que vou tropeçando
E mesmo assim eu continuo...Cabisbaixa... Calada
Que muitas vezes nem percebo que estou caminhando

E nessa insegurança quase sempre tão atroz
Meus passos não diminuo, pois temo cair
E o tempo sempre zombando de mim como um algoz
Não me impede de prosseguir,mesmo cansada de fingir

E por cada esquina da vida que vou passando
Deixo as minhas marcas como uma forma de mostrar
Que nesse peito de cicatrizes, cruelmente marcado
Ainda abriga a esperança e o desejo de outra vez amar

5 comentários:

Zé Carlos disse...

Olá poeta, estou gostando muito desses novos poemas onde aparece uma luz no fim do túnel.

"Mesmo quando insistente a alegria quer brotar e Ainda abriga a esperança e o desejo de outra vez amar"

Que seja sempre muito feliz e abrindo a janela da vida, enxergue o dia claro e lindo que se apresenta para o seu prazer.

Bjs do seu amigo ZC

Evanir disse...

Boa Tarde Poeta!!
Vim conhecer seu blog e seus poemas
através de um email de uma amiga.
Fiquei muito feliz com o convite dela para conhecer seu blog.
Seus poemas são lindos já estou seguindo você deixando convite para conhecer ao meu .
Um abraço com carinho.
Evanir..

Evanir disse...

Boa Tarde Poeta!!
Vim conhecer seu blog e seus poemas
através de um email de uma amiga.
Fiquei muito feliz com o convite dela para conhecer seu blog.
Seus poemas são lindos já estou seguindo você deixando convite para conhecer ao meu .
Um abraço com carinho.
Evanir..

Sandra Botelho disse...

Muito lindo...Sempre ha uma luz no fim do tunel. Basta que a alcancemos e isso sempre exige força e batalha. Bjos achocolatados

Don Juan disse...

Ola,

Atravez de uma amiga , apareço aqui de bom grado e pelo que li , concerteza virei mais vezes..Gostei

Beijo