terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

AINDA É MINHA



Lendo cada página dessa nossa história
Como sempre... Não dá pra entender
Pois esse amor que dizias sempre sentir
Não devíamos nunca tê-lo deixado perecer
Entre nós era tanta paixão sendo vivida
Numa vida que não devia ter sido destruída
E até hoje em sonhos a vejo sendo reconstruída
Pois o tudo que vivemos nunca deu pra esquecer

E cada uma dessa páginas amareladas que releio
Faz meu peito gemer e sangrar de dor
Pois eu nunca consegui me libertar de você
Não importando o tempo que viveste desse amor
Nunca mais pude sem fingimentos me alegrar
Pois voltar a cabeça e ao passado olhar
Só tem me feito cada vez mais sonhar
Na esperança de me impregnar com teu olor

E eu sei que lerás cada uma dessas páginas
E inevitavelmente encontrarás nas entrelinhas
As feridas das quais foste o grande causador
E nesse atormentado desejo não me sinto mais sozinha
Pois eu lhe alcançarei, ainda que num mundo virtual
E ao leres cada uma dessas linhas, não acharás banal
E mesmo num reprimido grito, me sentirei triunfal
Ouvi-lo murmurar baixinho... Ela ainda é minha...

Um comentário:

Gil Ordonio disse...

1 comentário
Fechar esta janelaIr para formulário de comentário

SOL da Esteva disse...
Querida Gil

Magnífico o teu Poema.
Algo sofrido, mas com a Esperança "posta" em destaque.
"(...)Ela ainda é minha."

Beijos

SOL
http://acordarsonhando.blogspot.com/
14 de fevereiro de 2012 09:14

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios