quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

AS MUITAS MARCAS


Eu queria nunca ter conhecido o amor
Pois pouco me trouxe de alegria e prazer
Ele me deu muita tristeza, solidão e dor
Quando me impregnou de saudades de você

Do amor legítimo, verdadeiro, pouco vivi
E tudo quanto um dia me ensinaste
Perdeu todo o sentido... Quase morri
É que eu descobri o quanto me enganaste

No tempo, as muitas marcas foram ficando
E em cicatrizes minha alma se tornou
As muitas amarguras pela vida fui carregando
E isso foi o tudo que do teu amor me restou

Nunca mais acreditei em verdadeiras alegrias
Pois estas sempre escondem uma outra situação
Pelo teu amor conheci a frieza da hipocrisia
E todo o engano que pode esconder um coração

Então não me falem mais de amor... Por Deus
Já que dele só guardo amais profunda saudade
E esse amor que na verdade nunca foi meu
Conheci de perto... O homem e suas maldades

Talvez compreendam porque o amor me foi ruim
Ele me iludiu, como escrava me fez e me deixou
Fazendo na verdade,eu diria, pouco caso de mim
Por que então ainda vou acreditar no amor?

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios