segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Hoje


Eis que o dia se aproxima finalmente
Mas eu sei que perfeito não haverá de ser
Pois eu sei que em meio a tanta gente
Faltará para mim o principal que será você

Você, que sem querer a tudo isso iniciou
Pois foi a partir de você que algo nasceu
E eu lembro que a vida me confidenciou
Que o maior de tudo ainda não aconteceu

E numa existência tão ausente de afetos
Numa vida tão cheia de tantas amarguras
Eu nada tinha de mais puro e concreto
Que não fosse a lembrança de uma criatura

Criatura esta que me encheu de amor
E se foi levado pelo vento do acaso
E eu sei que a causa da minha dor
É a saudade constante dos seus abraços

E esse aconchego lascivo do seu corpo tão meu
Restou para mim apenas sua ausência tão doída
E os muitos encantos adormecidos do seu eu
Essa minha dor muito mais me martiriza

Eu sei que essas lembranças são apenas minhas
E essa dor tão mesquinha com certeza também
Mas sabemos que essa saudade também a tinhas
Mas bem sabes que esquecemos de matá-la porém

E hoje eu ainda dou vida a esse enredo
Que o nosso sono muitas vezes tirou
Mas ainda te confesso um pequeno segredo
E hoje eu ainda espero reviver esse amor

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios