segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Pincel E Caneta


Nossas almas pela sensibilidade estão unidas
Por algo que temos em comum, pode acreditar
Pois com o pincel aos sentimentos dás vidas
Já eu com a caneta deixo a minha alma chorar

Na tela deixas extravasar os muitos fantasmas
E de uma maneira muito perfeita bem se pode ver
Eu com as palavras sempre dou aos sentimentos alma
E muito mais quando eles falam ou lembram você

E nesse dueto quase tão perfeito há uma sintonia
Que por nós nunca foi descoberto e nem sei a razão
Mas sempre tivesses alma e espírito em harmonia
Talvez seja por isso,que no que fazes há perfeição

Enquanto que eu resignada sucumbo às muitas agonias
Que tem ao longo dos anos ferido sem dó meu coração
Vai ver que deixei que levasses toda a minha alegria
E hoje eu amargo sem piedade toda essa minha solidão

Mas realmente não é disso que hoje quero falar
Quero apenas comentar o que me chamou à atenção
É a coincidência de pela arte conseguirmos mostrar
O que guardamos no mais profundo do nosso coração

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios