segunda-feira, 4 de outubro de 2010

A Distância


Olhando para dentro de mim
Vejo que quase nada restou
E de toda aquela alegria enfim
Apenas a saudade em mim ficou

Saudade de cada toque que vi crescer
E como labareda pelo meu corpo crepitava
E eu, inocente não conseguia perceber
Que era o seu sinal que em mim deixavas

Hoje, que tanto tempo de tudo já passou
Ainda sinto a languidez do teu toque
E de todas as marcas que em mim ficou
A que mais me atormenta foi a mais torpe

Te entregaste para mim sem nenhuma reserva
Talvez por isso me foi tão difícil aceitar
Pois para quem não mediu suas entregas
Foi com certeza por viver só para me amar

Mas deixaste a distância nos separar
E nem percebeste o que tanto me afligia
E depois que me ensinaste a te amar
Não tinhas o direito de levar minha alegria

Te foste sozinho mas não me deixasse só
Algo visível ficou para eu não esquecer
Que de tudo o que restou,o meu bem maior
Foi com certeza ter podido te pertencer

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios