segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Talvez Eu Consiga


Nesse momento, tendo os olhos fechados
Sinto a suavidade do vento me tocar
E me entristeço, com o coração magoado
Pois sei que da vida nada mais posso esperar

E quando abro os olhos ainda percebo
O quanto tem sido doloroso o meu despertar
E eu sei que tudo o que hoje escrevo
É também muito difícil de alguém aceitar

Mas continuarei assim por mais um tempo
Até que a vida resolva para mim se fechar
Até meus lamentos se perderão no vento
Mas talvez eu consiga finalmente descansar

E muitos por certo se lembrarão de mim
E em tudo que um dia eu representei
Mas terei como por nessa história um fim
Pois isso foi algo que eu sempre esperei

Mesmo inconformada com o fim da minha história
Deixarei quando nesse dia eu finalmente partir
Cada uma das palavras gravadas, como uma glória
Pois eu sei que isso ninguém poderá destruir

E para quem quiser lembrar-me será muito fácil
E para esquecer-me talvez seja melhor ainda
Para lembrar-se basta buscar em cada espaço
Dessa nossa história para mim tão infinda

Para esquecer-me basta matar os sentimentos
Que um dia talvez por acaso nutriram por mim
Esquecendo também todo e qualquer ressentimento
Pois se deixarmos nisso o tempo consegue por um fim

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios