domingo, 22 de agosto de 2010

Sonhos Envelhecidos


Quantas vezes eu me vi pensando
No rumo que tomaram nossas vidas
E o pior, eu nunca ia acreditando
O quanto minha vida estava perdida

Foram tantos momentos desagradáveis
Que eu nunca pensei ter que viver
Eram situações quase que inacreditáveis
E a unica coisa que me fazia era sofrer

Acalentei meus sonhos sempre esperando
De um dia finalmente vê-los se realizar
Mas para aumentar os meus desencantos
Era apenas o tempo que eu via passar

Então fui me acostumando aos desgostos
Muito pouco da vida eu tinha em alegrias
Meus sonhos envelheceram, ficaram rotos
E eu mergulhei numa profunda melancolia

Hoje dos muitos sonhos restam as cinzas
Da esperança nem mesmo um leve traço
As tentativas de salvar-me foram infindas
Tudo se perdeu na ausência dos teus braços

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios