terça-feira, 24 de agosto de 2010

Apenas Adormeceu


Para que tanto masoquismo
Pare de sofrer e em ti te refugia
Pois o que os olhos não lêem
O coração não sente
Deixa o meu saudosismo
E acaba com essa tua agonia
Deixa pura a tua mente

Que te importa o que um dia vivi
O que busco sempre relembrar
Essa é a minha forma de vida
Esse é o meu jeito de sonhar
Os anos se foram mas nada esqueci
Aquieta teu espírito e volta à tua lida

Não se pode negar o que aconteceu
Mas nada em nada vai mudar
Te contenta com o que tens
O que foi... Apenas adormeceu
Mas não o queiras despertar
Já que as lembranças sempre vêm

Em tua vida sempre perdurou a calma
E não era apenas o desejo de se enganar
Então não atormentes tanto a tua alma
Não deixe nada te perturbar
Será inútil lutar contra o que não podes
Esse meu resumido mundo
Não o podes destruir
Infelizmente ele é oriundo
Do que nunca deixou de existir

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios