terça-feira, 24 de agosto de 2010

Calado Grito


Não sei onde se escondeu minha alegria
Esta perdeu-se na calada da noite triste
E eu me contorço diante de tanta agonia
Apenas eu lembro do que não mais existe

Calo-me diante da imensidão dessa dor
Pois sofrer calada é o tudo que me restou
Foi muito bom amar esse teu grande amor
Maior porém foi a dor que em mim ficou

E perdida nos braços da fria madrugada
Procuro em vão esquecer o que passou
Mas eu sei que não será sofrendo calada
Que porei um fim a essa tão grandiosa dor

Dor por tudo aquilo que um dia eu perdi
Se não foi pelo amor dado, foi pelo recebido
E eu bem sei, que o nosso tudo que eu vivi
É o que ouço agora nesse meu calado grito

Até hoje recordo ansiosa cada momento
Lembranças que me impediram de ser feliz
Sei que nunca me livrarei desse tormento
Como sei que nenhum de nós a isso tudo quis

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios