domingo, 29 de agosto de 2010

Um Novo Amanhã



Quanta tristeza estampada em meu rosto
No meu sorriso nada se vê além de amargura
E nada acontece que tire de mim esse desgosto
Que tenho aceitado até com uma certa brandura

Minha alma chora um pranto silencioso
Entendendo que o mundo deve tal dor ignorar
Meus sentimentos tem um que de misterioso
Que em muitas vezes parece querer me sufocar

E essa dor de sentimentos tão miseráveis
Toldoa minha mente asfixiando todo meu ser
E todos os momentos que me foram desejáveis
Se perderam na ausência dolorosa de você

Acredito que a minha única e grande esperança
É a certeza que um novo e calmo amanhã virá
E talvez ele me traga um pouco de confiança
E novamente a certeza de ainda poder lhe amar

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios