quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Nossa Rotina


Outra vez que já é quase madrugada
E novamente eu sem conseguir dormir
Mesmo já sentindo a vista embaçada
Mas meu pensamento está longe daqui

A tua ausência hoje tão constante
Me deixa tantas vezes entristecida
E essa tua presença de mim distante
Me faz pensar que já fui esquecida

Mas quando a noite já se prepara
Pra nos braços da madrugada dormir
De repente o meu coração dispara
Meu telefone toca, é você posso sentir

E é uma alegria imensa que me invade
Não me esqueceste,ainda lembras de mim
Até acreditei ser o destino covarde
resignando-me a ser infeliz por fim

E nesses minutos que agora contigo falo
Ouço o meu coração fremindo meio sem jeito
E pra te ouvir melhor eu as vezes me calo
E deixo tuas palavras ecoarem no meu peito

Essa madrugada que se iniciou receosa
Agora até se agita em meio aos risos
E tu madrugada, tantas vezes caprichosa
Ao menos hoje me deixa em paz, eu insisto

Não importa que a noite desmaie de cansaço
Nos braços frios da indiferente madrugada
Pois da noite a solidão eu sempre abraço
Por ser nessas horas que me sinto mais cansada

E quase sempre a cada romper de um novo dia
Tranco calada a solidão nas noites tristes
Sinto fugindo pelas madrugadas minha alegria
Pois eu sei que nossa rotina não mais existe

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios