terça-feira, 2 de dezembro de 2008

Se Me Fosse Pedido


Se eu pudesse quem sabe parar o tempo
Muitas coisas com certeza eu iria fazer
Mas para agora, para esse exato momento
Somente te confortar era o que eu ía querer

Já se me fosse permitido voltar no tempo
Inúmeras coisas eu trataria logo de mudar
E para diminuir teu angustiado sofrimento
De você eu pessoalmente ía querer cuidar

Mas para a minha infeliz desgraça total
O tempo eu nunca, jamais poderei parar
E para essa minha declarada angústia final
No tempo infelizmente não poderei voltar

Então me surge uma cruel e triste verdade
Se o tempo eu realmente não consigo parar
Como lutarei se me abrevia o tempo, a idade
Aumentando a angústia que paira no meu olhar

Talvez eu pudesse encontrar algum jeito
Se menos idade eu hoje assim tivesse
Então eu poderia tirar a dor do teu peito
Mas isto também não seria só se eu quisesse

Pois se parar o tempo me parece tão difícil
O que poderei dizer de fazer o tempo voltar
Isto é certo que é mesmo algo impossível
Mas bem que eu posso o hoje melhor aproveitar

E que seja dessa forma que assim nos determina
Esse destino cruel e implacável de nós dois
Se o tempo frio e impassível a mim ainda domina
O destino deveria faze-lo se arrepender depois

Então para esse momento eu mesma me proponho
Viver esse meu hoje sem preocupações ou receios
E para agora aos teus pés a minha vida deponho
Sei que é pouco, mas nela estão todos meus anseios

Mas quem sabe eu ainda possa então conseguir
Uma forma até bem mais simples para te ajudar
Meus momentos poderei contigo então dividir
Para a tua alegria tentar um pouco somar

E entre uma lágrima ou mesmo um sorriso
Ver novamente o brilho voltar ao teu olhar
E na certa eu tudo daria se me fosse pedido
Para finalmente poder ver a tua vida mudar

E como recompensa eu poderia também ver
A tua vívida alegria por fim voltar
E finalmente eu conseguiria outra vez ter
Esperanças do teu sol novamente brilhar

E sempre nas minhas frustrantes madrugadas
Onde a solidão se deita para não dormir
E eu cantaria, mesmo que só o fizesse calada
Todas as razões para te fazer outra vez sorrir

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios