sexta-feira, 26 de novembro de 2010

É Tudo Tão Estranho


Eu não sei o que é que está acontecendo
Pois busco-o na memória e já não o encontro
Acho-o sim, no horizonte da minha vida se perdendo
E disso eu tenho medo e não quero aceitar...
Mas a minha alma me parece tão indiferente
Acho mesmo que ela não sente
Ou não quer essa mudança aceitar

Tento chorar e as lágrimas não vêm
É como se elas tivessem secado
Tenho o espírito tranquilo, tão sereno
Eu sinto e vejo tudo tão diferente porém
Parece até não mais haver um coração machucado
Em mim já não sinto aquele grito calado
Apenas me sinto calma e estranha também

E olhando para trás percebo a distância
Que parece surgir com certa alegria
Já não preciso do tempo, a arrogância
Esta se perdeu nas longínquas agonias.
Não sei realmente o que está a acontecer
Tento buscar vida onde sempre encontrei
Mas estou percebendo que ela já não é mais você

E uma indiferença pelo que foi... Acontece
E não encontro para isso nenhuma razão
Será não ser mais você a minha espera
O meu tudo e a minha inspiração?
O que será que está me acontecendo?
Já não tenho olhos nem ouvidos para o ontem
Eles se fecharam no meu hoje, numa fria emoção

Que sentimento será esse que me é indiferente
Que parece acabar com o tudo que sempre foi
Será que já não esperarei pelo depois
Que insistentemente busquei pela vida à fora?
Será que o que eu sempre julguei ser o meu tudo
Se perdeu nessa longa e triste história
E que o meu coração apenas repousa mudo?

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios