sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Ausência Doída


Nesse mundo temos visto tantos horrores
Que nos chocam e que é difícil de esquecer
Soçobram as muitas mágoas dos grandes amores
Mas de tudo o mais difícil é viver sem você

Pois pra mim tudo perdeu a beleza e o sentido
E nada que acontece consegue essa dor suavizar
Vivo solitária e sempre em busca do algo proibido
Proibição essa tão difícil e eu não consigo aceitar

E são muitas as vezes que em suaves lamentos
Ou mesmo em angustiosa e interminável dor
Que eu choro diante desse meu sofrimento
Que me foi causado pela perda de um amor

E isso é algo que muito tem me atormentado
Que tanto me impede de algo compreender
Pois eu tenho o meu coração dilacerado
Tudo por causa dessa ausência doída de você

Mas quem sabe um dia eu ainda veja
Tanto sofrimento finalmente ter um fim
Para isso basta dizer que ainda me desejas
E que ainda continuas pensando em mim

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios