terça-feira, 2 de novembro de 2010

Destino


Eu não sei porque na vida da gente
Acontecem coisas as vezes sem sentido
Como, quando pessoas se tornam ausentes
Isso é coisa do destino,é o que nos têm dito

Não importa na verdade qual seja a razão
De vermos a nossa vida mudar de repente
São acontecimentos que machucam o coração
E que quase sempre não nos é indiferente

E embora os anos nós vemos passando
O que aconteceu sempre permanece guardado
Prosseguimos na jornada sempre caminhando
Mesmo que tenhamos um coração magoado

Um dia quem sabe ainda nos aconteça
O que a vida por capricho tenha nos negado
E só nesse momento veremos com clareza
O por que do nosso destino cruel e desgraçado

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios