sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Revolvendo Minhas Memórias


Com o olhar parado diante do nada
Rebusco tristonha um tempo perdido
Revolvendo minhas memórias guardadas
Na angústia desses momentos sofridos

E prosseguindo em meio as tormentas
Procurando as muitas mágoas sufocar
Porém na vida tudo a gente enfrenta
Quando desejamos por alguém mudar

Persegui muitas vezes em louca corrida
Razões para que eu pudesse continuar
Se para com a vida estou sendo atrevida
Bem mais foi ela quando quis te apresentar

E ao olhar os caminhos ainda não percorridos
Pensando de algum modo ter como deles fugir
Penso em ti e meu coração se enche de carinho
Pois foi contigo que outra vez voltei a sorrir

E quando em meus pensamentos estou mergulhando
Refletindo em tudo que nessa vida já passei
Por vezes o silêncio ouve que estou soluçando
É quando me lembro que da vida pouco alcancei

E o meu triste consolo tem sido nisso tudo
Perceber que na vida erros também acontecem
E se hoje meu peito grita infeliz e mudo
É por saber que as melhores coisas perecem

Mas nesse meu sofrimento eu consigo ainda fingir
Mesmo quando tenho o coração assim tão magoado
Minha dor é por eu ter nascido bem depois de ti
Porque assim não posso ter o meu destino mudado

Sofro muito mas não importa se tem que ser assim
Eu gostaria muito era de poder na tua vida viver
Saber que a cada dia esperavas também por mim
E poder da vida desfrutar ao teu lado todo prazer

Apenas em Sonhos



Quizera olhar-te e não precisar temer
O muito que eu sempre venha a sentir
Esquecer a loucura desse meu querer
E não precisar fugir desse teu olhar

Porém o meu grande pecado e mal maior
É viver sempre sonhando mesmo acordada
E perceber ao acordar que continuo só
Permanecendo apenas a solidão abraçada

É doloroso ter sempre que sorrir
Mesmo que a alma esteja em prantos
Viver eternamente apenas para fugir
Fugir para longe desses teus encantos

E é como adolescente que vivo sonhando
Pois nos teus braços me sinto embriagada
E sempre sonhando que estás me amando
Mas é apenas nos sonhos que eu sou amada

Apelo à consciência


As vezes me pergunto até onde vai a maldade humana. Muitos casos nos são mostrados no cotidiano nosso de cada dia.São tantas as pessoas que se dizem cristãs, vivem apregoando a palavra de Deus sem contudo viver esta verdade que hipocritamente nos impinge conforme seus próprios conceitos.Eu só posso dar o que tenho. Se não há dentro de mim amor ao meu próximo, como posso querer fazer as pessoas entenderem o significado de tal atitude se eu mesma a desconhece-la? è necessário se ter o amor de Cristo dentro de si para compartilhá-lo com o irmão. Muitos são os escribas que vivem éntre nós. Que valor tem para o meu eu, se procuro passar para as pessoas algo que eu não tenha? estarei enganando a mim mesma, pois a Deus ninguém engana. Sejamos justos para não sermos condenados.
Se Jesus nos disse:" Vinde a mim todos que estais cansados e oprimidos e eu vos aliviarei" Será que não fazemos parte da classe de opressores? Sejamos verdadeiros para conosco mesmos... Que sono é esse, que ao deitar em minha cama confortável e perfumada durmo tranquilamente enquanto o meu irmão dorme ao relento tendo como coberta jornais e até mesmo papelão. Com certeza não é o sono de um justo, mas sim o de um hipócrita escriba. Não quero com isso dizer que devamos sair por aí pegando as pessoas que estão desabrigadas e famintas e levá-las para casa...não, o que eu quero dizer é que se cada um fizer a sua parte irá com certeza melhorar um pouco o cotidiano de muitos e principalmente a sua consciência. De que me serve viver numa igreja(seja ela qual for) se eu própria não consigo ser templo e morada do Espírito Santo? Sejamos humanos, humildes, caridosos e sobretudo amorosos e seremos dignos de sermos chamados filhos de Deus.

quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Pequenos Gatinhos



Estou me sentindo terrivelmente miserável
Algo que fiz sem medir as consequências
Hoje me encontro numa situação desagradável
Vítima talvez da minha própria inexperiência

A história é um tanto quanto longa e penosa
Direi apenas o desfecho final da minha ação
Trata-se de um gatinho e sua irmã dengosa
Que deixei que fossem levados sem hesitação

Já há dois dias que procuro deles notícias
Praticamente não como e não durmo também
Tirei de certa forma da nossa casa a malícia
Que fazia parte dessa alegria que ía tão além

Deixei que os dois gatinhos fossem levados
Pensando que os mesmos teriam uma moradia
Mas descobri que os mesmos foram largados
E desde então perdi parte da minha alegria

Preciso urgentemente tomar conhecimento
Da vida desses pequeninos bichinhos
Pois temo que seja grande o padecimento
Pelo qual esteja passando esses gatinhos

Ah! se eu pudesse então voltar no tempo
Jamais da minha casa eles teriam saído
Pois com isso só consegui sofrimentos
Nunca pensei ter momentos tão deprimidos

Que Deus perdoe essa minha cruel ação
Nunca suspeitei que eles iriam sofrer
Afinal eu tenho no peito um coração
Machucar os bichanos eu nunca iria querer

Mas nesse momento meu único desejo
É encontrar de vez esses gatinhos
Poder outra vez com amor acolhe-los
E apenas tratá-los com muito carinho

Mil Razões


Como eu queria poder te falar
O que as vezes me vem aos lábios
É algo que as vezes nem ouso pensar
Com receios de provocar um agravo

Mas como me faria realizada
Poder nos teus olhos mergulhar
Neles perceber que sou desejada
Que também anseias me amar

E meu pensamento em desalinho
Me faz estremecer ante teu olhar
Nem percebo em volta o burburinho
Apenas estou em busca de te alcançar

As vezes tropeço em meus pensamentos
Tentando desesperada de ti esconder
Que tua presença as vezes é um tormento
Pois não devo sequer te surpreender

Surpreender-te com um leve carinho
Ou mesmo algo um pouco mais ousado
Qualquer coisa que ao ver-te pertinho
Te fizesse sentir que estou ao teu lado

E quem sabe assim pudesse eu
Esse meu desejo de vez libertar
E por um momento dizer-te és meu
E ouvir-te dizer só quero te amar

E assim de desejo por fim saciado
Com o coração de alegria saltitando
Repousaria em teu peito tão agitado
E sorriria feliz por estar amando

E um ardente e voluptuoso beijo
Aquele momento iríamos consagrar
Alheia a tudo encontraria em teu peito
Mil razões para tudo poder continuar

E nesse nosso mundo tão ousado
Completo de sonhos e sem ambição
Nesse mundo morreremos abraçados
Se não resistir a tanto meu coração

E seríamos muito felizes até o momento
Em que esse elo de amor se quebrasse
Não importando prá onde irá o pensamento
Daquele que aqui triste ainda ficasse

E quando a mesquinha saudade de um acontecer
Será nas lembranças que o tempo não desfez
Mas se na solidão sentires um leve estremecer
Não temas sou eu beijando de leve a tua tez

Longa Jornada


Ao Meu Amigo Sérgio

Na longa jornada da vida
Algumas vezes eu quase parei
Mesmo estando meio perdida
As longas curvas enfrentei

Nas esquinas da vida vislumbrei
Muitos encantos, até desencantos
Pelos muitos lugares por onde passei
Porém só a tristeza ficou no entanto

Nas rudes passarelas da existência
Vibrei por paixão, vibrei por prazer
Mas a maior das minhas carências
Foi não ter encontrado antes você

E em cada descida que eu fazia
Meu semblante mais se fechava
Era esse o preço da minha agonia
Por algo que eu já não acreditava

Até que um dia a esquina dobrei
Já quase sem forças, prestes a cair
E foi nesse momento que te encontrei
E desse triste mundo comecei a sair

Me deste força ao me dares a mão
Me deste vida ao olhar para mim
Desses sossego ao meu coração
Encontrei o que buscava por fim

Hoje tenho a estrada florida
Já não temo o que me possa surgir
Minha alma por ti se fez vencida
Por ti o meu mundo voltou a sorrir

E nessa constante e longa trajetória
Me é bastante saber da tua existência
Ela enriquece a minha pobre história
Mesmo se para mim és apenas ausência

E nessa jornada tão obrigatória
Outros desvios com certeza virão
Mas todos me encherão de glórias
Se em cada um eu sentir a tua mão

Até que num belo ou triste dia
Essa viagem será interrompida
Mas para mim será só alegria
Se estiveres na minha despedida

Vívidas Estações



À minha filha Audrey

Em tua tenra juventude
O amor se fez presente
Eras quase menina
Quando a alegria
Se fez ausente
A rosa do amor
Muito cedo desabrochou...
O outono sorrateiro
As pétalas levou
Carregadas pelo vento
Do dissabor...
Friamente,
O inverno da saudade
Corroído pelo tempo
Em seu coração se alojou.
Mas eis que de repente
Após tantos dissabores
Surge em sua vida
A estações das flores...
A primavera chegou
Tão florida
Tão doce, tão cheia de vida,
Em forma do amor...
E este brotou
Suave como o roçar do vento
E num doce momento,
Uma pétala macia
Vem se abrindo,
Preguiçosa
Aguardando o calor da paixão
Ansiosa.
E quando despontar
Esse verão
Um sonho, uma gostosa emoção
Surge
Fremindo em teu coração
E este inquieto
Numa rotina irrequieta
E tua cabeça por vezes tonta
Ante a nova ventura
Que no encanto perdura...
O outono chegou
E como o inverno se foi...
A primavera surgiu
E o verão acontece
O amor que ungiu
A emoção enaltece,
Um novo horizonte
As portas se te abriu
É o amor...
Nesse sonho maior
Quue veio te acontecer
Para unicamente te dizer
Que ele é o teu futuro
Tão presente,
Um amor tão maduro
Tão forte e altaneiro
Que te dá forças
Para lutar e enfrentar
O mundo inteiro

Sonho Proibido


Por que as vezes me parece
Ser tão difícil assim escrever
E meu coração até que esquece
De que forma eu possa fazer

É bem mais fácil falar com o olhar
E poder deixar a imaginação fluir
Basta ter liberdade para poder sonhar
Ao invés de um frio e constante fingir

Se pudessemos o mundo transformar
E deixar falar mais alto o coração
Ao invés de no peito ter que sufocar
O que quase me faz perder a razão

Mas não posso deixar-me envolver
Pelos sonhos que me atormenta
O que de sensato eu posso fazer
É deixar passar essa tormenta

E quem sabe um dia eu consiga
Escrever o que guardo comigo
E eu sorrateiramente te diga
O que julgo ser tão proibido

As vezes eu tento para ti sorrir
Mesmo tendo a alma em prantos
Pois eu me canso de sempre fingir
Com receios de perder teus encantos

E por não escrever vivo sonhando
Com o aconchego dos teus braços
É em sonhos que vives me ralizando
Me enlouquecendo com os teus afagos

E percebo que pronta nunca estou
Para escrever o que guardo comigo
Pois não é fácil dizer que estou
Vivendo este sonho tão proibido

Mas há um amanhã que nos espera
Onde os sonhos se pode realizar
Onde eu possa viver a quimera
De não escrever mas sim de falar

E terei então arrancado do peito
essa aflição que tanto me tortura
Se escrever não consigo, não há jeito
Que ao menos meu olhar fale sem censura

E quem sabe nessa troca de olhares
A razão se deixe por fim sufocar
E apesar de todos os pesares
Prevaleça entre nós o verbo amar

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Confissão


Essa cor plúmbea que vejo no céu
Tal qual está esse meu coração
Até parece de manso tecer um véu
De tristeza nessa minha emoção

O silêncio que minha alma cala
Parece queimar com lentidão
Cada segundo que a voz não fala
Impedindo sempre a vez da razão

E num soluço já quase mudo
Busco teu olhar com sofreguidão
E para quem do nada fez um tudo
Deixo falar ao menos meu coração

E nessa razão já quase louca
Ouço o esgar de uma outra razão
Fechando os olhos sinto tua boca
Quase beijando-me nessa emoção

E um louco e inquieto desejo
Aflora os instintos meus
Mas em seguida eu logo percebo
Que meus desejos já não são teus

É a chuva do desgosto que de manso
Vem caindo sem qualquer segredo
E mergulhada nesse anseio me canso
De querer vencer esse teu medo

Já não há brilho nessa minha emoção
Enveredo-me pelos caminhos do talvez
Quem sabe eu ainda sinta a sensação
Que me leva a essa eterna embriagues

E assim em cada lágrima vertida
Há um sorriso pronto para brotar
E minha alma mesmo enternecida
Já não te pedes para me amar

Pois já não quero mais sofrimentos
Incertezas também já não aceito mais
Não desejo apenas loucos momentos
Só quero que me ames se fores capaz

Que juntos enfrentemos a solidão
Esqueçamos da dor e dos tormentos
Que não exista receios nessa emoção
Abriguemos apenas doces momentos

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Reclamas


Tens me falado que ando estranha
E pensas por certo não haver razão
Mas não sabes que é grande a façanha
Quando procuro disfarçar minha emoção

Muito me tens reclamado que ando alheia
Por vezes até tens me achado diferente
É que não percebes o que meu olhar permeia
Sempre que de mim te encontras ausente

Muito difícil tem sido os meus dias
E as minhas noites com certeza bem mais
Pois só em ti encontro razão para alegria
Pois só contigo minha tristeza se desfaz

As horas de tédio que se arrastam
Quando me envolvo na tua ausência
Da vida os melhores sonhos se apagam
E revelo-me nessa inquieta transparência

E esse lúbrico olhar que me traspassa
Desejoso de perder-se dentro de mim
Demonstras nesse olhar que me abraças
E muito feliz vou emudecendo por fim

E os nossos momentos calmos e silenciosos
Que na verdade nem são tão calmos assim
São para nós com certeza bem mais preciosos
Do que se os fossem afinal só para mim

Pois o silêncio sempre é bem mais forte
Quando há um eco ressoando dentro da alma
Pois não há palavra mesmo que seja torpe
Que consiga de fato nos tirar essa calma

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

À Patrícia Tieko


A vida tem nos mostrado tantos mistérios
Que na maioria das vezes nem compreendemos
Tudo querer saber se torna até sacrilégio
Na verdade não importa se pouco sabemos

Por obra creio eu do grande destino
Algo intessante comigo aconteceu
Eu acredito ter sido plano divino
Mas foi algo que comigo muito mexeu

Foi numa certa manhã que tudo começou
Quando meu e-mail eu fui então abrir
E uma mensagem minha atenção chamou
Era simples, tão simples como um sorrir

O interessante dessa história toda
Essa pessoa eu parecia já conhecer
Não sei explicar, eu parecia boba
E meus problemas eu já podia esquecer

Patrícia Tieko, o nome da jovem é esse
Que entrou esta manhã em contato comigo
Por Deus, talvez eu nem tanto merecesse
Para ser colocada no seu rol de amigos

E por ela logo senti uma enorme afeição
Por essa jovem que me pareceu carente
De carinho logo se encheu meu coração
E foi com certeza do destino um presente

Eu não sei bem o que contigo se passa
Mas nas entrelinhas sempre se pode ler
Um misto de sonhos e desejos que ultrapassa
Receios do amanhã que cautelosa pareces temer

Mas com certeza um dia você também conheceu
Momentos de alegria e também muita emoção
E o sofrimento tuas experiências enriqueceu
A prova disso são as cicatrizes em teu coração

Eu gostaria muito de um dia quem sabe
De poder pessoalmente vir a te conhecer
Mas por ora com o crescer da nossa amizade
Só terei que muitíssimo a Deus agradecer

Olha Patrícia Deus sempre sabe o que faz
E nós com certeza nunca do que falamos
Mas te conhecer muita alegria me traz
Pois coisas boas da vida é o que desejamos

E saber que você agora está fazendo parte
Desse meu mundo criado de modo inseguro
E para você nesse momento quero desejar-te
Um mundo melhor e com um lindo futuro

Que a paz de Deus presente sempre esteja
Na vida dos teus e claro na tua também
E acredite nem sempre são más as surpresas
As vezes ela nos transporta um pouco além

Nos dando um pouco mais de segurança
Nos fazendo também um pouco refletir
As vezes o destino nos traz mudanças
Que tentamos sem perceber dela fugir

Gostaria muito de em breve quem sabe
Me dizeres que estás feliz finalmente
Mas por enquanto por essa nossa amizade
Eu agradeço a Deus e a você simplesmente

sábado, 25 de outubro de 2008

Mais Um Sonho


Quantas vezes eu te vi chegando
Caminhando para mim lentamente
E percebo tua boca a minha desejando
Teus braços a rodear-me calmamente
E assim meu desejo se realizando

E nesse momento me sinto feliz assim
Me convidas com o olhar, aceito sorrindo
Até que muito infeliz percebo por fim
Que eu estava sozinha e apenas dormindo
Nada foi além de mais um sonho para mim

Uma lágrima rola pelo meu cansado rosto
É a tristeza que me chega sorrateira
E com ela me abraça friamente o desgosto
E a saudade me toma por reles prisioneira
E a ilusão se torma o meu grande consolo

Pela vida talvez procures um jeito qualquer
De aliviar também as tuas incontáveis dores
Mas eu sinto que qualquer coisa que eu fizer
Será com certeza quase nada, diante dos valores
Que destinas para aquela que for a tua mulher

E prossigo sempre quieta e desejosa ao teu lado
Tentando vez por outra teus momentos alegrar
Desejando que nunca permaneças para mim calado
Pois eu preciso sempre de ver tua figura chegar
Transbordando alegria sem nenhum ar de desamparado

sexta-feira, 24 de outubro de 2008

Anseio




A brisa suave que me toca calidamente
Nesta ensolarada manhã
Me transporta para inesquecíveis
Momentos
Que atoordoam ma minha mente
Enlouquecendo a minha alma
Já tão saudosa de um nós...
São momentos eternos,
Abrasadores
Loucos em sua essência maior.
Estou perdida... como tantos
Que se perderam
Na estranha euforia de sentir-se
Talvez, um pouco menos infeliz...
Se ao menos ao fechar meus olhos
Eu pudesse sentir e viver
Cada gesto, cada toque
Sem precisar temer
O que não veio
Por falta do que não chegou
Ah! se esta brisa tomasse forma
E me tomasse para si
Mitigando esse desejo louco
Que insiste em me perseguir

Pensamento Atordoado


Eu estava pensando
Que havia pensado
Então percebi que havia sonhado
Que estava sonhando
Contigo ao meu lado
Será que foi mesmo sonho
Ou será que já havias
Me abandonado?
Pensei... ter sonhado...
Tudo isso é passado
Pois eu tenho a certeza
De ter-te sempre ao meu lado...
Sonhei... ter sonhado...
Pensei... ter pensado...
Mas que confusão!
Nada disso faz sentido
Se continuamos lado a lado
Se ainda é teu meu coração...
Se ainda continuas apaixonado

Para Bellinha


Mas que olhar faceiro
Que vive a me observar
Seu jeito tranquilo e matreiro
Que fácil consegue me fascinar
E uma espontânea tranquilidade
Que flui do seu lindo olhar
Em cada gesto demonstra vivacidade
E sempre consegue a todos conquistar
Deitada simplesmente
Ou mesmo a dormir
Com gestos lindos e dolentes
Revela uma beleza, que igual
Nem sei se tem por aí...
Faz parte das nossas vidas
Esse pequenino ser
Ela nos é muito querida
Ela é verdadeiramente
O nosso bem querer.

quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Epílogo de Uma Existência



Muito sinto, mas preciso te dizer
Que entre nós já nada mais existe
Só preciso fazer você entender
Que hoje para mim tudo é triste

E quando sozinho começares a pensar
Perceberás que não pecaste sozinho
Me culpo por ter-me feito acreditar
Que poderíamos trilhar novo caminho

E foram tantos momentos amargurados
Que em vão tentei por vezes sufocar
E sempre que estavas muito calado
Eu sentia mais nada haver para salvar

E foram longos anos sempre insistindo
E muitas vezes não querendo acreditar
Mas sem forças aos poucos ía desistindo
Já não havia mesmo motivos para sonhar

Mas para meu consolo nesse momento
É saber que não foi eu que busquei
Motivos para tantos constrangimentos
Pois só nos meus sonhos eu tropecei

Mas hoje porém tão cheia de amarguras
Não encontro mais motivos para prosseguir
Bem sei que te dei pela vida muita doçura
E nunca fui mulher de fingir nem de trair

Mas para que se torturar tanto assim
Bem sabemos que nada poderá ser feito
Não queiras o respeito tirar de mim
Me deixe ao menos com alívio no peito

Busque pela vida a fora um outro consolo
Pois para nós já sabemos está tudo perdido
Não pensaste em mim quando usaste de dolo
Por Deus então esquece que já foste meu marido

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

Meu Desejo


Se meu olhar te suplica por uma chance
É que meu corpo anseia o teu abraçar
As vezes até me sinto como em transe
Apenas querendo deixar de contigo sonhar

Se fecho os olhos te vejo ao meu lado
E eu como louca só querendo te beijar
E se te sinto um pouco mais encostado
Fico só esperando que comeces me tocar

E muitas vezes chego a sonhar com teu peito
Onde a minha cabeça tranquila deixo repousar
E percebo que me olhas assim, meio com medo
É que sentes quanto desejo teus lábios tocar

Minha mente é um verdadeiro emaranhado
Por vezes me perco entre o sonho e o real
É quando vejo que não estás ao meu lado
Pois estou bem acordada e sozinha afinal

Ah! se da vida outra chance eu tivesse
E me deixasse pelo menos te abraçar
Talvez da vida eu bem mais quizesse
Agora uma chance para não mais sonhar

Pois sonhar é não poder em teu peito
Minha vida sem receios alí depositar
Sentir teu olhar de ternura e sem jeito
E saber que não posso sequer te tocar

Mas sonhar seria querer-te ao meu lado
E não poder nunca como agora te amar
Continuar a te sentir talvez atrapalhado
E não poder sequer de teus lábios provar

Não, não desejo apenas continuar sonhando
O que quero é poder contigo tudo mesmo viver
E nos nossos momentos vivermos bem amando
E ser felizes era o que mais desejaríamos ser

Era poder abrir os meus olhos e ter a certeza
De que juntos para sempre nós iríamos estar
Sentir tua mão entrelaçando a minha na grandeza
Desse desejo que em teus lábios eu iria encontrar





Inquietação


Um vento frio e enevoante
Fustiga sem dó meu coração
Minha alma se faz inquietante
Mergulhada num mar de emoção

E um grito calado se faz ouvir
São as celeumas do meu coração
Que vibra e a cada sorrir
Se ouve um eco em meio a explosão

E nunca mais eu te verei sorrindo
Só a saudade em meu peito explode
É a dor que deixaste, partindo
Que de tristeza meu ser sacode

E sentiremos saudades quando distante
Bem sabes que tua ausência não me é grata
E nos sentiremos como dois errantes
Numa existência tão rude e abstrata

E como consolo terei a esperança
Da quase certeza de reverte um dia
E nessa minha contínua andança
Te reencontrar será minha alegria

terça-feira, 21 de outubro de 2008

Meu Amanhã


Pensando em tudo que essa vida já me deu
E dos presentes que ela mesma me tomou
Tenho por certo que alguém já mereceu
Tudo aquilo que de mim nunca ganhou

E as vezes quando na vida vou pensando
Percebo que ainda há muito por eu ganhar
Mas eu sempre de todos estou desconfiando
Para não ter que por algo sempre renunciar

Mas nesse momento porém, eu sinto
Que para mim já não haverá surpresas
Falo sem medo de errar,juro não minto
Descobri que na vida ainda existe beleza

Talvez por ter da vida recebido
Amizades que eu sequer nunca pensei
Eu as tive por certo como algo proibido
Hoje percebo que por outros muito errei

Mas agora, nesse momento afinal
Onde tudo me parece bem tranquilo
Ainda pensar assim seria irracional
Pois não existem amigos proibidos

E hoje sinto-me leve e tranquila sim
Se no ontem perdi por inexperiência
O hoje que me abraça apaga de mim
Um passado frio,cheio de desistências

Mas para o meu amanhã que se anuncia
Tão cheio sonhos perfeitos e radiantes
Para esse meu futuro a vida prenuncia
Momentos que serão bem contagiantes

E repetirei sempre a cada novo dia
A noite se foi levando todos os temores
Para o meu hoje só quero muitas alegrias
E para o meu futuro quem sabe... amores




domingo, 19 de outubro de 2008

À Pequena Agnes



Hoje ao retornar para minha casa
Encontrei parada no estacionamento
Uma linda menina que é uma brasa
Falo da minha vizinha de apartamento

Agnes, é assim o nome dela
Parece uma linda bonequinha
É super sapeca e tagarela
Essa filha da minha vizinha

Muito esperta como determina a idade
Acho lindo quando começa a conversar
Ela mostra ter forte personalidade
Isto se percebe só ao ouvi-la falar

Ela lembra muito a minha Kelsinha
Quando também tinha essa idade
Eu queria muito que ela fosse minha
Para eu alimentar a sua vaidade

Agnes quão formosa é essa pequenina
As vezes me lembra uma história
Quando fico a olhar essa menina
Revivo mometos de grandes vitórias

E será sempre bela e muito graciosa
E isso ainda durante muitos anos
Essa criança que é muito prodigiosa
Até que o tempo lhe roube os encantos

Encantos que a mãe natureza
Deixará o tempo ladrão roubar
Já não haverá da criança a beleza
A adolescência ocupará esse lugar

E percorrendo essa estrada longa da vida
Essa linda criança vai um dia despertar
Se transformando numa adolescente querida
Que aos pais com certeza muito irá alegrar

E temos por certo nunca irá se lembrar
Das grandes peraltices da sua tenra idade
Mas com certeza os pais irão registrar
Esses momentos de magia e felicidades

Ainda é Tempo


Por que será que Moisés nunca se decide
E procura se dar uma outra oportunidade?
bem sei que na vida é sempre muito triste
Quando se deixa falar mais alto a vaidade

Passar por essa vida e não conseguir reter
Uma belíssima e grande história de amor
Lá na frente por certo um dia vai querer
Voltar no tempo e se livrar dessa dor

Mas Moisés queira acordar que ainda é tempo
Não deixe mais uma vez esse amor se afogar
Você e a Karen ainda têm grandes momentos
E muitos sonhos ainda para se realizar

Permita que entre vocês o amor se faça
Cada vez mais firme e também altaneiro
Se deixem tomar por essa grande graça
Sejam fortes e enfrentem o mundo inteiro

Realizem os pequenos e os grandes sonhos
procurem nessa vida sempre juntos caminhar
Porque para os pesadelos frios e medonhos
Deus irá sempre aos dois com certeza livrar

Busquem com amor da vida todos os encantos
E desse mesmo amor todos os acordes perfeitos
E de suas vidas risquem para sempre os prantos
E tudo aquilo que ainda consista em defeitos

Priorizem Deus, o amor e a perfeita união
Juntos lutem sempre buscando a tudo vencer
E qualquer tristeza que surja no coração
Que o amor impeça sempre de vir a crescer

Que o amor entre ambos por fim se eternize
Fazendo-os fortes e num doce e sublime afã
Os sonhos de ambos aos poucos se concretize
Dos desejos nascidos a cada nova manhã...

À Andrey e Carlinhos


Eis que na vida da Andrey surge o Carlinhos
Que fará mudar dessas vidas toda história
Ele com seu jeito meigo e cheio de carinho
Irá prepará-la para uma caminhada de glórias

No começo bem que foi um pouco difícil
Eu diria com certeza bastante conturbado
Mas foi como muito bem se viu,só no início
Pois muita coisa neles teria que ser mudado

E os dias que vão se passando lentamente
As vezes ainda traz algumas tempestades
Mas o amor sempre vence a tudo calmamente
Sempre mostrando o amadurecimento da idade

E com certeza muitas batalhas ainda surgirão
Para esse amor em mais forte se transformar
E de muitos episódios por certo ainda rirão
Mas a bonança entre ambos haverá de ficar

Grandes e belos sonhos a ser conquistado
Com muito esforço e grande determinação
Em sua vidas será grande o aprendizado
E por certo encherá de paz a cada coração

No futuro tendo vencido todos os prantos
E quando o tempo seus cabelos branquear
Terão conservado desse amor todos encantos
E dessas vidas muitas histórias para contar

terça-feira, 14 de outubro de 2008

Outra Vez


O dia amanheceu festivo
A noite cansou de chorar
E minha alma não tem motivos
Para nesse dia voltar a cantar

A chuva que caiu a noite
Foram lágrimas do meu coração
E os ventos com seus açoites
Fustigaram sem dó minha emoção

E a madrugada que fora tão fria
Parece não ter esquecido de mim
Minha alma até que silencia
Sentindo saudade de nós enfim

Meu olhar antes tão límpido
Hoje traz as nuances da tristeza
Perdeu aquele brilho vívido
Perdeu por completo toda beleza

Só em ti encontrarei novamente
Toda essa beleza de outrora
Só apenas no teu amor ardente
Renunciarei este sentimento de agora

Deixarei da alma a tristeza angustiante
Que mais parece uma terrível obsessão
E voltarei a sorrir, para novamente
Encher de paz esse entristecido coração

E quando outra vez surgir o amanhecer
Este será festivo por ti e por mim
Será no momento quando voltarmos a viver
Essa história que ainda não teve um fim

À Mônica Reis


(Aos Meus Filhos)

E xperimentei a maior emoção
S er mãe desses meus amores
T rago na alma todas as cores
E spelhada em meu coração
R esultado dessas vidas de esplendores

Y é uma letra suprimida
U nicamente do dicionário
R ealizaste-nos na vida
I nsculpindo-te em nosso vocabulário

V enci por vocês e por mim
I mbatível consegui me fazer
C ada gesto de vocês enfim
T raz para mim bem maior prazer
O rgulhando-me de poder assim
R epetir: Juntos iremos sempre vencer.

domingo, 12 de outubro de 2008

Timidez


Mas me diga por que tanta timidez
Se o que quero é apenas te ouvir
Não importa se te pareça insensatez
Eu preciso que faças minha alma sorrir

Mas por que calar afinal
Talvez seja o medo de errar
Mas juro seria tudo tão banal
Apenas deixar o teu coração falar

Nesse instante preciso sentir
O que buscas no peito esconder
Quero apenas tua alma poder ouvir
Bem sabes não existe nada a temer

Risquemos desse infinito carinho
O que a nós dois apenas maltrata
Afinal percorremos um mesmo caminho
E só vale o que nossa alma retrata

Doutra forma quando o amanhã chegar
Pode ser que já seja um pouco tarde
Para que deixes a tua boca falar
O que no peito guardas como um entrave

E creias é muito fácil fazer sorrir
Uma alma como a minha tão angustiada
Me deixe tão somente poder te ouvir
Prometo que ficarei quieta e calada

Mas deixa por favor fluir da tua boca
O que à minha alma só deixará feliz
Pois já a tenho quase como louca
E já nem sei mais o que minha mente diz

Essência de um Sonho


Estou em extase...a cada momento
Vejo o meu sonho
Se transformando em realidade...
Não é exatamente como nos sonhos
Que me acompanharam a vida toda...
É um sonho mais moderno,
Mais como exige a nossa era...
Mas é a concretização de um sonho...
Muitas vezes sonhamos e não nos esforçamos
O suficiente para transformá-los em realidade,
Seja por este ou aquele motivo.
Não importa a razão, não importa a situação.
O que importa de fato , é não deixar os sonhos
Escoarem por entre os dedos do tempo.
E assim, quando você menos espera
Seus sonhos vão tomando forma,
E meio como que sem explicação,
você descobre que pouco a pouco
Seus sonhos estão se tornando realidade...
Não era bem assim o sonho que sonhei...
Mas é bem assim o sonho da minha realidade...
Estou me sentindo meio feliz de fato, meio realizada,
Pessoas estão lendo os meus escritos,
Estão entrando em contato comigo,
Estão me mostrando que vale a pena sonhar,
vale a pena esperar...
Muitas lágrimas derramei ao ver
Meus sonhos sendo rasgados e jogados ao lixo,
Mas a essência do sonho permaneceu...
Não importa se levei décadas para expor meus sonhos,
O que importa é que sempre existem pessoas
Que não permitem te ver escorrendo por entre os ralos da vida.
Há sempre alguém que te valoriza,
Que valoriza teus sonhos.
Muitos me afagaram, mas sempre houve quem me arranhasse,
Sempre há quem te faça sorrir,
Mesmo que as lágrimas abundem teu rosto e tua alma,
O importante é que sempre haverá um amanhã e com este a esperança...
Esperança esta que não poderá morrer jamais...

sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Nesse Momento


Nesse momento, estou tentando enviar um email...
Mas de repente fui transportada
Para momentos distantes...
Uma brisa suave que entra pela minha janela,
Me tocando com suavidade, me deixando em extase
Ao lembrar outros momentos.
Fecho os olhos e um sol surge diante de mim
Me envolvendo calidamente.
Abro os olhos e ainda pareço sentir
O calor do teu corpo
Emanando da minha mente.
Através da minha janela
Olho para o mundo que parece ter perdido
O desbotado que outrora enfeiava
Tudo que se descortinava diante da minha visão...
Não sei dizer o que se passa na minha alma,
Menos ainda na minha mente,
Já que esta parece ter deixado preencher
O vazio que me fez companhia durante tantos anos.
Percebo feliz que uma outra situação se acomoda
E de modo mais gracioso e gentil.
Talvez seja o momento
De deixar a vida tomar um outro rumo,
Ou quem sabe uma direção mais aconchegante
Em meio as grandes tribulações que vez por outra
Parece surgir na minha precária existência...
Já não preciso dizer estou só... sinto-me só...
O eco de um riso leve e solto ressoa em meus ouvidos
Me fazendo sentir o gosto da vida...
É a primavera que me chega
Deixando para trás um inverno doloroso e inquietante,
E me acenando com um verão cheio de calor,
Onde no auge do outono continuará me aquecendo
Me mostrando um mundo cheio de luz e vida
Para que eu possa assim tentar mais uma vez viver...
Viver... e amar...

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Pura Magia


Mas que sensação cruel e mesquinha
Que está a torturar-me mais uma vez
Será que ela é realmente só minha
E apenas eu me perco nessa embriaguês?

Por que devolver a mim sem dó
Tudo o que vivemos lado a lado?
Deixando-me cada vez mais só
Pagando por todos nossos pecados

Será que para ti nunca conta
Os muitos momentos partilhados?
E que quando um novo dia desponta
Já não tens mais um gesto apaixonado

Bem sei que nunca chegaste a compreender
O que me fazia ficar sempre ao teu lado
Foi tentando te fazer um pouco entender
Que as vezes fazias do amor pouco caso

E eu queria tão somente poder mostrar
Que amor igual nunca mais encontrarás
Bem sei que sempre procurarás ocultar
A dor que em teu peito sempre terás

E eu por mais que esconda a ti confesso
Para muitos "um amor se vai um outro vem"
Mas um amor como o nosso é muito certo
Que nessa vida não haverá quase em ninguém

Tudo em nós foi simplesmente pura magia
Era tudo tão completo e nada a desejar
Até o momento quando se foi a alegria
E cruelmente um pranto se fez rolar

Hoje nossos sentimentos as vezes persigo
Pois sei que finges que nada aconteceu
Eu cabisbaixa o meu caminho prossigo
Querendo saber quem de nós já morreu

Sabemos que foi bonito enquanto durou
E que no passado nunca se deve mexer
Perceberás que se entre nós tudo acabou
Foi porque deixamos isto vir a acontecer

Não procuremos nunca um culpado
Façamos nossa história diferente
O que de bonito na alma eu guardo
Com certeza tens gravado na mente

Continuemos assim cada um siga seu caminho
Tentando esquecer o que foi que nos acordou
Se esse sonho não terminou em lençóis de linho
Ao menos nossa linda história se consagrou

Para o amanhã procuremos lembrar tão somente
Do muito que nós dois fomos apaixonados
Espero que nunca para ti seja indiferente
Esse conto que conseguimos viver lado a lado

Bellinha


Ei-la toda preguiçosa na janela
As vezes nem parece ser real
Em sua meiguice é tão bela
Com sua aparência tão fenomenal

Deitada languidamente à espreita
Com seus olhos vivos e sagazes
Aquela simples janela ela enfeita
Com seus gestos tranquilos e capazes

Ela sempre desperta a atenção
Da maioria que por ela passa
Essa gatinha enche o meu coração
Com seu jeito meigo e cheio de graça

As vezes ela me lembra uma estátua
Paradinha e sempre quieta na janela
Com seus pelos de cor cinza prata
A cada dia está sempre mais bela

Até hoje não lhe descobri a raça
Mas isto pouco importa para mim
E os dia que na sua vida se passa
Nos mostra que ela é bem feliz sim

Essa gata é o tudo do meu dia a dia
E até brinco ser ela meu remédio
Tem sido a minha grande alegria
Espantando para longe o meu tédio

É sem dúvida o meu pequeno tesouro
A minha grande e sublime afeição
E não existe no mundo tanto ouro
Que nos arrebate tanta emoção

Esse é mais um lindo presente
Que a vida um dia me deu
Serei da vida grata eternamente
Por esse presente tão meu

Extase


Mais um dia que para mim passa
E eu continuo sem você aqui
Mais uma vez que não me abraças
E outra vez mais que choro por ti

Da janela observando o horizonte
Penso em tudo que vivemos e suspiro
Momentos felizes foram aos montes
Mas foram noites e dias imprecisos

Que foram feitos dos nossos momentos
Dos nossos risos das nossas alegrias
Se foram levados talvez pelos ventos
Só deixando a dor em meio a essa agonia

Preciso perder-me outra vez no tempo
E encontrar-me quem sabe em teus braços
Livrando-me desse tédio modorrento
Estreitando entre nós outra vez este laço

E nesse momento de extase puro
De sensações inebriantes e loucas
Desejo para mim em nosso futuro
Embriagar-me no prazer dessa tua boca

E vibrarei totalmente enlouquecida
Nesse prazer que arrebata a minha alma
E nesse jogo a minha mente entorpecida
Vai pouco a pouco retornando à calma

E como um desmaio feito em nuances
Vibraremos juntos todo esse estertor
E como nos belos e puros romances
Morreremos no prazer desse louco amor

Louca Paixão


Como deve ser sublime a sensação
Que a mãe natureza sente a cada despertar
Quando os raios solares cheos de emoção
Vem calidamente seu corpo abraçar

A noite se foi com a sua friagem
E o dia surge em todo seu esplendor
Com malícia começa dando massagem
Nesse corpo que reage com tanto calor

E o sol se encanta embevecido
Em direção aos montes lhe olha os seios
Onde muitas vezes o homem atrevido
Os machuca sem tantos receios

E um fremir quase louco e inquietante
Desperta desse astro rei toda paixão
Mesmo com sofreguidão, vem calidamente
Mergulhar nessa enlouquecida emoção

Mas essa paixão tão inebriante e louca
Cresta aquele corpo tão arrebatador
E os sussurros que saem daquela boca
São gemidos loucos e desesperador

E os seus longos cabelos estão debotados
Seu corpo exuberante agora está sofrido
Está empoeirado e também muito rachado
Por esse ardor solar já quase descabido

Seus seios já não estão intumescidos
Algo outra vez lhe machucou dolorosamente
Foi o homem esse míserável e insandecido
Que sem pensar lhe feriu tão profundamente

Com a sua falta de atenção
Em sua soberba, na maioria
Lhe machucou com um avição
Lhe tirando toda a alegria

E como se não bastasse o sofrimento vivido
Vieram outros movidos por uma maior ambição
Cortaram seu corpo e seus cabelos compridos
E atearam fogo sem dó, em seu pobre coração

E para seu sofrimento se fazer maior
Outros chegam com maldades também
Rasgam as suas carnes sem dó
E cortam as sua veias, indo mais além

E a cobiça pelo brilho lindo, caro e puro
Que em seu sangue eles sabem se pode achar
Lhe poluem a nascente comprometem seu futuro
Querendo tão somente suas riquezas encontrar

E nesse sofrimento atroz e descomunal
Onde a cobiça impera de maneira crua
O homem esse vil e miserável animal
Lhe embrutece e deixam-na quase nua

Todavia, como se não bastasse tudo isso
Eis que o rei dos astros chega de mansinho
E com sofreguidão mergulha nesse paraíso
Esquecendo de lhe fazer um pouco de carinho

E ele a queima, enlouquecido de paixão
Crestando seu corpo e também sua alma
Vibrando inquieto nessa estranha emoção
Lhe tirando de pronto toda a sua calma

E os meses que se arrastam impiedosos
E o sol com seus raios abrasadores
Vai aos poucos com meneios audaciosos
Lhe despindo com gestos enlouquecedores

E ela permanece nua e também machucada
Esperando as lágrimas que ainda virão
Para banhá-la deixando-a purificada
Preparando-a para a próxima estação

Eu Amo Amar


No dia em que eu te encontrei
Imaginei estar apenas sonhando
E foi mágico tudo o que pensei
E foi magia... eu estar amando

Minha alma inquieta está feliz
Mas que doce e suave encanto
Já não ouço o que a razão diz
Sinto-me tranqüila, já não há pranto

Não existe mais, dissabores
Em risos transformastes meus caminhos
Em tudo há brilho, tudo são cores
Só recebo flores, já não há espinhos

Da tristeza nem um leve traço
Como sou feliz com esta descoberta
Sorrindo caminho... e em cada passo
A tua sombra sempre me acoberta

Eu amo amar esse segredo
Esse pedaço de um novo céu
Não há razão para ter medo
Apenas saborear este mel

As tardes dantes tristonhas
Hoje resplandecem de alegria
Minha existência tem sido risonha
Por estar vivendo essa linda magia

Meu coração encheste de esperanças
Minha vida deixaste mais calma
Não quero ser para ti apenas lembranças
Quero tão somente que ames minha alma

Me dês teu sorriso por inteiro
Me deixe teu pensamento possuir
Que eu seja teu amor verdadeiro
Que nossas vidas possam se unir

Que eu sinta a cada momento
Ser a dona do teu corpo e da tua mente
Que eu viva sempre em teu pensamento
Que sejamos um só... eternamente.

Supremacia


O fogo que arde em minhas entranhas
Tem o creptar que sai da tua garganta
No momento supremo
Da união dos nossos corpos.
O êxtase que nos envolve,
Tem por magia
Toda a sedução arrebatadora
Da tua eminente e profunda maneira
De se dar,
De exigir
De amar.
O calor que desprende da tua alma
Acelera a tua pulsação
Ao explodir em milhares de partículas
Dentro de mim,
Me levando ao delírio
Nessa louca sensação
De ter atingido o ápice
Do próprio infinito.

Minha Razão


Eu hoje acordei bem triste
E olhando para dentro de mim
Pude perceber que não existe
Motivos para que eu fique assim

Será que não existe realmente
Motivos para tanto desalento?
Pois em vão procuro na mente
Razões para tanto abatimento

Abatimento que tanto me oprime
Me fazendo quase louca
Sabendo que as razões não define
O que faz calar a minha boca

Mas por que que há tanta aflição
Tanta dor machucando meu peito
Fazendo explodir o meu coração
Que permanece calado e contrafeito

Como será que eu ainda consigo
Todos os dias sorrir ao acordar
Sabendo que o bem que eu persigo
Muitas vezes só me faz chorar

Mas por que será Deus meu
Que me machuco tanto assim
Me sinto como alguém que perdeu
Da vida a razão de tudo enfim

Preciso com urgência fazer-me
Um ser feliz e muito mais capaz
Preciso com pressa envolver-me
Nos braços que tanto bem me faz

Careço de um pouco de paz também
Necessito porém bem mais de você
E assim poderei ver bem mais além
Sem receios de um dia te perder

Pois nesse meu medo tão inconstante
Sempre buscando na vida uma nova razão
Algo que tenha um significado relevante
Que acalme para sempre esse meu coração

Mas só em você tudo eu encontro
Motivos para continuar a sonhar
Esquecendo da vida todo escombro
Que para nós só faz atrapalhar

E prosseguindo em meio ao tédio
Sempre buscando a tua presença
O meu mais perfeito remédio
Para nossas felizes lembranças

E assim eu vou sempre tentando
A tristeza para sempre afastar
E cada vez mais vou desejando
Teus braços para me abraçar

Envolvendo-me por inteiro
Nesse meu sonho abrasador
Como no momento primeiro
No aconchego do nosso amor

terça-feira, 7 de outubro de 2008

E o Mundo Não Ouvirá


Quero falar... quero ao mundo gritar
Que já nada consigo ser
Se já não te tenho para amar
Se teu amor, já não vou mais ter


Quero gritar ao mundo
Essa força inexplicável
Que rege este amor profundo
Me martirizando, implacável


Quero gritar ao explodir
De prazer em teus braços
Quero ao mundo expandir
A quietude do meu quarto



Quero sussurrar aos teus ouvidos
Toda insensatez desse meu coração
E mergulhar nos teus sentidos
Todo furor dessa paixão


Quero chorar em teu ombro
A dor de saber-me pequenina
Diante de um possível escombro
Que possa surgir na surdina



Quero aprisionar-me por inteiro
Nesse teu poder de sedução
E sentir a luxúria do teu amor primeiro
Acorrentar-me de vez o coração


Preciso sentir a tua língua lascivamente
Enxugar o meu pranto
E perder-se de desejos rigorosamente
Por cada meu canto


Que vasculhes minha intimidade
Na esperança de se encontrar
E nessa grande afinidade
Podermos nos libertar


E aí eu quero... E quero mais...
E vibrarei em tua boca
Toda a loucura que injetares
Em meu eu.
E o mundo não ouvirá
Um gemido rouco e incontrolável
De prazer obsceno
De paixão saciada.

Saudade Louca


Mas que saudade danada
Parece queimar por dentro
Tem o tamanho do nada
Nasce e cresce desde o centro
Da minha alma entediada
Que parece rondar meus aposentos

Tem um cheiro bem conhecido
E uma aparência também
Que vive a impregnar meus sentidos
Me levando bem mais além
Esse tal sentimento esquisito
Perambula num constante vai e vem

Se manda mais que depressa
Quando te tenho ao meu lado
Parecendo estar em festa
Mesmo quando estás calado
E quando teu sorriso libertas
Se fazendo bem mais desejado

Como esta saudade é mesquinha
Quando não estás ao meu lado
Me sinto tão criança e sozinha
Cansada e com ares de enfado
Por saber que ela é só minha
E é grande a tristeza que guardo

E nesse meu silêncio tão aflito
Perdido em meio aos ocultos desejos
Vem na agonia desse anseio atrevido
Me revelar gritante como num lampejo
Que este sentimento já tão perdido
Também faz parte desse meu mêdo

E no silêncio do meu aconchego
Me parece teu sussurro ouvir
E nesse grande e insensato desejo
Nos braços abertos revela o fremir
Ee fecho os olhos me foge o mêdo
E os meus lábios volta a sorrir

E a esperança desse meu sonho
Acalentado nas frias madrugadas
Me leva nos versos que componho
A acreditar numa nova alvorada
Esquecendo esse medo tristonho
De não me sentir mais tocada

Esta saudade, que me deixa quase louca
De angústia em angústia as vezes me perco
Sonhando acordada com essa tua voz rouca
E de sonhos em sonhos eu sempre me vejo
Aguardando ansiosa os beijos que da tua boca
Aplacará o fogo insano desse meu febril desejo




PARABÉNS Sogrete!!!


Outra mensagem belíssima que recebi


Querida Sogrete da minha vida,

Estou aqui para desejar-lhe parabéns por seus 16 anos!!! Olha que maravilha! ;)
Venho aqui desejar que o Senhor possa dispensar todas as bênçãos que um dia lhe prometeu em sua vida. Deus tem planos que o mínimo que a senhora imaginar que seja será muito pouco mesmo para tais. Temos vivido um tempo meio complicado nesse mundão, mas o Senhor tem cuidado dos Seus filhos constantemente. Uma prova disso foi o fato dele ter colocado em minha vida a minha benção Kellinha e a senhora que tenho como uma mãe. Como um alguém que Deus escolheu para ter o coração tão grande e cheio de virtudes únicas.
Sabemos que tudo em nossas vidas não acontecem por acaso, Deus sabe o motivo de tudo. Sabe o motivo de ter nos colado no mesmo caminho e estrada. Tenho uma missão mediante a senhora: Abençoá-la em Cristo Jesus! E para tal, tenho colocado o seu nome e a sua família num modo geral em minhas orações. Deus tem contemplado cada momento seu mesmo aquele que está no íntimo do seu coração. Os sonhos que outrora Ele lhe deu, são frutos de intimidade com o Pai. Intimidade esta que Ele anseia restaurar e fortificar.
Que esse ano novo em sua vida seja repleto de novas descobertas e de muita virtude. Agradeço-lhe mesmo por cada momento de atenção, carinho e afeto demonstrado pela senhora para comigo. Como falei outro dia: "Deus não me deu apenas uma sogra me deu uma mãe!" E é assim que sinto.

FELIZ ANIVERSÁRIO "Sogrete da minha vida"!!!
Forte abraço e cuide-se bem!
Do seu genro,


Jr. Ernandes.

Parabéns para quem amo tanto.


Outra mensagem belíssima que recebi...

-GEAT

Gil !!!!!!

Meu Deus. Já estava desligando o meu micro para retornar à minha casa, e então lembre.....
Ops !!!!! Hoje é o niver de "'Judete" My lord !!!!! Quase me esqueço.

Eu quero que saibas que eu gosto muito de você.
Pela forma como você é., esta mãe grande de um coração enorme, que faz sacrícios (n's) só para ver estas meninas felizes.
As vezes até se indispondo com um(s) e com outro(s), outras vezes colocando-se no fogo, tudo para e por elas, as suas filhas.

Sabe Gil, tem coisas que não conseguimos obter e/ou ouvir de quem desejamos. O reconhecimento as vezes vem tarde quando já não temos mais tempo para comemorar tantas coisas boas ... Mas, hoje é o dia, hoje é tempo onde eu posso manifestar um pouco do carinho que tenho por você, mulher dos olhos azuis.

Mulher poetisa, que verbaliza através de poesias encantadoras as entre-linhas da tua vida. Hoje é o dia de celebrares o dia da tua chegada a este mundo.
Então celebra.

Celebra a alegria de fazer anos na esperança,
Conta os teus anos não pelo tempo,
Mas pelo espaço que fazes no teu coração.
Não pela amargura de uma dor,
Mas pela ressurreição que ela traz.
Não pelo numero de troféus das tuas conquistas,
Mas pelo gosto das aventuras das tuas buscas.
Não pelas vezes que chegaste,
Mas pelas vezes que tiveste coragem de partir.
Não pelos frutos que colhestes,
Mas pelo terreno que preparastes e pelas sementes que lançastes.
Não pela quantidade dos que te amam,
Mas pela medida do teu coração CAPAZ DE AMAR A TODOS.
Não pelas desilusões que tivestes,
Mas pela esperança que infundiste.
NÃO PELOS ANOS QUE FAZES,
MAS POR AQUILO QUE FAZES COM OS TEUS ANOS.
Não pelas vezes que celebraste aniversário,
Mas pelas vezes que o teu aniversário se tornou uma celebração de VIDA!


Bjs.


Moises Brito
STI-GOCT

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

Nunca Deixe Para Amanhã


Por razões as vezes incompreensíveis
Para depois sempre procuramos deixar
Esquecendo que são imprevisíveis
Cada dia mesmo antes de se acordar

Quem sabe se haverá tempo
De nos teus olhos poder olhar
E feliz sempre a contento
Poder com ternura revelar

Revelando o que na alma trago
Mostrando este sentimento pueril
Que no peito com amor guardo
De modo sublime e bem sutil

Mas sempre para depois deixamos
Muitas vezes sem qualquer razão
Porém motivos sempre encontramos
Para não deixar falar o coração

Por medo de não sermos compreendidos
De não conseguirmos nos declarar
As vezes até nos fazemos de esquecidos
Deixando para amanhã o verbo amar

Que custa dos lábios deixar sair
Ou quem sabe num gesto com as mãos
O importante é conseguir definir
O que engloba toda a tua emoção

Faça-o hoje, faça-o sim
Amanhã poderá ser muito tarde
Poderá ser o princípio do fim
O longo começo de uma eternidade

Realidade


Se um dia pensares em tua vida
Descobrirás com muita certeza
Que para cada hora bem vivida
Houve momentos de tristezas

Nem sempre a tua alegria perdura
A tristeza faz parte do dia a dia
Mas na felicidade de uma vida futura
Prevelecem os sonhos e as fantasias

E nos sonhos do meu viver
Creptam fagulhas de paixão
E em cada novo amanhecer
Revivo a saudade dessa emoção

E assim viverei intensamente
Essa mistura perfeita de sensações
O teu sorriso acolhe o meu docemente
E sinto o vibrar calmo dos corações

E sorrio ante a meiguice dessa doçura
Que palpita com firmeza em teu olhar
E cada momento vivido com brandura
Feliz vem a tudo com amor coroar

E é essa a nossa grande realidade
"Aos trancos e barrancos" prosseguimos
Sempre buscando completar essa felicidade
Que nas coisas simples um dia descobrimos

Feliz Aniversário!!!



Essa foi uma mensagem que recebi... Gostei por isto está aqui

Hoje estou aqui para te desejar um dia feliz, pois hoje realmente é um grande dia, afinal de contas mais 365 dias se passaram na tua vida e com eles vieram novos sonhos, novas conquistas e também novos projetos de vida.

Fazem alguns anos que Deus te enviou a terra para iluminar a todos com a tua presença, e neste dia mais que especial que evidencia a tua chegada ao mundo, palavras não bastam para te homenagear, você é uma obra preciosa que Deus criou e revestiu com muitas e boas qualidades, uma grande pessoa que admiro e quero muito bem.
É muito bom saber que você existe e que posso contar com você caminhando ao meu lado, presente em minha vida.

Que você caminhe sempre em busca do sucesso, alcançando um futuro amplo, se aperfeiçoando e prosperando ainda mais.

Te desejo simplesmente um FELIZ ANIVERSÁRIO.

Constatação


Senti no peito a alegria invadir
Dentro da alma a felicidade jorrou
Foi inebriante mais uma vez sentir
Esse toque suave que tanto me encantou

A brisa calma e suave não arrefeceu
O ardor dessa contagiante sensação
Foi nesse toque simples que aconteceu
Que fez transbordar de paz meu coração

E ao fechar os olhos com lentidão
Pude reter com carinho esse gesto
Fazendo vibrar minha alma de emoção
Por mais uma vez senti-lo tão perto

És a alegria que minha alma abraça
O meu eterno motivo de bem querer
Nada há que esse sentimento desfaça
Pois és a razão e a força do meu viver

domingo, 5 de outubro de 2008

Bem Sei


Porventura quando em ti pensei
Fez-me lembrar do que um dia fomos
Talvez para mim que tudo guardei
Dói lembrar do que já não somos

não sei se foi triste para ti
O início do nosso tímido fim
Ou talvez quando caiste em si
Deixaste o sofrimento só para mim

Mas de tudo que um dia vivemos
E que hoje as lembranças me vêm
É triste lembrar que perdemos
O que muitos outros ainda têm

Têm saudades do que já passou
Já tu, nem sequer do que vivemos
E a amargura por tudo o que restou
Dói bem mais do que tudo que sofremos

Eu bem sei que para ti assim sempre será
Dirás ter esquecido o pouco que vivemos
Mas bem sei que no íntimo sempre terás
Saudades de tudo aquilo que nós perdemos

sábado, 4 de outubro de 2008

Insensatez


Levada pela sombra talvez
Que cobre tudo em derredor
Com certeza essa insensatez
Poderia deixar tudo bem pior

Insensatez eu não nego
Vive a perturbar meus sentidos
Mas ao meu coração sempre peço
Nunca prossiga perdido

Que tenhas gravado na memória
Cada um dos sorrisos encantado
Cada pedacinho dessa história
Desse amor antes tão apaixonado

Hoje... juntos ou mesmo separados
Viverei completamente perdida
Na ânsia desse amor que foi desejado
Mas se perdeu nessa insensatez infinita

sexta-feira, 3 de outubro de 2008

Quem?


Quem pode matar o riso
Que insiste em florescer?
Quem pode fechar o livro
Que a história fez acontecer?

Quem pode calar a boca
Que não deixa de gritar?
Quem pode a essa voz rouca
Pedir prá ela parar?

Quem nesse louco mundo
Sentirá orgulho em profusão
Se o bem maior e mais profundo
Já está morto no coração?

Quem nesse silêncio inquietante
Livrará dessa dor a minha alma
Essa dor profunda e lancinante
Que me rouba toda a calma?

Mas quem pode a esse mal destruir
Se eu própria não consigo?
Quem me fará desistir
De querer viver esse amor perdido?

Quem irá no meu peito sufocar
Essa dor que explode como euripo?
Quem poderá minha alma libertar
Dessa dor que eu trago comigo?

Quem pode do riso tirar
O som que espoca inebriante
Sem querer para si guardar
Essa sensação contagiante?

Quem será que vai fazer
A alegria de tantos voltar?
E quem será que vai querer
Um dia com sinceridade me amar?

Quem pode o ódio acabar
Sem que seja preciso
Outros sentimentos apagar
E do mal não deixar vestígios?

Quem será... Mas quem será
Que me livrará dessa tristeza?
Quem será que um dia me fará
Ter da paz toda a grandeza?

Saudade


A saudade bate à minha porta
Ela chega de mansinho
Para minha alma pouco importa
Se ela chega devagarzinho

Ela machuca do mesmo jeito
Mesmo quando traz alegria
Deixa marcas no meu peito
Como tantas que já existia

Mesmo sendo tão desgostoso
Este sentimento tão atroz
Seria bem mais doloroso
Se ele não falasse de nós

Mas que saudade mesquinha
É saudade do ontem que ficou
Saudade que já não é só minha
E é saudade do hoje que nem passou

Saudade do nosso amanhã
Que para nós nunca chegou
Mas eu esperei com muito afã
Por cada sonho que o tempo levou

quinta-feira, 2 de outubro de 2008

Relíquias


Papéis velhos e amassados
Cartas que eu vivo relendo
Lembrando do meu passado
Que as vezes vou esquecendo

Perdido nas entrelinhas
Vestígios do que passou
São lembranças muito minhas
De alguém que muito me amou

São recordações mescladas
De tristezas e de alegrias
Foram situações não criadas
Hoje, momentos de melancolia

Perdidos no meio desses papéis
Um mundo de sonhos e ilusões
E também de sentimentos fiéis
Que uniram nossos corações

Hoje só restam lembranças
Resquícios do que passou
Perdidos nas andanças
De um mundo que não ficou

Talvez nesse baú se encerra
Uma vida que não resistiu
A agonia de uma guerra
Que o destino permitiu

Papéis velhos e abandonados
Final de um sonho morto
De um projeto desejado
Que hoje jaz nesses papéis rotos

Papéis velhos e amarelados
No tempo as vezes esquecidos
Relembrando um sonho acabado
Revivendo um passado perdido

Papéis velhos e amassados
Relíquias que eu guardei
De uma história com passado
E que eu nunca matei...

Quimera


Se um dia vieres a ver e sentir
Dos meus olhos essa embriaguês
Ao ve-los entreabertos num fremir
Perceberás que não foi a primeira vez

Pois nos meus sonhos milhares de vezes
Senti o ardor do teu beijo aquoso
E como sempre também nunca percebeste
Já que foram apenas sonhos ardorosos

Meus lábios vencidos e sequiosos
Imploram pelos teus com sofreguidão
Mas teus olhares sempre mentirosos
Não aplacam o estertor dessa paixão

Ei-los entreabertos e vencidos
A buscar pelo êxtase em vão
São sempre momentos perdidos
Que queima abrasando meu coração

Ei-los perdidos e também alucinados
Sempre se entreabrindo a espera
De dar-te um beijo apaixonado
Encerrando de vez essa quimera

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

Pingo de Gente



Categoria: Arte e Entretenimento

--------------------------------------------------------------------------------
Uma linda loirinha, sapeca e de belos olhos azuis. O tempo que passa não consegue tirar-lhe a graça do seu linguajar, e inteligente como é, fica muito séria quando fala alguma palavra desconhecida para quem a estiver ouvindo, pois ela logo percebe que acharam graça no que ela acabou de dizer.
Numa certa manhã, o dia estava nublado, ela ía saindo de casa e ao perceber que ía chover, gritou a plenos pulmões pela moça que trabalhava em sua casa, a Adna, pedindo a esta que lhe trouxesse a sombrinha para não CHUVIAR nela. E a Ashley, essa linda loirinha presta atenção na reação das pessoas quando nota mais uma vez que o seu portugues soara um pouco estranho, como no dia em que mais uma vez falou difícil, se referindo ao tratorista como DIRIGIDOR, ou então quando bem séria subiu no sofá, isto com um mais ou menos dois anos e olhando para a usina,e outras vezes em direção a escola, diz estar alí CATULHANDO(tocaiando) a tia Márcia passar.
Porém lindo mesmo foi quando ela se recusou a comer doce, dizendo que não podia para não ENGORDECER. Tudo o que ela diz é uma graça e a sua peraltice um encanto, mas haverá um dia em que o tempo não mais será benevolente e levará consigo toda a graça e inocência que tanto nos encanta.

Exício


Ao Meu amigo: Prof: Adriano

Estou preso no tempo
Tenho a alma perdida nas ruínas
De um passado
Que representou na minha vida
O início da decadência
Da minha matéria.
Hoje,
Trago o destino dos desventurados,
o confronto de épocas me mostra
O quanto estou disperso em meus próprios
Sentimentos.
Já não consigo discernir entre
Estar vivendo ou existindo,
Confundo-me entre um riso e uma gargalhada.
As vezes trago no sorriso
A dor dos desesperados, e
Nas minhas lágrimas
A alegria dos esperançosos, que
Desencantados com o mundo
Sugerem à própria vida, um pouco de vida
Para sua miserável existência.

Quero liberdade para libertar-me!
Quero alegria para sorrir!
Quero um mundo que me faça sentir humano!
Quero estímulo para sonhar!
Não preciso da morte para valorizar a vida.
O que quero é vida... Para viver!

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios