sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Revolvendo Minhas Memórias


Com o olhar parado diante do nada
Rebusco tristonha um tempo perdido
Revolvendo minhas memórias guardadas
Na angústia desses momentos sofridos

E prosseguindo em meio as tormentas
Procurando as muitas mágoas sufocar
Porém na vida tudo a gente enfrenta
Quando desejamos por alguém mudar

Persegui muitas vezes em louca corrida
Razões para que eu pudesse continuar
Se para com a vida estou sendo atrevida
Bem mais foi ela quando quis te apresentar

E ao olhar os caminhos ainda não percorridos
Pensando de algum modo ter como deles fugir
Penso em ti e meu coração se enche de carinho
Pois foi contigo que outra vez voltei a sorrir

E quando em meus pensamentos estou mergulhando
Refletindo em tudo que nessa vida já passei
Por vezes o silêncio ouve que estou soluçando
É quando me lembro que da vida pouco alcancei

E o meu triste consolo tem sido nisso tudo
Perceber que na vida erros também acontecem
E se hoje meu peito grita infeliz e mudo
É por saber que as melhores coisas perecem

Mas nesse meu sofrimento eu consigo ainda fingir
Mesmo quando tenho o coração assim tão magoado
Minha dor é por eu ter nascido bem depois de ti
Porque assim não posso ter o meu destino mudado

Sofro muito mas não importa se tem que ser assim
Eu gostaria muito era de poder na tua vida viver
Saber que a cada dia esperavas também por mim
E poder da vida desfrutar ao teu lado todo prazer

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios