quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Epílogo de Uma Existência



Muito sinto, mas preciso te dizer
Que entre nós já nada mais existe
Só preciso fazer você entender
Que hoje para mim tudo é triste

E quando sozinho começares a pensar
Perceberás que não pecaste sozinho
Me culpo por ter-me feito acreditar
Que poderíamos trilhar novo caminho

E foram tantos momentos amargurados
Que em vão tentei por vezes sufocar
E sempre que estavas muito calado
Eu sentia mais nada haver para salvar

E foram longos anos sempre insistindo
E muitas vezes não querendo acreditar
Mas sem forças aos poucos ía desistindo
Já não havia mesmo motivos para sonhar

Mas para meu consolo nesse momento
É saber que não foi eu que busquei
Motivos para tantos constrangimentos
Pois só nos meus sonhos eu tropecei

Mas hoje porém tão cheia de amarguras
Não encontro mais motivos para prosseguir
Bem sei que te dei pela vida muita doçura
E nunca fui mulher de fingir nem de trair

Mas para que se torturar tanto assim
Bem sabemos que nada poderá ser feito
Não queiras o respeito tirar de mim
Me deixe ao menos com alívio no peito

Busque pela vida a fora um outro consolo
Pois para nós já sabemos está tudo perdido
Não pensaste em mim quando usaste de dolo
Por Deus então esquece que já foste meu marido

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios