quinta-feira, 30 de outubro de 2008

Vívidas Estações



À minha filha Audrey

Em tua tenra juventude
O amor se fez presente
Eras quase menina
Quando a alegria
Se fez ausente
A rosa do amor
Muito cedo desabrochou...
O outono sorrateiro
As pétalas levou
Carregadas pelo vento
Do dissabor...
Friamente,
O inverno da saudade
Corroído pelo tempo
Em seu coração se alojou.
Mas eis que de repente
Após tantos dissabores
Surge em sua vida
A estações das flores...
A primavera chegou
Tão florida
Tão doce, tão cheia de vida,
Em forma do amor...
E este brotou
Suave como o roçar do vento
E num doce momento,
Uma pétala macia
Vem se abrindo,
Preguiçosa
Aguardando o calor da paixão
Ansiosa.
E quando despontar
Esse verão
Um sonho, uma gostosa emoção
Surge
Fremindo em teu coração
E este inquieto
Numa rotina irrequieta
E tua cabeça por vezes tonta
Ante a nova ventura
Que no encanto perdura...
O outono chegou
E como o inverno se foi...
A primavera surgiu
E o verão acontece
O amor que ungiu
A emoção enaltece,
Um novo horizonte
As portas se te abriu
É o amor...
Nesse sonho maior
Quue veio te acontecer
Para unicamente te dizer
Que ele é o teu futuro
Tão presente,
Um amor tão maduro
Tão forte e altaneiro
Que te dá forças
Para lutar e enfrentar
O mundo inteiro

Um comentário:

Gil Ordonio disse...

2 comentários:
ErnandesJR disse...
Fantástica poesia!
A minha Pin é a bênção que um dia o Senhor separou para a minha vida para que eu cuide e ame-a de um modo verdadeiro. Ela é linda em todos os aspectos. Admiro-a muito... Minha pequena Pin..

Deus abençoe o seu talento minha Sogrete querida. Abraço!
Maravilhosas palavras...

27 de Outubro de 2008 11:51
Audrey Ordonio disse...
Nunca consegui encontrar palavras que preenchessem tão perfeitamente a descrição do que senti...
Ao ler esta poesia há quase 1 ano,meus olhos se encheram d'água e eu pensei "não lembro de ter falado tão profundamente com ela sobre isto..."
Mas nem precisava.
Ela conseguiu traduzir o que estava escondido em mim através de palavras...
Foram estações, sim.
Foram momentos intensos dentro de mim, ela apenas enxergou-os e transformou-os em poesia...Assim...

Minha mãe, minha poetisa preferida.

E esta primavera foi um presente de Deus, o meu lindo Nininho...

Às vezes para eu me entender, eu só preciso ler "vc"...

TE AMO MÃE.
[te amo Ju...Vc é o instrumento que Deus usou para fazer existir o nosso amor...]

27 de Outubro de 2008 12:43
Postar um comentário

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios