sábado, 10 de março de 2012

Nas Garras Do Imaginário



Hoje a tarde bateu-me uma tristeza
Dessas que não se consegue explicar
Será que o meu estoque de alegrias acabou?
Me sinto sufocada... Parece que estou presa

Presa talvez nas garras do imaginário
Sentindo uma saudade não sei do quê
Ouvindo sons... Sentindo os toques
Que hoje imagino receber de você

E inexplicavelmente você vem chegando
E o teu sorriso doce e embriagador
De algum poema perdido, me faz lembrar
É que teus olhos me falam só de amor

Meu olhar se confunde nessa brasa acesa
Que teu olhar como labareda vem me tocar
Me sinto queimando e com um doce sorriso
A tua sequiosa boca meus lábios vem esmagar

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios