quinta-feira, 1 de março de 2012

INIGUALÁVEL


Nessa manhã ensolada e sem nuvens
Meu peito em silencio arde no querer
Querer num novo e autêntico projeto
Querer simplesmente imaginar um você

Sentir na pele, trazida pela brisa
As carícias que não veio, mas que ficou
Aquele sentir que não nos deixa indecisa
Aquilo que se quer e que só se imaginou

Um sentir de posse... De êxtase imaginável
Num desejo fremente e impetuoso também
E nessa realização nunca dantes inigualável
Poder adormecer em teus braços meu bem

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios