segunda-feira, 12 de março de 2012

EM MEU PEITO




Um frio torturante e aziago me toma de repente
E a tua ausência que se faz grande em mim
Se fecho os olhos surges a minha frente
Tornando meus momentos em espera sem fim

Quantas vezes pelas insones madrugadas
Parece-me senti-lo quieto ao meu lado
Tento abraçá-lo,é em vão,encontro o nada
Apenas o silencio aceita o meu afago

Minha alma bem mais desencantada
Acompanha em silêncio o meu padecer
É que a saudade dói mais de madrugada
Pois ela não traz pra junto de mim você

Enquanto dormes... Talvez a sonhar
Um alguém suspira do outro lado
E acordas com a alma a sorrir e cantar
Já em meu peito o grito se faz calado

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios