quinta-feira, 15 de março de 2012

NÃO LAPIDASTE

Ao Amigo Ricardo Carvalho




A vida não é como tu pensas
Nem tão pouco o amor é assim
Pois qualquer coisa que tu inventas
Só te encaminhará para um fim

Amigo... Amigo, que tens feito da vida?
O amor a sua porta bateu... E não visses
Esquece essa forma de viver tão atrevida
Faça de conta como se outras não existisse

Pra que enveredar por esses caminhos
Se o amor a tua porta um dia bateu
Foste cego... Terminaste assim... Sozinho
Deixaste um amor bonito que no tempo se perdeu

Como podes agir assim dessa maneira?
E ainda queres que eu acredite em teu amor
Perdeste o que poderia ser pra vida inteira
Eu sinto muito, mas fica só com a tua dor

Um dia quem sabe ainda aprendas
A querer o que realmente tu amas
Por enquanto fica com as tormentas
Que eu sei no teu peito nem inflama

Ricardo eu sei que és um bom menino
Cresça e adquira um pouco de juízo
Pra que leviandade se esse cinismo
Só vai te transformar num perdido

Deixa o amor entrar de mansinho
Procura a este sentimento dar tudo
Pois duas vezes não brilhará em teu caminho
Esse ouro que não lapidaste, e era puro

3 comentários:

MA FERREIRA disse...

Ola... a pessoa só muda se ela quiser mudar....infelizmente...ou felizmente....

Lindo seu poema conselho.
bjs

Anônimo disse...

minha amiga como sempre vc é muito especial pra mim amei é minha cara fazer o que,as grandes jogadas vem dos melhores jogadores...a vida como ela é???

Erika disse...

essa foi otima Gil, amei a cara dele...

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios