sábado, 24 de março de 2012

ME PERDI


Minha alma chora de saudades
E meu peito se arrebenta de dor
Um sofrimento louco... Sem vaidade
Nesse silêncio absoluto do teu amor

Entre perdido e contrafeito, meu coração
Vai minguando de dor numa ânsia sem igual
Se esvaindo como prurido fétido e sem razão
De uma fissura que se aprofunda descomunal

Meu amor... Era amor enquanto eu não sabia
Me pegou desprevenida ao me fazer entender
Que durasse um século ou um segundo essa alegria
Pois seria quase perfeita pois ela vinha de você

E no entanto na beleza de um momento se perdeu
O maior e o mais belo sentimento que já conheci
Esse amor cresceu em demasia, mas logo desvaneceu
Como numa noite nebulosa de inverno eu me perdi

E perdi o que na vida como louca sempre busquei
E mesmo assim me sinto feliz porque ainda o tive
Foram momentos imaginários que me deste e eu te dei
Foi bom enquanto durou, pois entre nós nada mais existe

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios