sexta-feira, 30 de março de 2012

AMOR VIRTUAL


Categoria: Conto

Jane vivia em seu cantinho sem nenhum tipo de emoção. Pacata, sem amor, sem carinho, sem nada que a motivasse a sair daquela mesmice. Mas um dia aconteceu... De repente ela percebeu as cores a sua volta, o som da natureza conseguia penetrar naquele coração sem razão aparente para existir, naquela vida sem sabor.
Tudo começou quando ela sentiu necessidades de viver. Estava cansada daquela existência insípida. Talvez por ser tão amarga nunca percebeu o tudo que se passava em derredor... O tudo que ia passando por ela, principalmente o tempo... Os anos implacáveis a castigara sem piedade. Mas isso era algo que ela nunca se importou. Nunca... Até aquela tarde, que inexplicavelmente sentia algo diferente, eu diria quase uma estranha necessidade de amar e ser amada. O vento do desejo passara e a tocara lubricamente, deixando-a mais jovem, mais atraente. A sede da vaidade a deixa mais sedenta, a fome da satisfação a põe inquieta. Seu olhar tem um novo brilho, seu sorriso está adornado de lábios sequiosos. Não há como evitar sinais dantes ignorados. Ela percebe que à sua porta bate o anseio de sentir-se feliz, realizada.
Sua fisionomia, agora sonhadora, parece destoar de tudo que faça parte do seu mundo. Surge então uma dúvida: Como viver tudo aquilo que se lhe apresenta? Se faz necessário arrebentar as correntes que a aprisionam dentro de um mundo sem maiores ou melhores expectativas. É preciso se decidir. Diz um ditado que "um raio não cai duas vezes no mesmo lugar", assim como o amor não bate à porta insistente. Ela quer dar uma nova oportunidade, uma nova chance de poder dizer que está feliz... Que pode finalmente ser feliz.
Olha o computador e sorri intimamente, seu amor está ali... Do outro lado, esperando-a, como acontece todas as noites e todas as manhãs.
"Boa noite amor, já chegaste?"... Ela vibra de felicidade... O seu amor a está esperando mais uma vez. De repente, um sobressalto. Lhe ocorre uma pergunta: "até quando ele estará esperando-a?: até quando poderá se sentir feliz com aquele amor virtual?", não sabe, apesar da tristeza que insiste em tocar a sua alma, ela procura esquecer. é melhor não pensar nisso... É bom não deixar nenhum momento negativo tocar o seu coração.
Nisso lhe chega uma mensagem... Amor, boa noite! um poema pra ti.
Emocionada ela lê e uma alegria imensa invade a sua alma. Cada palavra tem o dom de fazê-la esquecer tudo quanto pode macular esse momento.
"Jane, amor....

ENCONTRO

Nos olhamos intensamente
descobrindo segredos
transportando almas...
Foi um toque simbólico
de mãos, de lábios, de corpos
Um amor sugerido
loucamente emocionado
totalmente proibido
Em seus olhos vi doçura
vi encanto, vi ternura
Em sua boca li palavras
docemente... sufocadas
Na magia desse encontro
Vibrou uma música interna
regendo nossas emoções...
Como se fosse uma festa
particular e secreta
só de nossos corações....
Logo abaixo vem o desejo expresso...

Um beijo molhado em teus lábios.

Ela exulta de alegria, sente-se amada... Desejada, sente-se mulher.
Desliga o computador e vai dormir, amanhã será um novo dia... Trabalho e mais trabalho, até a hora de voltar pra casa e esperar por mais um boa noite. Dorme tranquila sem perceber que tudo aquilo não passa de uma fantasia, um lindo sonho que a fará acordar. E nesse dia ela voltará a ser a mesma de antes, amarga e infeliz... Sempre só, sem amigos, sem parentes, somente ela e a sua dor, mas haverá uma diferença, haverá um amor para recordar, mesmo sendo virtual, e ninguém sabe se isto a deixará mais infeliz ou não.

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios