sexta-feira, 19 de março de 2010

De Pensamento Em Pensamento


Foi tão doloroso quando eu descobri
Que só para mim a vida foi mesquinha
Me senti enganada, mais uma vez traída
Então eu descobri que essa vida minha
Sempre me feriu... Mas que direi de você?
Que nunca se importou em me fazer sofrer
E o pior que um dia me podia acontecer
Foi quando você se foi me deixando sozinha

Mas hoje,quando eu pensava tudo estar morto
Senti dentro de mim algo acontecer
Eram as lembranças invadindo meu pensamento
Me desnorteando, me fazendo sofrer
E num sufocado grito, emudeço
E em muitos momentos até me desconheço
E vou sentindo o quanto me entristeço
Por não conseguir alcançar você

E perambulo de pensamento em pensamento
E entristecida sinto um fremir e estremeço
São os sentimentos se contradizendo com razão
E parada diante das lembranças, reconheço
Que por maior que tenha sido minha experiência
Pouco aprendi,e nos primórdios da minha inocência
Roguei ao destino, um pouco por clemência
Mas este ao contrário... Aumentou o seu preço

Um Fantoche Qualquer


Não sei o que está acontecendo comigo
Só sinto que tem sido enorme o vazio
Que eu ultimamente tenho sentido
E minha alma está envolta num triste frio

Explicações eu tenho buscado, mas em vão
Parece loucura, mas tudo ao meu redor
Me sufoca, me alucina e quase sem razão
Percebo que tudo me traz um sofrimento maior

E os meus dias continuam lentos e agoniados
Eu tenho vivido como um fantoche qualquer
E são nesses dias quase nunca aproveitados
Que vou esquecendo dos meus sonhos de mulher

E estes se perdem como tantos outros se perderam
Ou quem sabe agonizam diante da minha solidão...
Eu sei que muitos sobre isso também já escreveram
Mas na verdade se desconhece a dor da desilusão

Nem mesmo eu que padeço conseguiria explicar
O que de fato se passa num coração desnorteado
Só mesmo quem amou,ou mesmo julgou se fazer amar
Talvez compreenda o que ninguém quer por legado

Vencida


Apostei corrida contra a vida
Mas esta, pelo cansaço me venceu
Me culpo, pois eu não soube me livrar
Dos teus sentimentos... Que no apogeu
Me fez apostar muito alto, e vencida
Ainda tentei ser ousada, atrevida
Mas só consegui ser ainda mais ferida
E no horizonte da minha vida você desapareceu

E hoje... Estranhamente hoje...
Me senti tão sozinha, e desencantada
Que procurei consolo, mas descobri ser em vão
Então nesse momento, sem entender quase nada
Vou perseguindo meus sonhos, mesmo destruídos
E cada toque que ainda me são vívidos
Vai me mostrando que, um pouco contigo
Eu ainda vou continuar a sonhar...

Um Minuto De Lembranças


Viver tanto tempo para quê?
Para ver as desgraças acontecendo,
Ou para lembrar mesmo sem querer
Que a minha alma continua morrendo?

Olhando para trás também pude perceber
Que o tempo se vai e a tristeza fica
E foi pelo tempo, que tive levado, você
E que até hoje para mim, nada explica

E hoje me sinto estranhamente aflita
Busco razões mas não as vou encontrando
Mas sei que são os desgostos dessa vida
Que ao longo dos anos foram se acumulando

E basta apenas um minuto de lembranças
E percebo o quanto tenho sido sozinha
Desesperada busco refúgio, como criança
Mas descubro que essa solidão é só minha

Então mais uma vez eu me pergunto
De que servem tantos anos vividos
Se a minha dor é indiferente ao mundo
E em meio a tudo nada mais faz sentido

domingo, 14 de março de 2010

Só Você


A melancolia dessa tarde
Parece infinitamente pobre
Não há nada que me fale de você
Apenas o que na minha alma dorme
Dorme entediado querendo acordar
Desejando desse mundo despertar
E apenas mais uma vez poder acreditar
Que na minha vida algo se transforme

E sinto na garganta um engasgo
Meus olhos lacrimejam desesperados
Sabendo que nada pode ser feito
E tudo o que me resta é o grito calado
A ânsia de querer outra vez viver
Viver... Toda a certeza do prazer
Que um dia vivi apenas com você
Sem nunca ter pensado em pecado

Mas o tempo se vai implacável
E a certeza que nada disso vai morrer
Me mostra que posso continuar desejando
Outra vez com você a tudo viver
E perdida nas muitas recordações
Mergulhada nesse mundo de ilusões
Revejo tudo que em nós foi emoções
E me vejo desejando novamente você

Os Homens Da Minha Vida



Primeiramente falarei do meu pai
Era um homem simples porém arrogante
Os seus cuidados da minha mente não sai
Esse homem foi para mim muito importante

Me lembro de como eu era pequena
E ele sempre tão cuidadoso e seguro
Em suas brincadeiras alegres e serenas
Sempre me alertava quanto ao meu futuro

Já você, foi o meu despertar inocente
Minha primeira experiência de namorado
Esses são momentos comuns a tanta gente
E que no tempo nem sempre fica gravado

E foi algo sempre tão bonito e delicado
Nos cuidados para as regras não infringir
Talvez por isso no tempo eu o tenha guardado
Pois era grande a preocupação em não ferir

Mas quanto a você que foi o meu primeiro amor
E na verdade não foi o meu primeiro namorado
Você que sem nenhum cuidado tão cedo me magoou
E transformou meu viver num mundo desencantado

Pois foi você o maior dilema que eu um dia vivi
Você foi na minha vida, arrebatamento e adoração
Foi você um deus que eu nunca duvidei,e sempre cri
E que vi na minha vida, se transformar em obsessão

Você não foi apenas o meu primeiro e grande amor
Também o tive como professor de todos os sentimentos
Por sua causa tornei-me então, esfinge do desamor
E quase me vi sucumbir em meio a tantos sofrimentos

Mas nesse meio tempo conheci uma linda criatura
Que me chegou num dos piores e tristes momentos
Tinha em seu jeito um pouco rude, uma alma pura
E com seu modo simples tentou aliviar meu tormento

Mas alí havia muita simplicidade para então entender
Toda a extensão dessa amragura que havia em minha vida
Pois não era tão fácil aceitar que ainda havia um você
Que ainda me magoava com todas as lembranças vividas

Mas foi em meio as muitas e sempre grandes decepções
Que a vida me ensinou de um jeito um tanto quanto abrupto
Que não se vive apenas de grandes ou pequenas ilusões
Mas que se pode transformar em meigo o que também é bruto

E quando foi um dia, para amenizar o meu sofrer
Surgiu um homem,para me fazer em algo mais acreditar
Pois foi quando eu tive a chance de lhe conhecer
Que eu pude descobrir uma nova e pura forma de amar

E foi nesse meu momento de pouco interesse pela vida
Que ela me presenteou com este ser que adoro até hoje
Um amigo, homem perfeito, que ao me ver tão perdida
Com carinho minha vontade de viver de volta ele trouxe

E foram esses os principais homens da minha vida
O primeiro que além de me dar a vida também me ensinou
Que as situações que a nós pela vida é trazida
Deve-se lutar,pois o próprio Jesus seus braços não cruzou

Já o segundo passou tão rápido que as vezes penso por fim
Que são homens assim que podem ou não nossa vida marcar
Porém as vezes refletindo sinto, que este foi para mim
Um exemplo saudável e seguro para no futuro me recordar

Mas e quanto a você? que conheci como meu primmeiro amor
Idolatrei-o como um deus e deixei que invadisse meu coração
Como fui tôla... Eras apenas de barro e logo você se quebrou
Me deixando conhecer toda a amargura existente na solidão

E como em todas as grandes histórias sempre surge um herói
E este, nem sempre cria uma situação que a todos favoreça
E muitas vezes por esquecer que o ciúme a tudo destrói
Sem pensar vai fazendo das suas dúvidas a sua maior certeza

Mas aquele que se tornou amigo, sempre gentil e protetor
Que abraçou-me nos meus momentos de incertezas e agonias
Um homem de fibra e que apenas com a verdade me mostrou
Que na vida se pode salvar sentimentos e buscar alegrias

Um alguém que me aceitou com ternura, sem me questionar
Que me ofereceu uma amizade sincera e um ombro amigo
Onde busco consolo e sempre que preciso vou me refugiar
Um amigo que me trouxe para a minha vida outros sentidos

E foram esses os homens que um dia muito me ensinaram
Uns me deixaram sorrir e outros que me fizeram chorar
Simples mortais que em deuses por mim foram transformados
Homens simples, rudes, gentis, e que também souberam amar

Mas foi com todos eles que eu um dia pude entender
Cada um dos sentimentos que regiam meu coração
Pois desde o mais simples deles eu consegui aprender
Que o verdadeiro e perfeito viver não passa de ilusão

quinta-feira, 11 de março de 2010

Constante Turbulência


Com meu pensamento em grande turbulência
Tendo a alma bastante ferida e bradando sem dó
Que revejo esse nosso elo de saudosa inocência
Que hoje resultou nessa tristeza de ver-me tão só

E os anos quue se arrastaram sem piedade
E as marcas do tempo tão visíveis em mim
As vezes me sinto presa a outra realidade
Onde tanto sofrimento amargou-me por fim

E penso que maior se fez o meu sofrer
Por não conseguir aceitar esse nosso fim
Pois fiquei assim sem sequer entender
Porque essa dor se fez bem maior em mim

Mas foi a sua infidelidade que me foi cruel
Me cobrisse toda de infindo e louco prazer
Me ofertasse uma transbordante taça de mel
Mas terminei assim, sofrendo sem ter você

E hoje essa dor que ainda maltrata sem dó
Foi por essa sofrida ausência em meu viver
E sei que nada mais poderia ter sido pior
Do que ter amado tanto e ficado sem você

Futuros Jornalistas



Hoje ecrevo a estes futuros jornalistas
Que terão por base bons princípios morais
Onde a verdade será a primazia da lista
Respeitando sempre os seus muitos ideais

Profissão árdua e nem sempre reconhecida
Que não dita regras mas que a todas respeita
Em cada um sempre haverá uma coragem inaudita
Pois serão sempre determinados em cada peleja

Serão homens e mulheres sempre destemidos
Sem importar qualquer que seja a situação
Não se curvarão, mesmo que sejam oprimidos
Pois têm amor e repeito por esta profissão

Esses futuros profissionais da pouca razão
Sacudirão os ombros, sem contudo desistir
Pois qualquer que seja o risco e a opinião
Por amor a tudo sempre haverão de persistir

Parabéns a toda essa nova leva de corajosos
Que honrarão a profissão por eles escolhida
E todos se sentirão até muito orgulhosos
Ao serem tratados por senhores jornalistas

terça-feira, 9 de março de 2010

Amor Inconsequente


Cada um tem o seu quinhão de dor
E o meu sempre maior que o teu
Pois sempre tivestes o meu amor
Mas o teu foi fogo que apagou

Quantas lágrimas por ti derramei
Quanta dor minha alma transbordou
E dessa dor me livrar eu pensei
Mas tu como uma marca em mim ficou

E foram noites frias, longas e amargas
Que sempre fizeram rotina em meu viver
E me vi da vida cada vez mais cansada
Sem conseguir tanta dor assim entender

E eu sei que nunca conseguirás imaginar
O grande sofrimento que foi o meu viver
Pois viveste para o teu mundo sem pensar
Que a minha vida era lutar e nunca vencer

Lutei contra a tristeza,o desamor e a solidão
Mas para quem sempre viveu preso a um passado
Nunca consegue se libertar da grande ilusão
De que tanto amor por algúem ainda é lembrado

Mas foi entre muitas dores e decepções
Que me vi pela vida sacudida brutalmente
Vi se quebrar em mil pedaços minhas ilusões
E a certeza de que eu morria finalmente

Morri para o amor, para a ilusão, para a vida
Sentir-me viva tornou-se para mim impossível
Existir foi o que encontrei nas minhas investidas
Quando diante da vida fui me tornando impassível

E hoje o único consolo que ainda me restou
Foi saber que para ti foi tudo bem diferente
Minha vida e meus sonhos aos poucos se apagou
Foi o preço pago por teu amor tão inconsequente

Esquecida De Viver


Esperei demais de você
Que em meio a tanta rudeza
Soube sim me querer
Com sentimentos de grandeza

Hoje eu sei que faltou em mim
Tolerância para poder aceitar
Pois eras um bruto,um bruto sim
Mas com amor sincero para dar

Pensando em tudo quanto vivemos
Nas inúmeras dificuldades vencidas
Percebo que muitas vezes queremos
Situações que não devem ser vividas

E ao longo dos anos também fui vendo
O que nunca conseguia compreender
Vencemos por seu grande amor,hoje entendo
Que podias ser bruto,mas era seu jeito de ser

E foram tantas as situações por mim criadas
Mas com o tempo sentimentos foram vencidos
E para quem nessa vida não tinha nada
Devia se conformar com esse amor sofrido

Seus ciúmes, sempre tão loucos e destruidor
E esse seu amor, tão possessivo e sem igual
Deixou o meu mundo com mais sombras de dor
Prevendo para o meu destino um triste final

E foram anos de muitas dores e tristezas
De grandes angústias e aflições sentidas
Onde já não fazia sentido o que era nobreza
Restando para nós as amargas horas sofridas

Mas se foi no tempo, esse triste tempo
E hoje longínquas lembranças restaram
E morreu também os tristes lamentos
E finalmente as feridas cicatrizaram

Mas agora, olhando calmamente para você
Penso em todo o sofrimento que passamos
E me resigno agora tão somente a querer
Esquecer de vez as batalhas que travamos

É preciso se aceitar para que aconteça
Uma forma simples de também querer
Um algo mais que enfim nos fortaleça
E descubramos razões para a tudo vencer

Mas deixemos de lado tudo que foi dor
Que lembrar só nos causará mais sofrer
Não sou a única atingida pelo desamor
Nem serei a única que esqueceu de viver

Tudo Ilusão


Hoje acordei com uma vontade louca
De abraçar o mundo...
Deixar meu olhar se perder
No horizonte
E perder-me na vastidão
Desse meu olhar profundo...

Esse amanhecer me trouxe
A paz que sempre busquei
Uma paz infinita
E um aconchego de pura languidez
Que me desperta para a vida
E de forma meio ansiosa
Rebusquei um pouco pretensiosa
Os sonhos de uma era atrevida

Ah! como me sinto diferente...
Acordei para a vida
Tão pouco sentida.
E sem me aperceber
Deixei o meu olhar buscar você...
E senti quando os braços da saudade
Me envolveu
E assim toda a minha alegria
De repente
Num triste suspiro morreu.

É que eu nunca havia acordado para a vida.
Mas aí, eu acordei
E vi que eu estivera a sonhar
Com um mundo,
Triste mundo
Um mundo que eu nunca quis abraçar...

Foi tudo ilusão
Tudo mentira...
... Amor sem sofreguidão,
Foram juras perdidas
Sem compaixão
Desejo morto...
Só obsessão.

Quanta loucura
Vaidade Pura
Razão sem razão
Sonhos desfeitos
Grande ilusão...
Foi apenas mais um sonho
De vívidas emoções
Desse amor sem nexo
Perdido
Sem sentido
Mas um amor sem igual
Amor tão complexo

Amor esse como o meu
Nessa vida
Só mesmo o teu
E para completar
Essa falsa euforia
Que não passa de pura agonia
Um desenlace qualquer
Destruindo assim
Meu sonho de Mulher
Restando apenas as fantasias

Página Virada


Foi assim, de repente, quase sem querer
Que em meus pensamentos tão inquietos
Me chegaram novamente lembranças de você
E vi outra vez meus sentimentos manifestos

E o meu coração num crescente desespero
Pelas lembranças que impregnou o meu ser
Me fez sentir que as mágoas num grande apelo
Sucumbiam quietas diante do que foi você

E então eu logo percebi ser possível esquecer
Todo esse sofrimento que muito me machucou
E sinto que será sempre inútil tentar ter você
Como mero personagem dessa história de amor

Sempre o terei sim, mas será como página virada
De um grosso livro que um dia juntos tentamos viver
Mas nos perdemos no final dessa história mal acabada
Mal acabada confesso,mais por mim do que por você

domingo, 7 de março de 2010

Busco Consolo


Hoje, mais uma vez pude perceber
De como foi incompleta e diferente
A minha vida, sem ter nela você

As minhas efêmeras alegrias
Foram momentos insistentes
De quem nunca com a alma sorria

E o meu sonho maior se perdeu
Ao longo da vida de forma indiferente
Se perdeu...Ou simplemente adormeceu

E meus pensamentos em constante agonia
Se liberta e corre livre, quase exigente
Em busca da sonhada e verdadeira alegria

Mas reconheço, ao tempo já se fez tarde
E os meus sonhos ruíram inclementes
E tudo quanto sonhei, hoje sei foi debalde

Agora eu busco consolo nas palavras
E nas lembranças que o tempo não desfaz
E só assim eu consigo prosseguir resignada

E conntinuo me perdendo no desejo que se foi
Nessa ânsia incontida que me deixa sem paz
Ao conseguir sentir o que restou de nós dois

Mais Uma Vez


Meu pensamento voou pelo espaço
Meio perdido entre as recordações
Sentindo mais uma vez os teu abraços
E assim, mergulhando em vivas emoções

Essa sensação que há muito me acompanha
Pois nunca de mim saiu em nenhum tempo
E por muitas vezes com a vida fiz barganha
Na inútil tentativa de livrar-me do tormento

E eis que de repente uma brisa embriagadora
Me permite reavivar a chama dos meus desejos
E percebo quanto sou na vida, grande criadora
De sonhos voluptuosos, os quais tanto almejo

E me permito assim embriagar-me, e como louca
Sinto o teu corpo roçando o meu, e enlouquecida
Me entrego por inteiro na volúpia dessa tua boca
E é nesse momento que me sinto de tudo esquecida

E ao sentir o fremir desse desejo louco, saciado
Acordo,e sinto as lágrimas novamente se libertarem
E os meus mais ardentes desejos serem transformados
E todas as minha emoções, vejo em pleno ar evaporarem

Sem Sentido


E como sofro por cada uma das lembranças
Que preenchem os meus longos dias tristes
E vou vendo se desfazendo minhas esperanças
Por esse amor que no tempo ainda resiste

Mas no amanhã essas esperanças deposito
Pois mesmo quem de tudo um dia fugiu
Para hoje porém, revejo a tudo e insisto
De viver outra vez o que na alma resistiu

E não importa o tempo que tenha passado
Se este amor até hoje no tempo tem resistido
Por este amor assim tão louco e tão resignado
Fiz do meu viver um eterno sonho sem sentido

Outra vez


Contemplando o silêncio do meu eu
Vou percebendo até muito contente
Que quem primeiro de nós morreu
Foi quem sempre esteve ausente

E foi porém na ausência desse teu amor
Na saudade dos gestos que se perderam
Que eu tirei mais vida dessa minha dor
E dos momentos que nossas almas amaram

E hoje quando a saudade se mistura
Nos escombros do que fomos sem pudor
É que eu sinto que só vive a criatura
Dentro dos resquícios dessa minha dor

quarta-feira, 3 de março de 2010

Vagando Sem Rumo


Perdi na vida a chance de um dia viver
Uma história que não fosse só de sonhos
Eu muito queria uma longa vida com você
Onde não houvesse pensamentos tristonhos

Mas sempre andei perdida vagando sem rumo
Fruto dos desgostos que a vida me impôs
Então me vi infeliz e sozinha no mundo
Porém o pior me chegou algum tempo depois

E assim nas frias e solitárias madrugadas
Sonhei sem prazer por um pouco de alento
Mas só encontrei na vida cruéis cutiladas
Pois nunca consegui tirar você do pensamento

E assim o destino quis me fazer prisioneira
De um mundo sem nenhuma esperança e desolador
E de uma forma triste fiquei minha vida inteira
Amargando inconsolável a perca desse louco amor

E prossegui infeliz entre as traiçoeiras borrascas
Que só conseguia me lembrar ainda mais de você
E foi assim, me sentindo sempre vazia e cansada
Que fui descobrindo que viver para mim era morrer...


... Morrer de saudades na minha infinita solidão

Foste Com Certeza


Quantas vezes com a minha vida entediada
Atormentada pelos sonhos e também pela dor
Era quando eu me via mais sofrida e agoniada
Chorando inconsolável a perda desse meu amor

E como gotas de orvalho ficava o meu rosto
Sempre em lágrimas, mas era com toda razão
Pois haviam me tirado da vida todo o gosto
Todo o amor que um dia existiu em meu coração

E para meu consolo, nas minhas noites tristes
Nas longas horas de insônia e infinita solidão
Pude perceber que tanta dor ao tempo só resiste
Quem não consegue matar de vez qualquer ilusão

E sempre perdida entre os meus pensamentos
Senti que não importava mesmo a minha dor
Pois foram nos meus maiores sofrimentos
Que pude avaliar a extensão desse meu amor

E não importa se não consegui me fazer entender
Pois muito maior foi sempre a minha certeza
De que eu nunca olvidaria esse meu bem querer
Pois do meu coração foi a minha maior riqueza

E quem sabe,talvez ainda compreendas algum dia
Que nunca vai importar o que foi ou deixou de ser
Pois foste com certeza a minha maior alegria
Mesmo tendo sido também a maior dor do meu viver

Nesse Momento


Foram milhares de vezes que o vi
Com o olhar límpido e sereno da alma
E apenas nos meus pensamentos o senti
E foram nesses momentos que perdi a calma

Pois só nos meus sonhos eu te encontrei...
Por maior que fosse minha vontade de te ver
E foi como uma louca que em tudo te busquei
Mas esse momento senti que nunca ía acontecer

E na minha triste existência vivi de fantasias
De sonhos impossíveis e também arrebatadores
E eram para mim momentos de grandes alegrias
Onde nunca haveria espaço para outros amores

Mas hoje porém, a saudade cruel e mesquinha
Apossou-se de forma traiçoeira do meu coração
E ela na verdade sabe ser ela, apenas minha
Ela... Minha eterna companheira de solidão

E se um dia porventura te lembrares de mim
E se alguma vez representei algo em teu viver
Queiras mesmo que num gesto simples, por fim
Sentir saudades, embora digas que foi sem querer

Porém agora, nesse momento amargo e cruciante
Quando a minha alma sangra e chora em sua dor
Pensemos juntos, mesmo que por alguns instantes
Que apenas eu, fui o seu primeiro e grande amor

terça-feira, 2 de março de 2010

A Voz Do Sangue



À Minha Filha Anny Karla

No decorrer dessa minha existência
Grandes e pequenas emoções eu já vivi
A maior delas a comprendi pela ciência
Pois foi pela voz do sangue que a senti

Foi algo muito forte realmente, quase indescritível
Que por instantes me fez de muitas coisas duvidar
Na sua tão simples declaração, me foi impossível
Não perceber a grandeza que existe no verbo amar

Pois dizer "Eu amo você" tornou-se algo tão banal
É que muitas vezes se diz como um tema qualquer
Mas quando se escreve num momento muito especial
Quando o sangue grita sem impor o que tanto quer

Torna-se uma declaração tão rica e grandiosa
Que só para quem a recebe é possível entender
E eu me senti de repente assim... tão luminosa
Tão mais viva e com bem maior razão para viver

Eu acredito que muitos nem mesmo compreenda
O que busco definir com uma certa precisão
Mas para quem da história sabe, talvez entenda
Como tornou-se grande e diferente essa emoção

Esse "Eu amo você"... Ressoará aos meus ouvidos
Fazendo eco em minha alma, segredando algo também
Me perdoe quem não conseguir alcançar o que digo
Mas este sentimento conseguiu me levar mais além
 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios