quinta-feira, 11 de março de 2010

Constante Turbulência


Com meu pensamento em grande turbulência
Tendo a alma bastante ferida e bradando sem dó
Que revejo esse nosso elo de saudosa inocência
Que hoje resultou nessa tristeza de ver-me tão só

E os anos quue se arrastaram sem piedade
E as marcas do tempo tão visíveis em mim
As vezes me sinto presa a outra realidade
Onde tanto sofrimento amargou-me por fim

E penso que maior se fez o meu sofrer
Por não conseguir aceitar esse nosso fim
Pois fiquei assim sem sequer entender
Porque essa dor se fez bem maior em mim

Mas foi a sua infidelidade que me foi cruel
Me cobrisse toda de infindo e louco prazer
Me ofertasse uma transbordante taça de mel
Mas terminei assim, sofrendo sem ter você

E hoje essa dor que ainda maltrata sem dó
Foi por essa sofrida ausência em meu viver
E sei que nada mais poderia ter sido pior
Do que ter amado tanto e ficado sem você

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios