sexta-feira, 19 de março de 2010

Um Fantoche Qualquer


Não sei o que está acontecendo comigo
Só sinto que tem sido enorme o vazio
Que eu ultimamente tenho sentido
E minha alma está envolta num triste frio

Explicações eu tenho buscado, mas em vão
Parece loucura, mas tudo ao meu redor
Me sufoca, me alucina e quase sem razão
Percebo que tudo me traz um sofrimento maior

E os meus dias continuam lentos e agoniados
Eu tenho vivido como um fantoche qualquer
E são nesses dias quase nunca aproveitados
Que vou esquecendo dos meus sonhos de mulher

E estes se perdem como tantos outros se perderam
Ou quem sabe agonizam diante da minha solidão...
Eu sei que muitos sobre isso também já escreveram
Mas na verdade se desconhece a dor da desilusão

Nem mesmo eu que padeço conseguiria explicar
O que de fato se passa num coração desnorteado
Só mesmo quem amou,ou mesmo julgou se fazer amar
Talvez compreenda o que ninguém quer por legado

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios