quarta-feira, 3 de março de 2010

Vagando Sem Rumo


Perdi na vida a chance de um dia viver
Uma história que não fosse só de sonhos
Eu muito queria uma longa vida com você
Onde não houvesse pensamentos tristonhos

Mas sempre andei perdida vagando sem rumo
Fruto dos desgostos que a vida me impôs
Então me vi infeliz e sozinha no mundo
Porém o pior me chegou algum tempo depois

E assim nas frias e solitárias madrugadas
Sonhei sem prazer por um pouco de alento
Mas só encontrei na vida cruéis cutiladas
Pois nunca consegui tirar você do pensamento

E assim o destino quis me fazer prisioneira
De um mundo sem nenhuma esperança e desolador
E de uma forma triste fiquei minha vida inteira
Amargando inconsolável a perca desse louco amor

E prossegui infeliz entre as traiçoeiras borrascas
Que só conseguia me lembrar ainda mais de você
E foi assim, me sentindo sempre vazia e cansada
Que fui descobrindo que viver para mim era morrer...


... Morrer de saudades na minha infinita solidão

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios