terça-feira, 11 de novembro de 2014

HÁ TEMPO PARA TUDO...



(História de Gábata Almenon)

A tarde morre numa lentidão enervante... Gábata sempre achou de beleza estonteante , tanto o nascer do sol como o decair do mesmo, mas estranhamente ele não mais fica embevecida diante do que se descortina ante o horizonte.

Para ela nada mais tem beleza nem cor... Tudo se perdeu no negrume gelado das madrugadas que parece asfixiá-la de tanta solidão.
Há pouco tempo ela se sentia tão feliz... Até riu quando disseram para ela que tivesse cuidado ao postar no face tanta felicidade, pois a inveja também tinha facebook. Ela sempre riu, sempre desdenhou, como acreditar em tamanha tolice? Mas tolice ou não, um dia lhe aconteceu...
Quando ela julgava não haver mais espaço pra tanta felicidade, se viu de repente só... Só e desesperada. Sobre seu mundo desabou um monte de visitantes indesejáveis. Desespero... Incompreensão, ciúmes enlouquecidos, e a indiferença que lhe era crucial, porém o pior de tudo, era o abraço gélido da solidão que parecia sufocá-la e já não era apenas pelas madrugadas... Mas a todo momento.
Dias de angústia parecia enlouquecê-la, mas ela tinha dois anjos da guarda que não a abandonara nesse momento... Duas amigas fiéis, de uma lealdade ferrenha... A Geny Ferreira e a Helena Costa. Naquele momento eram elas o porto seguro da Gábata, ela sabia que alí podia confiar e se entregar como um filho desesperado se aconchega ao colo da mãe.
Os dias se arrastavam inexoravelmente, as madrugadas traziam sons que pareciam chicotadas em seus ombros, era o látego da saudade a corroer-lhe a alma. Semanas passaram, ela já não comia, não dormia, parecia não ter vida e não tinha, ao menos vida própria, ela apenas ouvia, sentia e vivia pra VIDA... Uma vida que não fazia mais parte da sua.
Problemas de saúde surgiram, mas para ela eram indiferentes, nada conseguia tirar-lhe daquele torpor, mas as duas habilidosas amigas, começaram a fazer a campanha do "tenha calma, tudo vai se resolver, tenha fé, acredite...
Um dia ela resolve por fim fazer a consulta médica, tantas vezes marcada e adiada. E parece que Deus estava naquele consultório a aguardando. Aquele médico de cabelos brancos falava diferente. Parecia estar sendo usado. Após quase duas horas de conversa, Gábata fala-lhe das humilhações sofridas por causa dos seus escritos, já não sentia coragem de escrever, deixar o coração falar.
Mas o médico fora enfático: - Gábata, você vai escrever sim, crie uma nova página no face, rasgue a sua alma e deixe-a sangrar, não precisa de família, parentes e amigos saberem dessa existência, mas você precisa por pra fora o que a está matando. e Lembre-se acima de nós há um Ser que nos compreende, nos ama e só nos quer ver felizes. Chegue-se a Ele e deixe a sua alma falar, Ele sabe de tudo, mas com certeza gostará de ouvi-la. Vá minha querida e na próxima consulta, não quero esse riso de dor ou então um de fingimento, quero apenas que sorria com a alma.
E em poucos dias aconteceu... Aliás uma certa madrugada, ela dobrou os joelhos e implorou a Deus piedade, que a ajudasse pois não suportava mais aquela pesada carga de dor, ainda em sua ignorância pediu a Deus: - Tira-me tudo, mas me deixa as lembranças de VIDA, e se possível trás de volta ao menos a sua amizade.
E tudo se fez exatamente da maneira que ela pediu.
Amanheceu, e Gábata define a sensação que tem no íntimo como anestesiada. Olhava para trás e já não havia dor, uma saudade estranha, pois não incomodava, ao contrário, dava-lhe forças para continuar. Os dias foram se passando, seu sentimento crescia a cada dia, mas não incomodava, não doía, não lhe feria em nada, ao contrário, dava-lhe esperanças... As amigas já não ouviam choro nem lamentos, apenas a paz que ela deixava transparecer.
Gábata volta ao consultório médico, está na sala de espera quando ele chega, e diz: - Gábata? Ela olha pra ele e sorri, ele a pega pelo braço e a leva ao consultório, e mais uma vez quase duas horas de conversa, mas ele estava feliz, abraçou-a, beijo-lhe a testa e disse: _ Ao abrir a porta da clínica uma brisa suave de paz me envolveu, eu olhei pra sala e meu olhar parou em você, eu senti que partia dalí aquela paz.
Se algum dia porventura sentir que alguma coisa quer trazer tristeza pra sua vida... Me procure. Mas por mim estás liberada, apenas volte para o seu cardiologista, sou apenas um clínico. Ela se despede do médico. - Ele não sabe, mas acredito que ele seja médico de alma, isto sim.. - Pensa Gábata.
E um dia, Deus entendeu que havia chegado o momento dela receber de volta aquela amizade que ela tanto prezava. Se ela estava feliz... Muito mais se intensificou este sentimento. Só que ela agora aprendeu a não gritar para o mundo seu estado de espírito. Nova fase ressurge em sua vida... Um mundo de encantamentos está adormecido para na hora certa ser acordado, e quem sabe ser vivido em toda a sua plenitude.
Valeu a pena chorar, sofrer e aprender a ser melhor até mesmo para si. Novos horizontes parecem despontar sobre sua visão, pois ela aprendeu que " Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu." Eclesiastes 3:1

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios