terça-feira, 14 de setembro de 2010

Teus Deslizes


Quando o meu mundo caiu
Me vi sem forças para o levantar
Pois foi quando dele você saiu
Eu sabia que não irias mais voltar

E ao ver meu mundo destruído
Percebi que ali eu não podia mais ficar
Pois se da minha vida tu havias saído
Era certo que sozinha eu iria continuar

Mas eu estava muito enganada
E sem nada saber tratei de fugir
Tudo deixei, pois eu não queria nada
Daquela vida que eu muito me feri

E parti para terras um pouco distante
Na esperança de a tudo um dia esquecer
Sem saber que voltarias a qualquer instante
Para juntos então podermos finalmente viver

E grande e amarga foi a tua surpresa
Ao voltar e saber não mais irias me encontrar
Pois outro rumo eu havia tomado na certeza
Que nossas vidas não mais teria como continuar

E muito tempo depois eu soube dessa loucura
Que era esse teu amor tão terno, mas impulsivo
Foi quando choraste por sobre as tuas amarguras
E por sobre os sonhos que não viverias mais comigo

Eu distante, ignorava por completo a tua dor
E impelida pelos sofrimentos surgidos
Construí um mundo de sonhos, onde o teu amor
Passou a ter todos os encantos do proibido

E assim, em outras mulheres foste buscar
Alguma semelhança que de mim te lembrasses
Embora tu soubesses que nunca iria encontrar
Aquela que ao me substituir, te completasse

E para o nosso grande e triste castigo
Nunca seremos completamente felizes...
Eu vivendo a sombra de um amor proibido
E tu em pensamento cometes teus deslizes

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios