terça-feira, 14 de setembro de 2010

Cálice Da Saudade


Por essa minha vida à fora
Tenho incansavelmente procurado
Tudo que não chegou até agora
Um mundo bem mais desejado

E por noites seguidas sempre busquei
Matar a saudade que me consumia
E tudo aquilo que eu mais desejei
Foi sentir o gosto puro da alegria

Mas minhas buscas foram sempre perdidas
Pois tudo o que eu tenho conseguido
É lamentar por cada uma dessas investidas
Que hoje vejo, quase têm me enlouquecido

E continuo sonhando com cada toque
Que nas lembranças muito me faz entender
E mesmo que jures que não mais se importes
Estarás mentindo pra mim e também pra você

Mas eu sei que quando eu menos esperar
Aparecerás com certeza diante de mim
E não terei como o tudo o mais expressar
Por esse momento tão esperado assim

E eu sei que sorverás do meu cálice da saudade
E te embriagarás diante desse amor que é só seu
E mesmo que já estejamos em avançada idade
Verás que esse amor por toda vida foi só seu

E nos embriagaremos na saudade desse desejo
E nesse amor que há muito deixamos esquecidos
Mergulhando na aquosidade desse seu beijo
Saciando assim todos nossos sonhos atrevidos

Nenhum comentário:

 
TOPO
©2007 Elke di Barros Por Templates e Acessorios